PESSOAS OU PERSONAGENS? – PARTE II – HORÁCIO, O FILÓSOFO

PESSOAS OU PERSONAGENS? – PARTE II – HORÁCIO, O FILÓSOFO




Meu pai era um homem muito complicado, e a relação dele com a minha mãe, complicada ao cubo. Há muitas más ( más não, péssimas ) lembranças do rolo que foi a nossa família quando eu e meu irmão do meio éramos pequenos. Muita mágoa, muita briga, muitos machucados. Mas com o tempo, a maturidade e a cura de certas feridas… Comecei a ver o que de bom dele tinha ficado comigo, lembranças que tinham simplesmente sumido durante a minha adolescência. E, fora os carinhos, os sorvetes, as brincadeiras, as fotos e tudo o mais, uma das melhores coisas que meu pai me trouxe foram os gibis da Turma da Mônica.

Ele trabalhava com os fotógrafos da Editora Abril, na Revista Placar. Ajudava a organizar o acervo de fotos, escolhia algumas de acordo com a matéria, e ajudava no levantamento de imagens, numa época que Internet era apenas um sonho doido futurista. Trabalhando lá, vira e mexe, trazia para casa caixas e caixas de revistas, para minha mãe e pra nós. Meu irmão não curtia ler, mas eu adorava cada gibi que ele trazia, e ele também adorava mostrá-los e ler pra mim. Minha mãe, gerente de banco, prática, observadora, também incentivava que eu lesse, mas não era a mesma coisa… Para ela, isso era apenas um investimento para que eu ficasse mais inteligente, ou uma maneira de me manter quieta por uns segundos; era dele essa coisa lúdica e mais profunda da leitura e da música. Me lembro que quando ele me levava na editora, eu simplesmente delirava vendo tanto papel, tanta gente concentrada e aquele barulho ensurdecedor das máquinas de escrever, e quando me lembro disso, penso que é uma pena que eu não tenha levado adiante o sonho de ser jornalista. Era meu pai também quem trazia pra casa os discos com as poesias do Vinícius de Moraes, e aqueles almanaques gigantes cheios de informações. Tínhamos um orgulho danado quando o nome dele saía nos créditos da revista, mesmo que fosse pequenininho e num cantinho: “Pedro Álvares Cabral – acervo fotográfico” ( sim, meu pai se chamava Pedro Álvares Cabral… Aceito resignada as gozações ).

Quase me perdi no meio das lembranças, que eram só para contar como descobri o personagem que mais adoro na vida, o Horácio ( sim, eu o adoro mais do que a própria Mafalda rs ). Desde pequena, era ele o dono do meu coração, ainda que eu achasse muita graça no caipirês do Chico Bento ou na braveza da Mônica.

Horácio é um filhote de dinossauro que representa a sacada mais filosófica do Maurício de Sousa. Por mais de 30 anos, foi ele mesmo quem desenhou todas as histórias do personagem, pessoalmente, e sozinho. Dá para ver o carinho especial que o autor da Turma da Mônica tem pelo Horácio na quantidade de produtos e no destaque que é dado a ele em todas as produções da turma, ainda que as histórias nos gibis sejam raras. Pode-se ler muitas tirinhas clicando aqui.

Meigo, observador, companheiro e muito sensível, Horácio perambula pelo mundo antigo sem pressa. A ele só interessa fazer duas das coisas mais difícieis e ao mesmo tempo mais maravilhosas que há para se fazer: PENSAR e SENTIR. Ele gosta de alface, e tem uma namorada, Lucinda, de quem foge, apesar de amá-la muito. Há também os amigos – Tecodonte e Pterodáctilo Alfredo, que é o protaginista dessa tirinha linda que está aí embaixo. Sem saber de sua origem, passa muitos de seus dias procurando sua mãe, e lamentando a falta dela. Gosta de dar conselhos e ser simpático com todos, ainda que de vez em quando tenha acessos justíssimos de raiva e sarcasmo.

Metafórica e sutilmente, aqueles assuntos difíceis ( mas necessários ) de serem tratados com as crianças eram expostos naqueles desenhinhos. Nas tirinhas do Horácio, eu e meu pai líamos sobre tudo – morte, ausência, medo, falta, indignação, amor, humor, desigualdade, saudade, preconceito, beleza, relatividade, pensamento, Deus, admiração, apatia… E principalmente a importância de olhar para tudo a nossa volta com olhos atentos e cheios de vontade de aprender. Não é à toa que esse dinossaurinho tem os braços minúsculos e os olhos enormes. Nunca conversávamos sobre o conteúdo das histórias. Meu pai era um homem simples, que estudou pouco, e talvez não tivesse palavras bonitas pra me dizer. Mas também não precisava. As histórias, em si, já eram tudo o que eu precisava, presentes lindos que ele me dava todas as semanas e que fazem parte de mim até hoje.

Hoje, 20 e tantos anos depois, eu ainda leio o Horácio, e aprendo com cada historinha como se ainda fosse uma criança descobrindo o lado bom e o lado cruel do mundo. Mas se há uma coisa que é fascinante nesse personagem, é o otimismo. Mesmo quando sofre, mesmo quando se desaponta, mesmo quando não sabe o que dizer ou fazer, ele sempre tem algo de esperançoso ou alegre pra dizer no quadrinho da palavra fim. E não se trata de uma questão de ingenuidade, mas sim de inocência; mesmo conhecendo o mundo falho como ele é, ele prefere acreditar no lado bom das pessoas e da natureza. Vida longa ao Horácio que há dentro de nós… Muito longa.




EXPEDIENTE

* O contador voltou, e estamos no número 14 020… Começa a contagem regressiva para o visitante 15 000. O felizardo ou felizarda vai ganhar um presente surpresa, um cartão e, se morar em Sampa, um jantar pago num lugarzinho gostoso e/ou um cineminha na faixa. rs Mas não precisam correr… Ainda falta muito. Hehe.

* Obrigada ao Andy, que me ajudou com a edição de imagens deste post. 🙂

* Mesmo sem saber direito o que é isso, também faço parte do Orkut; faz tempo que este moço me convidou, eu topei… Mas ainda não sei mexer nas ferramentas do programa. Uma hora eu aprendo… Quem quiser me cadastrar, esteja à vontade. 🙂

* Vi que algumas pessoas me cadastraram no msn messenger através do email mafaldacrescida@hotmail.com. Na verdade, uso pouco esse email, e menos ainda acesso o messenger por ele. Por isso, quem quiser me achar, pode me cadastrar no meu outro email, karicabral@hotmail.com , e qualquer hora dessas conversamos em tempo real, o que será um prazer.

35 comentários sobre “PESSOAS OU PERSONAGENS? – PARTE II – HORÁCIO, O FILÓSOFO

  1. Karizinha, vc e o Horácio tem absolutamente TUDO a ver, já te disse isso, sempre lembro de vc quando leio. Adorei as suas lembranças, e te digo, vc deveria sim ter se tornado jornalista.

    Fiquei feliz de saber que vou ganhar cinema e jantar na faixa, pq sou EU quem vai ganhar dessa vez, ehehehe. Se não ganhar a gente marca de sair mesmo assim.

    Bjo, te adoro, boa semana.

    Curtir

  2. Também li gibis pra caramba na infância… “Tarzan”, “Super-Homem”, “Batman”, “Mandrake”, “Fantasma”, “Tio Patinhas”, “Luluzinha”, “Riquinho”, “Bolota”… ih… uma infinidade…,muitos vc nem deve ter nem ouvido falar. (Depois apaga esta parte do coment tá?… rs)

    Sabe o meu nome verdadeiro? Então você pare de dizer que ama meu namorado Horácio! Eu só não consigo entender porque ele foge tanto de mim… rs…

    Beijos!(se vc rir, vou rir tb do nome do teu pai… rs…)

    ass: Lucinda

    Curtir

  3. Nunca um personagem me pareceu tão bonito e fascinante quanto depois de sua análise. Tb adoro o Horácio e passarei a prestar mais atenção a ele.
    Um GRANDE beijo para vc com todo o carinho do mundo. :-***

    Curtir

  4. Meigo… Doce… Inteligente… Observador… Profundo… Positivo… Com quem será que o Horácio parece, hein? De onde vem essa identificação? Oras, ele é adorável, como vc.

    Lindas as transcrições das suas lembranças.

    Se eu ganhar o concurso dos 15.000, vc vem pra cá jantar comigo? Hein, hein??? Vou torcer pra ganhar!

    Bjo… Pra vc, pra Carlinha e pra Taty. 🙂

    Curtir

  5. Kari… este post me emocionou de um jeito que não acontecia há tempos… amei essa viagem à sua e por tabela à minha infância… Parabéns pela forma doce com que escreve… beijos enormes!

    Curtir

  6. Oi Mafalda,

    Puxa! Brigadão pelo comentário e estamos bem, mas também estamos passando por algumas turbulências… mas vai passar…
    Relacionamento a dois é realmente complicado, principalmente quando os casamentos tem outro fim fora a felicidade a dois.
    Eu AMO minha namorada e quero somente a sua felicidade… e isso me faz muito feliz!

    Curtir

  7. Ô fofa, eu ainda vou te dar aquele Horácio de pelúcia que vc tanto quer, pode esperar. Tô sem pc de novo, mas deu pra passar e dizer que estou com saudades de te ler, vc é viciante.

    Bjo pra vc… E pra Carlinha, um bjo mais quente que o xoxo-pão do Fúlvio manda.

    Curtir

  8. Karina,
    Vc é uma das pessoas mais especiais que conheço nesse mundo virtual. Com vc me emociono, rio, viajo…
    Voltei no tempo agora! Quantas brincadeiras com meu nome, fui bravinha, hj sou mais doce.
    Adoro você, só consigo dizer isso!
    Beijos

    Curtir

  9. essa tirinha de baixo, miga, matou a pau… que saudade de conversar com vc! cade a senhorita, que anda fugindo de td mundo? ve se deixa a gente cuidar de vc tb, dona horácia e filha do pedro cabral, kkkkkkkk

    vc não sabe a alegria q me dá ver vc falar do seu pai assim, eu sei q foi um caminho comprido pra chegar aqui e ver vc falar dele de um jeito tao leve.

    eu love vc, viu?

    Curtir

  10. Qt tempo … qt tempo me mantive reclusa.Escondida, mas não pela minha propria vontade.E como doi ao mesmo tempo tentar me libertar, embora seja este meu maior desejo.

    Curtir

  11. Lindo post, lindas recordações….e fez-me lembrar de muitas coisas que estavam escondidinhas bem lá no fundinho.
    Beijos, moça…ah! vc sem dúvida, seria uma excelente jornalista.
    Mais beijos
    Karla

    Curtir

  12. Oi Karina…!
    Menina… “pra variar”, fico impressionada com seus textos! E eu, que me considero (ou considerava) uma pessoa sensível, estou morrendo de vergonha por nunca ter dado bolas pro Horácio. Pôxa!!! Envergonhadíssima!
    Você é uma pessoa iluminada, dá pra sentir aqui de longe!!! Parabéns!
    Beijos!

    Ps.: Beijos (retribuídos) pro Ful e pro Zé!!! 😉

    Curtir

  13. Miguinha querida, saudade.:-)
    O Horácio é uma graça, e parece mesmo com uma pessoa que conheço.;-)
    Fizemos mais um niver de amizade, sim, menina, que feliz sou eu por ter encontrado você nesses caminhos doidos da net. Lembro com muito carinho da primeira vez que te abracei, e sei que desde então a minha vidinha passou a ser um tantão mais doce, como aqueles sorvetes que costumamos tomar. Também te amo muito, viu?!
    Beijos pra você e pro Ful.:-***

    Curtir

  14. Do Maurício sou apaixonada por Cascao.
    Mas nenhum personagem de tirinhas ganhou, até agora, da Mafalda.
    Beijos e obrigada pela visita carinhosa.
    Ah! por falar nela, eu escrevi os sonhos do meu coraçao… e sai em direçao a eles. Nao sei como, menina, mas foi mais fácil do que eu poderia imaginar.

    Curtir

  15. Mafalda,

    Nunca tinha percebido o Horácio……. Vc me fez enxergar muitas coisas, percebe-las com outros olhos……
    Olha, se eu ganhar no contador, vou querer um presente especial, já que estou em Salvador!! Não poderemos ir jantar….. a não ser que vc queira conhecer minha cidade natal?!? Seria ótimo!!
    Um bjo

    Curtir

  16. ADOREI tudo aqui. Você parece ser uma pessoa realmente especial, poucas vezes vi esse casamento perfeito de inteligência e sensibilidade em uma pessoa… Li tudo que estava no arquivo, e fiquei com gosto de quero mais… Nem lembro como cheguei aqui, mas vou lembrar o caminho de volta, com certeza!

    Beijos do seu mais novo admirador, encantado contigo…

    Cláudio

    Curtir

  17. Caramba! Juro que estou emocionado, principalmente com essa tira final, caindo bem em sua história. Sabe, uma das recordações mais agradáveis que tenho do meu pai na minha infância é justamente ele chegando com revistas Placar pra mim (ou figurinhas que eu colecionava). A desvantagem é que ele não tinha acesso a ninguém na editora abril. 😦

    Ei, não queria desanimar seus visitantes, mas… não controu pra ele que o visitante 15000 vai ser eu? 🙂

    Beijos

    Curtir

  18. Adoro todos os personagens do Maurício de Souza, fiquei toda boba na exposição dos Quadrões! Parecia uma criança, é legal as histórias dele terem o lado social e o psicológico. É aí que a nos identificamos!
    Beijo, miga!

    Curtir

  19. adoro a Turma da Mônica, sempre gostei, tinha assinatura e tudo quando era criança… não tenho mais as revistas, dei pra minha priminha, que adora ler, e que precisava delas mais que eu… mas ainda compro algumas quando dá… e sinto falta, viu? assim como deu uma saudade do meu pai agora, quando li esse post…

    lógico que vc devia ser jornalista! ou qualquer coisa que envolvesse escrever pra nós! vc escreve muito bem! pense nisso melhor…

    volto logo, beijos.

    Curtir

  20. Lindo post, Horác… ops, Mônica, putz, Mafalda. Sei lá por quê, não gosto muito de tiras e de quadrinhos. Deve ser um bloqueio. Li todo o teu texto até as obs. finais, mas, no meio dos quadrinhos, perco o interesse. Será grave? Beijo carinhoso deste filho de pais que se amavam e que mesmo assim nos repassaram problemas…

    Curtir

  21. O INDEFINIDO SENTIDO…
    DO AMOR PERDIDO!
    NÃO SE PARTILHA MAIS…
    PELO NOSSO OUVIDO!

    É UM LAMENTO… DO TEMPO!

    DA DISTÂNCIA… AO ADVENTO!

    CHOREM PELA BOCA…
    NÃO PELOS OLHOS!

    OLHEM AS FLORES!
    PENSEM NOS ABRO LHOS!

    DESABROCHAR..
    SEM ESPAÇO OU LUGAR!
    É MUITO PENSAR…
    VER E OBSERVAR!

    ESCREVO…
    E NADA PERCEBO!

    LÂNGUIDA…
    A LÍNGUA SE OCULTA,
    DO LINGUADO!

    NUM LOCAL SOMBRIO…
    ONDE O CALOR;
    SE TORNA FRIO!

    PARABÉNS DO PORTUGAL TRANSMONTANO.
    Email: amebluesky777@gmail.com

    Curtir

Deixe uma resposta para Gwyn Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s