BRAVE HEART

BRAVE HEART

Coração Partido

Este é para os solteiros.

Tenho muitos amigos, e, como dizia o Renato Russo, os celebro todo dia. São pessoas ótimas, porque já passei da fase de me obrigar a aturar gente ruim. Não são bandidos, gente honesta, que sabe rir, sabe brincar, sabe ajudar, sabe chorar. Pessoas que estão na luta pra ser alguém melhor todos os dias. Muitos deles são bonitos, e nenhum deles é uma aberração de feio. Homens e mulheres, gente legal, gente difícil, com ou sem dinheiro, gente de 15, 25, 35, 50, 65 anos, que trabalha nas mais diversas profissões. Gente como eu. E ultimamente, a maior parte deles me vem falar do mesmo assunto, incessantemente, sempre que me vê ou conversa comigo. “Mafaldinha querida, a coisa que eu mais quero na vida é ter alguém pra amar e ser feliz. Mas não consigo.”

As razões são as mais diversas possíveis. Sou traumatizada. Não gosto de compromisso. Não consigo dividir. Só acho homem canalha. Não tenho tempo pra relações românticas, trabalho demais e é assim mesmo. Estou esperando a pessoa certa. Ninguém consegue balançar o meu coração. Ele é egoísta. Ela é inconstante. Ele é galinha. Ela é fútil. Ele liga demais. Ela liga de menos. Já fui muito magoada. Não confio e nem acredito mais. Não suporto mais, mas já me acostumei com ele. Posso viver melhor sem. Não tenho paciência. Ninguém se enquadra nos meus critérios. Nenhum deles presta. São todas vaganundas. Tenho um, mas queria ter vários. Tenho várias, mas no fundo não tenho nenhuma. O mundo é cruel. As pessoas são más. E ninguém me ama, ou pelo menos parece que quer me amar. E assim seguimos, todos procurando. Mas ninguém acha ninguém.

Por trás de todos os discursos, engraçadinhos, sofridos ou articuladamente racionais ( inclusive o meu ), dá pra ouvir nitidamente a mesma lógica. Tenho um medo terrível de me envolver; porque, pra me envolver, preciso me expor. E se me expor, posso ser machucado demais. E fungindo da dor, vamos nos metendo em confusões cada vez piores, armadilhas cada vez mais sofisticadas. E deixando doer cada vez mais, afastando o que mais queremos ter. E quero ver quem prova que estou errada.

Essa coisa de felicidade no amor é um prêmio pros corajosos. Precisa muita coragem mesmo pra amar. Coragem pra dar sua cara a tapa, correndo sérios riscos de levar um safanão. Não é pra qualquer um mesmo.

Essa coisa de amor dá muito trabalho. Gasto de dinheiro, noites em claro. É muito difícil aturar as manias dos outros. Se coloca em xeque os preconceitos, as idéias pré-concebidas. Muitas vezes, tem que se fazer escolhas difíceis. Outras muitas vezes, tem que se ser sensível o suficiente pra perceber as necessidades do outro e considerá-las, ainda que sejam contrárias as suas. Há que se abrir mão de muita coisa também – de paquerar todo mundo a qualquer hora, de programinhas antigos, de velhos passeios, de pessoas, de hábitos, de objetivos. E, o mais difícil – tem que se aprender a mudar! Mudar, sim. Porque todo mundo muda. E quando a outra pessoa muda, ou a gente muda junto ou deixa ela se afastar. E pra mudar, se mexe em feridas que muitas vezes dóem. E lá vai mais esforço… E tudo isso por algumas horas de felicidade. Não parece muito rentoso.

A verdade é que a gente paga um preço pra amar alguém. E paga também um preço pra ficar sozinho. E, pensando que o preço de amar é muito alto, acabamos esquecendo que ficar sozinho também não é nada fácil. Assim como a adrenalina da paixão é viciante, também é viciante a apatia da solidão. E assim, vamos ficando cada vez mais defendidos, mais cheios de manias, nos apegando a esse monte de coisas que conquistamos e que são boas, sim, mas não completam. Tsc.

Amigos, eu que tantas vezes os escuto atenciosamente e calada, e tantas outras vezes falo sem saber o que estou dizendo… Pensei muito e acho que é hora de nos mexer, que sem esforço não vai rolar nada mesmo.

Primeiro, limpar a vida dos amores mal resolvidos, mágoas, medos infundados, sonhos impossíveis, pessoas que só querem acabar com o que temos de bom. Mandar toda essa gente pro seu devido lugar, bem longe, acomodados no nosso passado, ou longe da nossa vida, e deixar um espaço livre pra alguém legal chegar.

E depois… Parar com os discursos de que nossa integridade pessoal está acima de tudo. Está nada. E parar com esse papo de que nos bastamos sozinhos. Balela. A verdade é que quem não tem alguém não pode ser feliz de verdade. Parar de ter vergonha de se expor, vergonha de acariciar, de falar, de tocar, de rir, de comer perto, de tirar a roupa, de se soltar na cama e fora dela. Parar de interpretar um papel e de ficar tentando adivinhar o que o outro espera de nós. Parar de ficar vendo pêlo em ovo, e simplificar as coisas. Dar um jeito de nos livrarmos dessas velhas manias bobas que estamos criando, de achar que tudo tem que ser perfeito, de ficar esperando alguém que preencha nossos requisitos, de ficar sonhando com o príncipe ( ou princesa ) encantado, de ficar cheio de dedos pra falar de sentimentos e tentar, quantas vezes for necessário, até criar uma casca mais grossa. Precisamos crescer e aparecer. E parar de nove-horas. Parar de nos apegar a preconceitos estéticos, práticos e morais que são uma desculpa pra não amar de verdade. É isso, ou assumir logo que preferimos ficar sozinhos e pronto, deixando de choramingar na frente do espelho. É isso ou não vamos parar de ficar correndo atrás do próprio rabo. Pra isso, claro, vamos precisar de coragem.

Eu não tenho ainda. Mas vou dar um jeito de ter, nem que seja aos poucos. Ah, se vou. Me aguardem.

E só pra não perder a mania de citar…

“Tem gente que ama, que vive brigando
E depois que briga acaba voltando
Tem gente que canta porque está amando
Quem não tem amor leva a vida esperando

Uns amam pra frente, e nunca se esquecem
Mas são tão pouquinhos que nem aparecem
Tem uns que são fracos, que dão pra beber
Outros fazem samba e adoram sofrer

Tem apaixonado que faz serenata
Tem amor de raça e amor vira-lata
Amor com champagne, amor com cachaça
Amor nos iates, nos bancos de praça

Tem homem que briga pela bem-amada
Tem mulher maluca que atura porrada
Tem quem ama tanto que até enlouquece
Tem quem dê a vida por quem não merece

Amores à vista, amores à prazo
Amor ciumento que só cria caso
Tem gente que jura que não volta mais
Mas jura sabendo que não é capaz

Tem gente que escreve até poesia
E rima saudade com hipocrisia
Tem assunto à beça pra gente falar
Mas não interessa o negócio é amar… ”
Carlos Lyra e Dolores Duran

“Quem não ama demais não ama o suficiente.”
Shakespeare

32 comentários sobre “BRAVE HEART

  1. Pô Kari, que tapa na cara… Mas no meu caso é merecido. Eu ando mesmo muito cheio de manias, mas não aguento mais ficar sozinho, sentindo minha vida passar sem ter alguém pra dormir no meu colo. Vou imprimir isso aqui e reler várias vezes, acho que tudo que vc disse é pertinente e merece ser bem pensado. Beijão pra você, mulher irresistível ( mesmo quando fica assim brava, *rs ).

    Curtir

  2. Descobri que eu precisava conversar… precisava de uma amiga sensatamente louca pra me dizer todas essas coisas… meeeeeeeeu, parecia q eu tava numa mesa passando por uma autópsia… q doido… e citando o Betinho, “Que tapa”… Amei, amei, amei… E vou falar isso pro meu namo fofo… Brigada… muitão!

    Curtir

  3. Belo post! E é isso mesmo! Primeiro apagar os amores passados e mal resolvidos e para isso, nada melhor do que um novo amor!
    Tô procurando também alguém que me arrebate! rs… mas tá difícil hein… só querem “aquilo”, não que “aquilo” seja ruim… mas não é tudo!
    Beijos!

    Curtir

  4. Tudo o que eu pensei nesse fim-de-semana você escreveu! Muito bem escrito, como sempre! Só que eu…feliz ou infelizmente, isso ainda não sei…estou do lado das pessoas estúpidas que têm coragem de amar de verdade. E, minha busca, é infinitamente maior,pq, como vc bem disse…a maior parte das pessoas têm medo. E isso me entedia e me desestimula tanto!! Mas, em algum lugar eu encontro alguém! eu torço para que vc encontre tb! Beijos

    Curtir

  5. Fui do time dos medrosos durante muito tempo. Relacionamentos carregados de “end” antes mesmo de começarem. Um dia percebi o que só eu não enxergava e decidi que queria ser feliz. Ponto. Simples assim. E foi. Hoje ao lado de minha “Criatura” gêmea, vejo que tudo é uma questão de escolha. Nossa, e não do destino ou do outro. Beijos.

    Curtir

  6. MAFALDA >>> Sei bem o que é isso. O consolo é que, quando a gente menos espera… surge alguém que muda nossa vida e faz a gente acreditar que realmente Deus têm um bom humor e só estava testando a nossa paciência. Um grande beijo e muita sorte: não apenas no setor amoroso, mas em todos os campos da tua vida.

    Curtir

  7. Eu sei q sou um desses q enche a sua orelha com todos esses discursos, Karizinha. Acontece q vc é sempre doce, inteligente e ótimo papo. Então vamos continuar enchendo. Ehehehe.
    Eu acho uma injustiça eu estar sozinho, ou me metendo com a pessoa errada, vc então, nem se fala, merecia um príncipe, se isso existisse. Acho que tem 50% que depende da gente, e o resto não tá mto na nossa mão. Pelo menos é mais fácil pensar assim. E deixa eu parar que minha cabeça tá doendo só de pensar nisso tudo q vc escreveu, ehehe.

    Bjo, queridona. Por menos q vc queira, no fundo vai sempre ser uma romântica incurável.

    Curtir

  8. Miga querida, ainda e sempre aprendendo a amar, descobri o que você postou aí: é uma entrega, é deixar alguém conhecer minhas estranhas manias, invadir meu coração medroso e acostumado a ir pelo caminho que eu acho mais simples, e que achava melhor – o de não se envolver.
    Coragem pra arriscar foi realmente horrível de se arranjar, hehe. Mas hoje, vendo o que passou, e independente do que venha, chegamos ao que todo mundo sabe, mas às vezes disfarça: amar não é nada fácil, porém vale a pena, sempre.
    Obrigada por me ajudar a ver isso ao longo dos anos que conversamos sobre as “novelas mexicanas”.;-)

    Beijocas!

    Curtir

  9. É! Isso aí! Não sei se já falei minha ‘teoria’ por aqui. Tudo tem seu lado bom e seu lado ruim (todo mundo sabe disso). O lado ruim de estar só é melhor que o lado ruim de ter alguém. Só que o lado bom de ter alguém, é infinitamente melhor que o lado bom de estar só. Colocando na balança, eu prefiro ter alguém. Por que num tenho? Chuif…

    Curtir

  10. Ps pra Zé Mário:
    Vi no comment do último post que vc escreveu: “Carlinha, bom te ver comentando por aqui”. E agora eu digo: Zé, bom ver você comentando que é bom me ver comentando!!!! 🙂
    Bjo.

    Curtir

  11. Adorei conhecer seu blog…também adoro a Mafalda…também sou canceriano sem lar…também gosto de citações…alias essa é pra vc…
    Ainda que eu falasse a língua do homens.
    E falasse a língua do anjos, sem amor eu nada seria.

    “Monte Castelo”

    É só o amor, é só o amor.
    Que conhece o que é verdade.
    O amor é bom, não quer o mal.
    Não sente inveja ou se envaidece.

    O amor é o fogo que arde sem se ver.
    É ferida que dói e não se sente.
    É um contentamento descontente.
    É dor que desatina sem doer.

    Ainda que eu falasse a língua dos homens.
    E falasse a língua dos anjos, sem amor eu nada seria.

    É um não querer mais que bem querer.
    É solitário andar por entre a gente.
    É um não contentar-se de contente.
    É cuidar que se ganha em se perder.

    É um estar-se preso por vontade.
    É servir a quem vence, o vencedor;
    É um ter com quem nos mata a lealdade.
    Tão contrário a si é o mesmo amor.

    Estou acordado e todos dormem todos dormem todos dormem.
    Agora vejo em parte. Mas então veremos face a face.

    É só o amor, é só o amor.
    Que conhece o que é verdade.

    Ainda que eu falasse a língua dos homens.
    E falasse a língua do anjos, sem amor eu nada seria.
    Renato Russo

    Um beijo no seu coração…prazer em te conhecer…

    Curtir

  12. Que post! Bem, vamos por partes. Fui um solteiro irrecuperável até os 29 anos. Conheço todos aqueles discursos que enfileiraste (Há um errinho de digitação em “vagabundas”). Cheguei a odiar crianças. Um dia, veio o famoso relógio biológico e mandou-me ter filhos. Era urgente! Fiquei 15 anos dentro de um casamentozinho pobre, pobre, paupérrimo, no qual minha única admiração pela outra era sua capacidade intelectual… A festa, a felicidade, a plenitude, o encontro, a harmonia, toda esta coisa ideal, inatingível e inexistente para o jovem cético, só passou a existir na maturidade, começou em meus 45 anos. Pense bem, tens 27!!! És uma criança. Calma, ainda há tempo e vais criar coragem. Uma vez, numa destas noites de conversa, eu e a Claudia – um tanto bêbados e rindo sem parar, a Claudia está no terceiro casamento, eu no segundo – criamos um método de auto-ajuda para casais: para dar certo é preciso ter (1) paciência e tolerância médias, principalmente para assuntos para nós fúteis(2) amizade, (3) química funcionando a pleno, (4) interesses e lazer – grande parte ao menos – em comum e (5) – FUNDAMENTAL! – manter sempre o guichê de desistências aberto, uma pessoa razoável e inteligente tem que sentir-se livre para ir embora a qualquer momento.

    E olha, este papo de privacidade só funciona quando vamos ao banheiro e o de integridade… quem disse que precisamos nos retalhar e mudar conviccções e atitudes para receber alguém?

    Bom, escrevi um post, né? A culpa foi tua! Sorry.

    Beijo.

    Curtir

  13. Oiii Karina,e ai td bem?(espero q sim)
    Seu site fikou mtu mtu mtu lindu e mtu especial…
    Eu vi q vc comentou no meu blog,obrigada.
    VC falou das usas amigas de 15,25,35 e 50,mas esqueceu das de 14….he he….
    Possu dizer pra vc q até acho q estou passando por essa fase,mas como apesar da gente se ver todos os dias eu nunca consegui falar com vc então quase ñ sabemos da vida da outra,ainda bem q os blogs e os sites nos sauvam,ehim?!!
    T.adoru mtaum
    mtus bjus
    **Lí…Li**

    Curtir

  14. Amiga:
    Adorei cada palavra, principalmente o que nos transfere um pouco dessa responsabilidade de não nos envolvermos, esse orgulho besta e esses preconceitos nojentos que grudam na gente e nos deixam parados na vida, mas o mais incrível foram os comentários que li. Você viu quanta gente também está numa situação difícil como a gente!!! É…gente como a gente!!!! que dureza…
    um beijo, Alê

    P.S.: Tomei coragem e mandei aquele e-mail pro meu Doido com algumas cositas mais e segui o seu conselho de jogar a bola pra ele também…Que mania a gente tem de controlar tudo, de não deixar espaço pro outro dizer sim ou não, tudo por medo do Não…

    Curtir

  15. oi Mafalda. Eu sou meio atrevida ( para não dizer inteira) nessa história de amar, de levar tapas na cara , de me arriscar. Nunca tive medo. Tive minhas desilusões,mas acho normal.
    Sou uma louca, louca para amar de novo.

    Beijos

    Curtir

  16. Ká, o tempo me ensinou a ser mais prática com essas coisas. Relacionamentos não dão certo, então temos que nos cuidar sim. Não é defesa, é experiência. A vida me deixou mais esperta depois de tantos tombos, e eu sei que você que já levou muitos também já está mais esperta.

    Vou continuar sozinha sim. Eu sei que você diria que é amargura minha, me daria uma bronca desse seu jeito meiguinho, mas é o que eu sinto hoje.

    Um lado meu torce pra mudar de idéia… E lendo o seu post, esse lado meu chorou.

    Brigada por me escutar sempre essa sua miga chata.

    Beijo!

    Curtir

  17. Nossa! Adorei esse post… tapão na cara,querida! Eu tb tenho meus problemas com o amor, e tb tenho que aprender várias coisas, continuar tentando… Essa música do Lyra é fantástica!! Adorei! bjinhos

    Curtir

  18. Me surpreendo a cada dia com o timing dos seus textos. E este não poderia ter vindo em melhor hora pra mim. Concordo com tudo o que disse e procuro também achar no fundo de mim a tal coragem pra ter alguém que é, na verdade, o problema de todos que reclamam da solteirice. Se estivessem realmente felizes, não reclamariam, certo? Mas, de todas as suas frases, destaco “Parar de ficar vendo pêlo em ovo.”, porque, além de ter me arrancado risos – há tempos não via essa expressão -, é uma síntese e tanto. Continua escrevendo assim que muita gente vai largar o divã, incluindo eu! Beijocas! 🙂

    Curtir

  19. Cadê a tecla “aplauso” daqui, hein???

    Minha amiga, você mandou MARAVILHOSAMENTE bem!!!

    Solidão vicia, sim, como qualquer droga e é algo difícil de se largar. Comecei hoje uma nova fase, quero me dar essa chance, embora o medo ainda esteja me rondando.
    O negócio é respirar fundo e encarar a vida. Ninguém é feliz sozinho.

    Obrigada por esse post. Acredite-me: veio na hora certa.

    E felizmente, voltei. E espero que dessa vez, o computador não me deixe mais na mão.

    Beijo grande

    Curtir

  20. Excelente ! É isso aí… sair da casca e enfrentar a vida e amar tudo que se tenha direito ! A música do Carlinhos com a Dolores foi um fecho de ouro ! O negócio é mesmo amar !
    Beijos, Mafaldinha!

    Curtir

  21. Sabe, queria te dizer uma coisa: Não pense jamais em ficar sozinha. Você não seria feliz, e estaria privando alguém de ser. O homem que tiver o privilégio de ter uma mulher como você, sem dúvida alguma será abençoado por isso. Todas as vezes que ficamos juntos, sei que fomos muito felizes. Infelizmente por razões que só a vida sabe (talvez nos encontramos na época errada…) não deu certo pra nós. Mas não quer dizer que tudo acabou. Você com certeza vai ser muito feliz com alguém e esse alguém muito, muito feliz mesmo. Você é uma mulher única. Sei que seria feliz ao seu lado. E sei que a vida te prepara algo (alguém) muito melhor. Mesmo assim te amo. E sempre te amarei. Nunca vou te esquecer. Um beijo, para uma grande mulher, uma grande amante, uma grande amiga.
    (preciso assinar ??)

    Curtir

  22. Encontrei um cantinho onde me reconfortar… onde encontro pessoas com problemas amorosos como eu… no fundo o que preciso mesmo é desabafar… tal como tu, já sofri mto, mto mesmo… aliás, 7 anos depois de ter acabado com o homem e amor da minha vida ainda sofro por isso… esta prisão consome-me e deixa-me de rastos… já tentei de tudo e nada faz apagar a dor que carrego dentro de mim. Ao fim e ao cabo, como diria Arnaldo Jabôr, é um “Amor mal resolvido”.

    Queria voltar a ter 10 anos de idade, tempo esse em que não havia problemas e tudo era superficial… nada doia, nada fazia mal… Alguém tem uma fórmula para esquecer o passado? ou pelo menos minorar as dores? não, não basta um comprimido.

    Beijos e desculpem este pequeno desabafo.

    Força a todos os que sofrem por amor. Rute

    Curtir

Deixe uma resposta para Deize Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s