O FORTE



O forte é aquela pessoa que aguenta tudo, que dá conta de tudo, que faz tudo, que leva tudo numa boa. O forte é o dono do tudo.

O forte está sempre liderando quando as outras pessoas não querem ou não conseguem assumir responsabilidades. O forte sempre está calmo, ponderando as coisas, lembrando de algo sábio para dizer ou para incorporar a sua postura. O forte aconselha aqueles que se desesperam em sofrimento. O forte sabe muitas coisas, porque está sempre estudando e dirigindo um olhar curioso para o mundo. O forte é aquele para quem todos olham como exemplo de maturidade e inteligência quando tudo está um caos, e, assim, se sentem melhores.

O forte sustenta a casa, dá conta do trabalho, cuida dos filhos, pega dez conduções por dia, quase não dorme, não tem tempo de almoçar, e ainda assim, está lá… Forte.

O forte é aquele que apazigua quando todos resolvem discutir e externar seus sentimentos, falando o que bem entendem. O forte separa briga, ouve horas e horas de lamentações, esclarece pensamentos confusos. O forte, normalmente, é experiente e tranquilo. O forte organiza quando todo mundo já desistiu de tentar organizar. Ele faz quando todo mundo diz que já se cansou de fazer. Ele continua tentando quando todo mundo já desistiu de tentar.

O forte é também aquele que aguenta o tranco, que nunca fica doente, que não falta ao trabalho, que cumpre todos os compromissos, que quebra os galhos. O forte é ombro para os amigos, é consolo para os amantes, é o fio que segura o relacionamento quando tudo está ruim e desesperançoso. Ele está sempre pronto, bonito e sorridente. O forte se importa com as pessoas, mesmo com aquelas que não merecem atenção. O forte nunca escorrega, está sempre preocupado em não magoar, em agradar, em ajudar.

O forte suporta. O forte segura a onda. O forte é o pilar, a estrutura. O forte é o apoio. O forte é aquele que inspira e motiva os outros. O forte é mesmo forte.

Deve ser bom ser forte. Dar conta de si mesmo e dos outros. Enxergar além quando todos estão rodando em círculos. Não se deixar abater pelos males que derrubam os outros. Não ter medo quando todos os outros estão paralisados. Ser esperançoso quando todo mundo perdeu a fé. Manter um sorriso tranquilo quando todos estão chorando em desespero. Ser sábio, paciente, vigoroso, corajoso, criativo. É o máximo ser forte.

Infelizmente, o forte se prende em suas próprias correntes de força. É que, sendo forte, ele não pode se sentir frágil. Ele não pode se desesperar, ficar sem idéias, ficar doente, ficar de saco cheio, ficar calado. Ele não pode cair sem derrubar todos que estão a sua volta. Ele não pode se jogar, porque não há ninguém para segurá-lo. Quando ele chora, ninguém quer consolá-lo sem colocar os próprios problemas acima dos dele. Não há colo para o forte. Não há compreensão. Não há refresco. Não há erro. Não há tempo. Para o forte, só sobra ser sempre forte.

Frequentemente, as pessoas não olham para o forte – querem apenas que ele olhe para elas. Ninguém percebe quando ele está abatido, ou triste, ou distante. E quando percebem, cobram dele que volte a ser forte. Afinal, onde iriam se apoiar? A quem deveriam recorrer, senão ao forte? Como iriam se virar sozinhas? Em quem iriam se espelhar?

O forte, no fundo, é um condenado a ser sempre forte. Todos, inclusive ele, esquecem que, antes de ser forte, ele é humano. Frágil, estúpido, falível e imperfeito humano.

É linda e triste a trajetória do forte em um mundo tão fraco… Tão carente de força.

Anúncios