AFRODITES INCONFORMADAS

Ok, ok, todos sabemos que a beleza interior é importante. Sabemos também que uma mulher bonita e vazia é uma coisa triste de se ver, uma desgraça. Minha vó diria, “por fora, bela viola, por dentro, pão bolorento”. Mas nós sabemos também que a beleza de uma pessoa é a responsável pela primeira impressão, aquela que, em alguns casos, dizem que é a que fica. Além disso, poucas coisas são melhores do que se olhar no espelho e dizer: “puxa, como estou bonita hoje”. É uma sensação ótima, de poder e conquista, de sucesso, de que você é um projeto da mamãe e do papai que deu certo. Isso, seja antes de um encontro amoroso ou de uma balada, no trabalho, no ônibus, na praia, ou depois de uma fase baixo astral… É tudo. Quase um orgasmo sem sexo.

Antes de pensar no feedback masculino ( e temos que admitir que muito do que fazemos é por causa deles mesmo ), tem algo que faz parte da personalidade feminina. Quase toda moça tem uma avaliadora interna. Ela se parece com o nosso ideal de beleza, seja o estilo que for. A minha avaliadora é uma mulher elegante, madura, mas não tem frescuras; tem uma pele linda, não envelhece, não tem uma grama de gordura extra no corpo e tem o cabelo maravilhoso; se veste impecavelmente bem e confortavelmente, e é cheirosíssima. Tem os dentes perfeitos e brancos, uma morena de enlouquecer qualquer um. Ela é linda.

Tanto faz como seja a avaliadora, e talvez ela mude de cara e de jeito a cada fase da nossa vida. Mas o fato é que, a cada passo do dia onde você se depara com um espelho, com um comentário sobre a sua adorável pessoa, ou mesmo com uma sombra refletida no chão, ela aparece, e conversa com você. Te critica ( agressivamente, sarcasticamente ou amorosamente; o tom da crítica depende do que você acha que merece e do quanto você gosta de você mesma, mas critica ). A avaliadora interna é capaz de te jogar no chão, te atropelar e dar a ré. Ou é capaz de te fazer sentir tão poderosa que faz você flutuar ao invés de andar. Não, não sou esquizofrênica, nem psicótica. Mas a avaliadora existe. E está sempre a postos.

Ela aparece nas horas mais improváveis. Sabe quando você levanta de manhã, com o rosto marcado dos lençóis e o cabelo absurdamente amalucado, com aquela cara de ontem? Ou quando você passa o dia inteiro trabalhando no calor, e, discretamente, dá uma olhadinha no espelho do carro ou na sombra que aparece no vidro do ônibus? Ou quando você acha aquele cabelo branco? Ou quando você ouve um comentário sobre alguém que é maravilhosamente bonita, e percebe que não se parece com ela? Ou quando você se distraiu e colocou uma roupa rasgada? Ou quando você vai tirar a roupa pro seu amado? Ou quando percebe que aquela roupa não cabe mais em você? Sim, essa é a hora. Lá está a avaliadora pra te dar uns conselhos. E pobre de nós, que temos que ouvi-los pacientemente. Chuif.

Se você souber se entender bem com ela, a avaliadora vai te levar a ser uma mulher mais bonita aos seus próprios olhos, e isso depende do que você acha que é belo, do que você gosta de olhar, do que é ser belo pra você. A decisão é sempre sua, inclusive a de mandar a avaliadora calar a boca e se recolher. Não se trata de padrões de beleza, até porque eles são discutíveis. Infelizmente, lidamos com uma coisa chamada mídia. Alguns dão outros nomes pra ela, mas essa entidade demoníaca é capaz de fazer horrores com a vida das pessoas. A mídia trabalha com ideais que foram feitos para não serem alcançados, assim as pessoas vão gastar sempre mais correndo atrás deles. A mídia conta com psicólogos, marketeiros, sociólogos de massa, estatísticos, historiadores, médicos, e outros profissionais que te conhecem bem e estão dispostos a fazer sua cabeça, e, geralmente, eles não são bonzinhos. Fazem você se sentir mal mostrando o tempo todo mulheres perfeitas, que, mesmo que não sejam tão belas, você passa a achar que são. Elas estão em todos os lugares, te bombardeando. E se a gente não tomar cuidado, acabam caindo em cima das nossas cabeças e esmagando nossa auto-estima. Uma mulher que não se ama não se permite ser amada. E uma mulher duplamente mal amada é um ser difícil de se ver e se conviver. Eca eca eca.

É certo que as pessoas normais, normalmente, não são perfeitamente bonitas. As pessoas normais são gordas ou magras demais, têm espinhas, são desproporcionais em alguns pedaços, sofrem com queda ou excesso de cabelos, ficam doentes, têm defeitinhos congênitos, dentes tortos, miopia, sofrem acidentes, erram a mão na maquiagem e na roupa, não acordam penteadas e maquiadas… Enfim, as pessoas normais são normais. E é difícil ser normal num mundo que cultua a perfeição. E apesar do discurso da relatividade da beleza e da beleza interior, boa parte de nós, moças, gostaríamos de ser diferentes do que somos. Gostaríamos de ter o cabelo mais assim, o rosto mais assado, os olhos daquela outra cor, a pele daquele tom, a barriga daquele outro jeito, o corpo com aquelas outras medidas. Algumas de nós sofrem muito com isso ( não é o meu caso, eu sofro só um pouquinho ). E algumas outras movem céus e terra pra ficarem parecidas com a avaliadora, inclusive mega valores em suas contas bancárias. Sem questionamentos e nem julgamentos, cada uma deve saber o que é melhor pra si, e gasta seu dinheiro e sua energia no que traz felicidade. Se de fato estiver feliz, então, tudo ok.

Mas a idéia aqui não é pra falar do incomum, e sim do itinerário… Daquelas coisinhas que todas nós fazemos. Alguns rituais de beleza fazem parte do cotidiano de qualquer moça. Às vezes eles são chatos, doloridos, cansativos. Às vezes não. Independente disso, quando o resultado é bom, a avaliadora sorri orgulhosa e você respira aliviada e contente: estou bonita. E o mundo cai a seus pés. A poderosa é você.

Eu acredito muito que o conceito de beleza é relativo, sim. E acredito mais ainda que há um brilho natural em algumas pessoas que as fazem bonitas em qualquer situação. Aquele brilho que vem de dentro, que vem de uma mulher segura, amada por si mesma e que se aceita, e que está feliz no momento. Esse brilho não dá pra vender em caixinhas de maquiagem, e nem se consegue nas mesas de cirurgia plástica. E faz toda a diferença… Ah, como faz. Esse brilho vem da certeza de que não precisamos ter medo de não sermos desejadas, por que já somos queridas por sermos boas em muitos aspectos. E quando esse brilho está aceso, a gente dá uma mãozinha pra ele vazar mais fácil tentando ficar mais bonita por fora também. Até aí, como dizia o Veloso, tudo bem, nada mal. Fazemos isso mesmo, e precisamos fazer. Se cuidar pra ficar bonita é uma deliciosa loucura. Deliciosa… Mas é loucura. Não é fácil ser mulher.

Aguardem os próximos capítulos.

Abaixo, um trechinho do Manuel Bandeira, que eu acho lindo. Vale a pena ler o poema todo.

Madrigal Melancólico
Manuel Bandeira

“O que eu adoro em ti
Não é sua beleza
A beleza é em nós que existe
A beleza é um conceito
E a beleza é triste
Não é triste em si
Mas pelo que há nela
De fragilidade e incerteza…”

Anúncios

2 comentários sobre “AFRODITES INCONFORMADAS

  1. Oiiii vim aki pq a Sabina me passou seu end……meu eu simplesmente amei o seu texto!!!!nossa…..to sem palavras…eu tb penso assim…hihiihihihih vou vim sempre aki!!!! Bjaum

    Cacau | Homepage | 08-09-2003 18:11:17

    Gostei do ponto de vista da avaliadora. A minha é uma feiticeira terrível. Ela é louca, possa crer… rs. Ah, a coisa de mídia ser uma entidade demoníaca foi ótima. A MTV é um dos demônios-mor… rs

    Sabina | 08-09-2003 10:28:03

    Ixi…. A minha avaliadora interna é tão malvada…… Acho q vc tem razão, tem a ver com aquilo q a gente acha q merece…. As vezes eu me acho horrível, as vezes me acho linda…. É duro mesmo ser mulher. Beijos, seu blog é lindoooooooooooooooooo.

    Mila | Email | 07-09-2003 10:53:52

    Vai parecer papo furado, mas nós, homens, não reparamos em tantos detalhes como vcs. Uma mulher bonita, no conjunto, claro, chama atenção, desperta desejo, e não sei se já estou velho demais pra certas coisas, mas… Isso perde a graça rapidinho, e acabamos vendo a beleza de uma outra forma, que é mais de dentro mesmo. Nem a mídia pode com a profundidade… Vc sabe do q estou falando. 🙂 Beijos.

    Fúlvio | 06-09-2003 23:59:47

    Curtir

  2. nós temos que saber que ninguem muda anatureza humana todos nós somos diferentes fisicamente temos que se conformar com tudo ai teremos susséso o tempo que perdemos com coisas que não tem solução;podemos vivermos oque tem solução.por esemplo cuidar da saude,gostas da vida que tem e de tudo que pertence ao seu corpo porque ?é QUE não esiste melhor somos todos iguais porem um diferente do outro .anatureza é assim e ninguem muda éla.lenbrese se gostar é o melhor que vc pode faser não ligue para ipóctras que não encaram a real EU TENHO UM NOME PARA TUDO ISSO É INCEGURANÇA AS PESSOAS QUEREM CULPAR A APARENCIA PELOS SEUS FRACASSOS.ERGA A CABEÇA E SIGA NÃO TENHA MEDO DE SE ESPOR SEJA VOCE MESMA COLOQUE SUAS IDÉIAS EM PRATICA E NÃO OLHE PARA O LADO VOCE NÃO PRECISA SER LINDA PARA BRILHAR É SÓ SER AGRADAVEL E COMPRIENCIVEL [PAZ DE DEUS]

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s