TUDO QUE SE QUER

Minha afilhada, Débora, filha de uma grande amiga minha, está com 9 meses, e é um bebê lindo.

( Antes que me acusem de ser parcial nesse julgamento, esclareço que não sou daquelas que acham todos os bebês lindos só por serem bebês. Alguns bebês são horríveis, têm cara de joelho e não são nada simpáticos. Mas minha afilhada, não. Ela é empiricamente linda, qualquer hora arrumo um jeito de escanear uma foto dela e colocar aqui pra comprovar minha afirmação. )

Sendo um bebê, além de lindo, muito amado, procuramos fazer pra ela um ambiente de carinho e sossego. Acompanhamos com ansiedade cada avanço de sua ainda curta vida, desde o primeiro sorriso, a primeira sílaba, o primeiro dentinho, o primeiro resfriado, a primeira vez que bateu palmas, que sentou, que reconheceu as pessoas, que estendeu os braços – tudo procurando ampará-la e incentivá-la. Sendo o único bebê por perto, ela é mimada e festejada por todos daqui de casa e das redondezas, os olhos estão voltados para ela. Todos procuramos dar a ela tudo que ela precisa.

Porém, em determinadas horas, ela chora. Chora, chora, chora. Chora sentida, as lágrimas caem, e ela começa a chorar cada vez mais alto. Mamadeira, chupeta, brincadeiras, brinquedos, televisão, música, chocolate, nada resolve. Imagino como deve ser difícil ser um bebê. O sofrimento de um desconforto, seja ele qual for, deve parecer eterno, um verdadeiro inferno, que nunca será resolvido. Até porque, para os bebês, o tempo e a passagem do tempo ainda não existe. Só existe o que estão vivendo e vendo, só aquilo é real. Não há a consciência da alternância da vida entre o prazer e a dor. Por isso, qualquer sofrimento é, de fato, desesperador. E quando aquela coisinha pequena chora desesperada, corremos pra ver o que podemos fazer por ela. E ela continua chorando… Até que uma de nós ( a mãe dela, minha mãe ou eu ) a peguemos no colo e, calmamente, a façamos dormir, cantando, balançando, sorrindo, acarinhando. Olhando-a dormir sorrindo, penso que aquele prazer, aquela segurança que ela experimenta, também é eterna para ela. Ali, onde ela respira profundamente e dorme tranquila, sorrindo, ninguém nem nada de mal a alcança. A mesma inconsciência de tempo que a faz chorar desesperada quando está angustiada, a faz feliz para sempre no momento em que está satisfeita. Ah, a inocência dos primeiros dias de vida… Só não é mais linda porque não é duradoura.

O colo é isso. O passaporte pra essa calma, pra essa felicidade, pra esse sono tranquilo. A certeza do amor e da proteção de alguém. Um coração batendo perto do seu, um afago, o calor do corpo, a voz baixa e macia, a respiração pausada e profunda, o reconhecimento do pulsar da vida nesses sinais vitais – a vida que segue e não está ameaçada, ao menos não naquela hora. O colo tem esse poder. O poder do contato, do carinho, do acolhimento. Olhando a vida com os meus habituais óculos cor de rosa, não consigo ver nada mais importante em um encontro de duas pessoas que a capacidade que elas tenham de dar colo uma a outra.

Com muita gente a gente pode querer ir ao cinema, tomar uma cerveja, conversar, trabalhar, passear, viajar, transar. Mas não é de qualquer pessoa que você quer o colo. E olha que todo mundo precisa de colo. Não importa condição econômica, idade, sexo, procedência, e nem mesmo índole. Até gente ruim precisa de colo.

Você pode ser uma mulher ou um homem crescido. Pode ter conta no banco, automóvel, documentos, responsabilidades no emprego, contas pra pagar, cadastro na Receita Federal, filhos que dependam de você. Pode ter conquistado o seu pequeno mundo, pode ser alguém importante. Pode ter muito ou pouco dinheiro, pode decidir o que fazer da sua vida. Pode ir pra onde quiser. Mas, em algumas noites, pode ser que você passe por um momento de angústia, tenha um sonho ruim, fique preocupado com as contas pra pagar, ou atormentado por um problema que parece invencível. Pode ser que nada consiga aplacar essa angústia – nem um copo de conhaque, nem um programa de TV, nem um telefonema de uma pessoa querida, nem uma barra de chocolate, nem um bom livro, nem uma balada divertida, nem um bom sexo. E aí você pensa que tudo que você queria era o colo da sua mãe, ou do seu pai. Ali, enquanto você estivesse deitado, sentindo ela ou ele mexendo no seu cabelo e dizendo palavras de ânimo, você se sentiria amado, seguro e confortável. Ali você poderia dormir sossegado, sem medo de nada.

Você pode ter um parceiro maravilhoso. Aquela namorada fantástica e invejável, aquele marido cheiroso e carinhoso. Pode ter com essa pessoa um entendimento intelectual incrível, daqueles que evidenciam que vocês combinam em idéias e propósitos. Pode ser louco por essa criatura, ter um desejo incontrolável por ela, e com essa pessoa fazer o melhor sexo da sua vida. Pode trocar com ela segredos e contas pra pagar. E se, além de tudo isso, essa pessoa conseguir perceber que em certos dias, você precisa de alguém que o prenda nos braços e diga, com todas as letras, que você é a pessoa mais especial do mundo… Alguém que te balance e toque seu corpo como quem toca um instrumento delicado e adorado… Alguém que faça sua alma se aquietar e alcançar um lugar alto, muito alto… Alguém de quem as batidas do coração soem nos seus ouvidos e ritmem o seu com a mais perfeita paz… Alguém que num abraço faça o mundo todo mudar de cara… Então, você tem tudo.

Um amigo é uma pessoa com quem você se diverte e com quem pode contar nos momentos difíceis. Mas se, além de companhia, esse amigo souber oferecer um toque de mãos, um olhar carinhoso, uma palavra mansa e um abraço seguro quando você precisa, então, mais que um amigo, você encontrou um amigo de verdade.

Todo mundo tem maus dias. Dias de doença, de desespero, de choro, de tristeza, ou de uma saudade que não tem fim. Todo mundo tem dias de revolta, de incompreensão, de projetos fracassados, de sonhos perdidos, de vontade de ir embora. Todo mundo um dia ou outro, se sente perdido, machucado, cheio de desejos irrealizáveis, de fome, de frio, de medo. Todo mundo tem em que são os problemas que vencem. Dias de perda, de solidão, de desistência. E, nesses dias, nada pode te acalmar – nenhum tipo de mamadeira, nem de brinquedo, nem de chupeta. Nenhum tipo de vício e nem de diversão barata. Nesses dias, só o que pode te impedir de chorar cada vez mais alto e mais sentido, é o colinho de alguém amado. E só as pessoas fortes admitem que são tão fracas que precisam e querem colo, nem que sejam pra dormir tranquilas acreditando na ilusão que aquele contentamento todo é eterno. Pelo menos infinito… Enquanto dura.

Abraço

* Ando numa correria LOUCA, sem tempo de escrever, nem de ler, nem de visitar os amigos… E muito menos tenho tido tempo pra cuidar da transferência da Mafaldinha pro endereço.com.br. Mas em breve estarei de volta à normalidade… Pelo menos assim espero. Aguardem e verão a minha nova casa. :-))))))

* Pra todo mundo que perguntou como se faz pra ter um endereço próprio longe do Blogger, sugiro que leiam este post, bem didático, do meu assessor para assuntos cibernéticos preferido. Espero que, seja em que hospedagem for, os bons blogueiros não desistam de postar cada vez mais, e melhor.

Anúncios

Um comentário sobre “TUDO QUE SE QUER

  1. Que bonita a reflexão que vc desenvolveu a partir de sua linda afilhada – ou melhor, “empiricamente linda”. Adorei isso! rs. Qdo puder coloque mesmo a foto dela aqui para termos o imenso prazer de vê-la. 🙂 Beijos.

    Beta | Email | Homepage | 23-03-2004 13:33:51

    Verdade. Eu mesma sou uma dependente de colo. Adoro o contato físico com as pessoas. Infelizmente, a cada dia, as pessoas fogem mais e mais de qualquer contato. Beijos Felicity

    Felicity | Email | Homepage | 23-03-2004 12:33:17

    fazia tempo que não aparecia a qui, mas sempre que venho, dá vontade de ficar e ler tudo… pena eu não ter tanto tempo… sobre colinho, eu também quero um! beijos, aguardo o endereço de sua nova casa…

    Joyce | Homepage | 23-03-2004 10:41:07

    Só melhor que ter um colo é saber que tem colo para oferecer para alguém. Sermos gratos pelas pessoas que nos permitem as ajudar é sabedoria… []S

    joão | Email | Homepage | 22-03-2004 21:35:48

    Dinda coruja, liberaram os meus blogs…;)))

    GH | Email | Homepage | 22-03-2004 20:50:57

    Finalmente hoje volto a ter internet. Passarei aqui com mais cuidado depois. Beijos e saudades.

    Arquimimo Novaes | Homepage | 22-03-2004 18:48:12

    post grande, tenho q ler com calma… boa semana

    Ari Jr. | Email | Homepage | 22-03-2004 18:27:18

    Sou apaixonado por crianças – por bebês em especial – daqueles que não podem ver um infante em shoppings ou pracinhas e logo vai sondar da mãe quantos meses tem o neném, signo e coisa-e-tal. Vou ser um pai babão, e meu filho certamente será a criança mais amada do mundo, ao menos por mim (risos). Adorei esse post, Mafalda. Beijos imensos pra ti.

    SÍNDICO | Email | Homepage | 22-03-2004 17:56:46

    Fiquei quase sem fôlego com a lista de coisas… nossa… essa lista me fez visualizar tudo o que estou sentindo neste momento com a Florzinha… SUPER LEGAL!

    Ruben Zevallos Jr. | Email | Homepage | 22-03-2004 14:08:32

    Quero colo tbm….rs… bjos.

    Le Chef | Homepage | 22-03-2004 12:10:20

    Miguinha, ter colo é realmente um privilégio, um pedacinho do céu. O seu é cheio de carinho e esperança. E a bebê-afilhada é uma graça mesmo, publica uma fotinha sim!:-)

    Taty | Homepage | 22-03-2004 03:38:10

    Ah, Karina, que saudade do seu colo, sempre tão aberto pra todos que te amam, e que saudade do seu jeito meigo de pedir carinho, e aceitar essa troca. É tão gostoso te abraçar. Lindo o texto, na minha solidão, nesse frio terrível… Foi a coisa mais linda que eu já li em tempos. Bjos, te adoro.

    Ful | Email | 21-03-2004 22:14:42

    Eu tenho uma imensa paixão por crianças, quero mais que tudo ser mãe, sentir essa criaturinha dentro de mim e depois em meus braços, mas por enquanto me contento em observar os bebês alheios

    Di | Email | Homepage | 21-03-2004 22:08:08

    Pois eu sou suspeito… curto os nenéns, hehe bjos!

    SlothSam | 21-03-2004 20:42:08

    Espero que essa inspiração não se acabe! Já é a terceira vez que resgato lembranças maravilhosas embalado pelos teus textos maravilhosos. Obrigado Mafalda, obrigado Karina! Beijos!

    alan davis | Homepage | 21-03-2004 14:01:55

    Minha linda e querida amiga! Não duvido um minuto de que essa criaturinha seja linda mesmo. No mais…QUERO COLO!!!!! Adoro sua colocação e harmonia nas palavras. Meu blog tá lá! Assim espero!!! Essa Internet e o blogger estão doidos! Mas tá tudo lá sim. Beijos Karina, querida…

    Mônica | Email | Homepage | 21-03-2004 08:41:01

    Seu dom de manipular as palavras como um quebra cabeças de encaixes perfeitos sempre me surpreende! Sou sua fã… e meus comentários aqui são sempre muito parecidos: “Belo post”, “Lindas palavras”, “Fantástico”…. 🙂 Bjin!

    Carlinha | Email | 21-03-2004 02:21:12

    Tudo que eu queria era ainda ser criança, tia. Rs… As coisas não eram complicadas assim não! Tb tô sem tempo, amiga e isso me deixa completamente irritada! Saudades de vc! Beijos =)

    Ragazza Pazza | 21-03-2004 02:07:17

    valeu pelo coment, vc eh mto legal “moça”! realmente alguns bebês são lindos, mas deve ser horrivel as vezes! ainda acho a minha prima a mais linda… faz tempo q nao comento aqui, mto ocupado, bjus pra vc, apareço mais prometo

    kalluf | Homepage | 20-03-2004 23:01:15

    Os colos são os ninhos da gente. E é bom nos sentirmos acohidos não é? um beijo e desculpa o sumiço….

    Taís | Homepage | 20-03-2004 22:35:35

    Kero ver fotinhas dessa criancinha linda 🙂 beijinhos, miga, estou só de passagem.

    Sabina | Homepage | 20-03-2004 21:51:11

    Concordo, concordo, concordo… os melhores amigos, os melhores amores são os que têm a capacidade de nos oferecer o colo ! Beijos, Mafalda !!…

    Deize | Email | Homepage | 20-03-2004 21:40:09

    Que bonito você escreveu sobre o colo. É isso mesmo, e quando estamos carentes dizemos logo “tô precisando de um colinho”. Parabéns pelo belíssimo post. Beijos.

    Helô | Homepage | 20-03-2004 21:25:58

    Nossa… acho que to sériamente precisando de colo… amei o post, Kari! E amei seu comentário no meu blog! Thanx!!!!!!!!! Bjões!!!!!!!

    Vivi | 20-03-2004 18:16:26

    Por isso estamos sempre querendo voltar a ser crianças. Quanto ao bebê, realmente é mágico acompanhar o início de uma vida. Não vejo a hora de acompanhar o meu bebê…

    Carol&Nando | Homepage | 20-03-2004 18:04:43

    Colo é mais gostoso que travesseiro de pena de ganso. Beijo na Débora.

    André Gonçalves | 20-03-2004 17:52:39

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s