A VOLTA DOS QUE NÃO FORAM

O cara é um canalha, cafa de primeira, bandido. Te machucou, te feriu, fez caquinha e não teve a decência e a preocupação de limpar. Te enganou, mentiu, machucou, enrolou, manipulou, te fez de besta mesmo. Você briga, xinga, chuta, amaldiçoa, diz que nunca mais quer ver, nem pintado de ouro ( e olha que um bendito pintado de ouro em tempos bicudos como o nosso vale a pena! ), manda pra todos os lugares feios que conhece. E depois de lavar a alma, você respira. Tudo bem, caso acabado, bola pra frente.

E depois de tudo isso… Quando faz aquele frio, no meio daquela solidão… Ele te procura. Doce, meigo, inocente, cheio de amor pra dar… Bonito e cheiroso, tudo de bom. E aí?

Seus amigos, sua mãe, seu oráculo, astrólogo, guia religioso e até a sua imagem no espelho concordam: não dá mais. Aquele cara não te serve, não te merece. Vai te fazer infeliz. Mas tem alguma coisa que grita, lá dentro de você, dizendo que não, que vocês têm uma chance. E aí o drama está feito.

Na sua cabeça passa um filme. Tudo de bom e de ruim que já viveu com aquela criatura. Os amassos quentes, as noites agradáveis, as risadas, as noites que passou chorando, os medos, os avanços e retrocessos que fez ao lado dele. E te dá aquela tentação de ceder. O que se faz numa hora dessas?

A verdade é que tem certos amores que precisam acabar. Podem ser até bons, cheios de coisas boas, até. Mas tudo tem limite e um tempo certo pra acontecer, antes que apodreça. E chegou a hora de acabar. Acontece que você tenta, tenta, tenta… Mas não consegue colocar um ponto final. A sua cabeça não concorda com o seu coração.

Pela sua cabeça, passam mil coisas. Como se livrar do fulano, que insiste em te procurar? Onde está o seu final feliz, com direito a príncipe e viveram felizes para sempre? Por que as coisas não podem dar certo de uma vez? Como vai ser recomeçar a procurar alguém e começar tudo de novo, depois de tanto trabalho que você teve pra amaciar bem o motor do rapaz? Dá uma sensação horrível de impotência. De preguiça de começar de novo. De saudade do traste. De medo de ficar sozinha. De vontade de voltar correndo praquela situação que, por mais que fosse difícil, era confortável. E isso te persegue dia e noite. E o cara te procurando, insistindo. Dizendo tudo que você quer ouvir. Que meleca.

É preciso ser muito forte nessa hora. Forte pra ficar sozinha. Forte pra resistir. Forte pra desencanar. E principalmente forte pra decidir o que fazer e bancar essa decisão, seja essa decisão a favor da cabeça, ou do sentimento.

O importante é não esquecer a meta principal, o princípio de tudo: a gente quer, precisa, merece ser feliz por inteiro. Se isso estiver bem claro, lá dentro, uma hora ou outra a gente acaba sabendo o que fazer. E até lá… A gente chora. Que chorar faz bem.

Anúncios

2 comentários sobre “A VOLTA DOS QUE NÃO FORAM

  1. Sabe o q eu acho, gatinha? Que vc deveria dar um pé nele e casar logo comigo, juro q eu ia tratar vc direitinho, hehe… Beijos e força aí.

    Zé Mario | 26-07-2003 15:01:34

    Às ordens, querida, love você também, viu?! Seu blog tá é muito chique!;-) Beijocas!

    Taty* | Homepage | 20-07-2003 01:40:27

    Miga…eu te amo!!!

    Catarina | Email | Homepage | 19-07-2003 23:49:28

    é verdade, uma droga mesmo, queria q tivesse uma receita pra esquecer cafajeste. seu blog é hiper legal, parabéns!

    Blink | 18-07-2003 17:15:48

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s