A FILHINHA DO PAPAI

“O melhor o tempo esconde, longe, muito longe…
Mas bem dentro aqui…”
( Caetano Veloso )

Música do Fábio Júnior tocando sem parar na TV e no rádio… Um aumento expressivo na venda de lenços, gravatas, canetas e meias… Churrascarias lotadas… Mensagens comoventes pipocando em todos os lugares… Sim, é dia dos pais.

Não adianta dizer que “dia dos pais é todo dia”, ou que essa é uma “data comercial”. Também não adianta dizer que as mães são mais importantes, e nem que pai só serve pra ocupar espaço no sofá da casa e consertar as coisas com Durepox. Bom ou mau, vivo ou morto, ausente ou presente, carinhoso ou malvado… Pai é pai. E faz falta quando não está por perto.

Eu sinto muita saudade do meu. Sinto muito por não ter pra quem dar um presente hoje. Sinto falta dele e lamento ele ter morrido sem eu ter conseguido dizer pra ele que o amava e que ele foi, sim, o primeiro amor da minha vida. A vida tem uns desacertos que muitas vezes a gente não consegue entender. Mas acertá-los talvez seja o verdadeiro sentido de estarmos vagando nesse mundo. E sempre há tempo pra gente amar quem tem que ser amado, e dizer o que tem que ser dito. Então… Eu digo. Pai, eu te amo muito. Tomara que de alguma forma você saiba disso.

A verdade é que eu tenho boas lembranças do meu pai. Tenho os traços dele no meu rosto. Tenho muitas coisas que ele me ensinou na cabeça e no coração. Cultivo bons hábitos que ele me ensinou. E até todas as dificuldades que enfrentamos no nosso relacionamento conturbado e sofrido me ajudaram a crescer. O pai é isso mesmo, é alguém que está por perto pra fazer a gente crescer. E olha que crescer não é fácil. Mas ele está lá pra ajudar. Até porque ele aceita a gente como a gente é.

E hoje eu sei que tem algumas coisas que só um pai pode fazer por uma filha:

* Colocá-la sentada nos ombros, e sair andando por aí, fazendo com que ela se sinta a garotinha mais alta e mais poderosa do mundo;
* Levá-la no trabalho e apresentar pros amigos, como se ela fosse a coisa mais importante que ele tem pra mostrar;
* Sorrir cheio de contentamento e orgulho quando alguém comenta, “puxa, essa menina é a cara do pai!”;
* Aprender a dar comida na boca, dar banho e trocar fraldas, mesmo que isso parecesse quase impossível pra um homem desajeitado antes de ele se tornar pai;
* Levantar altas horas da madrugada pra medir febre e buscar remédio na farmácia, mesmo que o dia no trabalho tenha sido terrível e o seguinte prometa ser ainda pior, e ainda assim suspirar aliviado quando sente que ela está bem;
* Levar no show do Menudo e aguentar desmaios, gritarias e arrastões, só porque ela disse que ia morrer se não fosse;
* Pagar o mico de jogar futebol no time que montaram na comemoração da escola, só pra não deixar de participar;
* Combinar segredos pra fazer surpresas pra mãe, fazendo-a se sentir uma adulta com tanta responsabilidade nas costas;
* Inventar formas próprias e exclusivas de carinho entre os dois, como dar um cheirinho no cabelo, fazer uma cosquinha no pé, apertar e beijar a bochecha;
* Ensiná-la a se defender daquela garotinha malvada da escola, ensinando pra ela golpes fajutos de karatê;
* Aceitar como uma verdadeira obra de arte aqueles rabiscos que ela faz na escola e chega toda orgulhosa mostrando;
* Se emocionar com a primeira palavra, o primeiro sucesso, o primeiro passo;
* Colocá-la no colo no volante e deixá-la apertar a buzina do carro, fazendo-a pensar que está dirigindo;
* Brincar de cavalinho;
* Tirar milhares de fotografias, desde os momentos mais marcantes até as situações mais banais, e guardá-las como relíquias;
* Implicar com todo e qualquer fulano que chegue perto dela quando ela está prestes a se tornar uma mulher;
* Pegar na mão e caminhar tranquilamente no parque;
* Fazer coisas engraçadas pra fazê-la sorrir, como dançar desengonçado ou contar piadas bobas;
* Dirigir léguas pra ir buscar aquela boneca preferida que ficou na casa da tia, só pra ela não ficar doente de tristeza;
* Servir de motorista e levar pra aula de piano, pra natação, pra escola, pra casa das amigaa… E ainda ir buscar depois;
* Dar aquela boneca no natal, fazendo aquele sacrifício, e ainda atribuir todas as honras ao papai noel;
* Deixá-la fazer algo que a mãe não deixou;
* Dar colo quando ela está cansada, triste ou chorosa;
* Ter a maior paciência com o volume do rádio quando ela resolve que é hora de gostar de rock pauleira;
* Arrumar bicicleta, brinquedos, livros rasgados, cama quebrada;
* Deixar de ver o futebol ou o noticiário pra que ela possa ver seu programa preferido;
* Abraçá-la com força e pedir perdão por tê-la magoado, mostrando que até os super heróis choram de vez em quando;
* Fazer com ela aquele trabalho insuportável da escola, e ainda fazer um esforço pra que ela pense que é muito importante;
* Sorrir orgulhoso quando ela é elogiada ou tem sucesso em algo que fez;
* Dar pra ela milhares de livros, gibis, histórias, discos e outras coisinhas que vão deixá-la inteligente mais tarde;
* Dar todas as broncas e castigos que ela precisa pra crescer uma moça educada e que respeite os outros;
* Ensiná-la a gastar bem a sua mesada;
* Fazê-la sentir-se indignada, mas protegida, quando ele diz que “as outras meninas vão mas você não vai porque você tem pai, oras”;
* Suportar ela dizer que o pai da amiga é muito melhor que ele, e ainda assim continuar achando que ela é a melhor filha do mundo;
* Fazê-la sentir-se a garota mais linda e amada só com um olhar de admiração;
* Ensinar o que ela não sabe, ser forte quando ela é fraca, dar a mão pra atravessar a rua, comprar o doce que ela gosta, e dizer que a ama muito.

Claro, tem muito mais coisas que um pai pode fazer por uma filha. De qualquer forma, o importante é realmente amar e participar. Parabéns pra quem é pai… E parabéns também pra quem é filho ou filha. Amar também se aprende. E os pais estão aí pra ensinar… No dia dos pais e em todos os outros dias.

4 comentários sobre “A FILHINHA DO PAPAI

  1. Olá, Mafalda, vixi, impressionante tudo e como você descreveu o pai. Agora pouco eu sonhei com meu pai, e no sonho ele sorria e com um quadro meio transparente me ensinava coisas da alma, eu queria muito me lembrar exatamente tudo que ele me disse mas só lembro de ler no quadro a palavra Dignidade. Um forte abraço

    Curtir

  2. Obrigado! Minha filha esta em epoca de pre-vestibular, parece que a perdi…mas seu blog mostra que talvez as coisas voltem a ser um pouco parecido com outras epocas. Espero que ela passe no vestibular e voltemos a sair juntos, passear pelo parque, tomar um suco, comer um hamburguer, escutar rock…..

    Um pai

    Curtir

  3. Olha só, pelo que vi, as pessoas costumam responder os comentários neste espaço mesmo, então lá vai. 🙂 Moças, obrigada pelos elogios, e fico contente de ter emocionado algumas de vocês. Não tem nada melhor que dividir emoções. Cara amiga Bêbada, meu pai e eu nunca conseguimos nos entender enquanto ele era vivo. Eu não conseguia pronunciar essa palavra, tinha muita mágoa, ódio e tristeza entre nós dois. Só depois que cresci e amadureci muito ( por dentro e por fora ) é que aprendi a amá-lo, e consegui me lembrar de todos esses fatos felizes. Claro, seria capaz de fazer uma lista igual, senão maior, de tudo de doído que vivemos. Mas hoje é um alívio enorme pra mim poder admitir que sinto falta, que o amei e que fui amada. Como você, tenho pensado muito no pai dos meus futuros filhos, e espero acertar na mosca também… Estou fazendo o possível e o impossível pra isso. 🙂 Grande abraço pra vocês, pessoas, continuem me visitando, muita me honram os cliques que vocês me dedicam.

    Mafalda | 13-08-2003 18:25:50

    E apesar de não ter tido pai disposto a ser amado, me emocionei muito muito muito com seu texto (só pra variar!!! rs. Mafalda, é impressionante, a cada dia você está melhor!) Me emocionei por ter certeza que o pai que acabei dando à minha filha é maravilhoso e vai saber amá-la (assim como já sabe desde que ela estava em minha barriga) e receber e curtir todo amor que ela tiver para retribuí-lo. Lindo o texto. Um beijo enorme.

    A Bêbada | Email | Homepage | 13-08-2003 15:33:27

    Minhas lembranças de meu pai são todas ruins. Mas hoje não o odeio mais; acabei, com o tempo, amadurecendo e ficando generosa em relação a isso. Passei a vê-lo como um ser humano triste que fez muita cagada, que se frustrou em relacionamentos da vida – fato que refletiu (intencionalmente ou não) diretamente no sentimento da família. Mas durante muito tempo não aceitei que justamente MEU PAI teria tais problemas. Nunca gostei de super-heróis.

    A Bêbada | Email | Homepage | 13-08-2003 15:29:55

    Estou morando só a seis meses e há um ano e meio longe do meu papai…morro de saudades mas a distâcia e a vida tendem a nos afastar…é preciso ser mais forte e lutar contra a correria do dia-a-dia…não há um só dia que eu não pense neles, mas sei que ligo pouco…tenho medo disso…medo por que sempre acho, acredito pra valer que eles estarão sempre por perto, mas não é bem assim…. Mafalda adoro seus post…Um abraço…e muita saúde…Jô!!!

    Joelma | Email | Homepage | 11-08-2003 19:50:11

    Meu pai também já morreu, e às vezes eu também queria ter tido uma oportunidade de dizer para ele o quanto eu o amava. Mas acho que meu pai sabia o tamanho do meu amor e sei que o seu sabia também. Desconfio que os pais sempre sabem…

    moonthoughts | Homepage | 11-08-2003 17:36:49

    Pais são maravilhosos… Tudo o que escreveu costuma ser verdade, e guardado em deliciosas lembranças…!!! Tenho ainda meu pai comigo, mas esta tristesa de ñ ter a quem dizer “eu te amo” me acompanha no dia das mães… Adorei sua definição de amor como o “vício mais delicioso do universo”!! Sem dúvida!! Não estou mais preucupada também, era so a coisa do momento, escrevia o post enquanto disia que ele deveria persistir na garota…! Muito obrigada pela visita, vou passar mais veses aqui sim! Não sei se já disse, mas vc merece realmente o título de mafalda crescida!! bjos

    Marcia | Email | Homepage | 11-08-2003 11:18:50

    Nossa, parabéns garota! Seus textos sào demais!!!! É impossível não se emocionar… Descobri seu blog graças ao meu blog favorito (a bebada e o equilibrista), e já me “viciei”; tenho que dar uma olhadinha quase todos os dias. Meu, parece que vc escreve cada texto direcionada exatamente ao que eu estou sentindo no momento… Parabéns de verdade!!! Te mais…

    Nina | Email | 10-08-2003 15:55:02

    Menina do lencinho, é impressionante o seu talento com as palavras. Seus posts são super agradáveis. Desculpe só ter comentado agora. Espero vc lá no meu blog, ok?! 😉 Um grande beijo. :-*

    Mulder/RJ | Homepage | 10-08-2003 10:59:44

    Ah… na sua listinha, faltou uma coisa que nunca vou esquecer, e que só mesmo um pai faz… Ensinar a andar de bicicleta: a gente pedalando e ele segurando atrás e correndo, soltando de vez em quando sem a gente perceber, até a gente aprender. Isso eu não esqueço nunca! 🙂 Gostei do seu blog… foi minha primeira visita a ele. T+. Carla.

    Carla | Email | 10-08-2003 02:45:33

    Curtir

Deixe uma resposta para Luana Borges Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s