SABE?


Sabe quando você cheira, olha, ouve, procura, revira, sacode, observa todos os ângulos de todos os cantinhos da vida procurando algo que você precisa encontrar, mas… Não acha?

Sabe quando a imagem no espelho parece cansada, esquisita, e você reparte o cabelo para o outro lado, tenta outra cor de batom, tenta vestir aquela roupa diferente, mas… Não fica bom?

Sabe quando você fala, fala, fala, fala e fala tentando explicar alguma coisa que você está sentindo mas… Não consegue?

Sabe quando as coisas por fazer – uma folha em branco, uma tela vazia, um violão parado, uma gaveta sem nada, ingredientes na despensa – atraem enormemente, porque você sabe que alguma coisa precisa ser feita, transformada ou colocada ali, mas… Não sabe o que é?

Sabe quando os móveis estão fora de lugar, e você troca, e você arranja, e você tenta outras disposições, e você pede idéias, e você compra coisas novas e joga coisas velhas fora, mas… Não adianta?

Sabe quando você pensa que deveria conhecer alguém diferente, alguém que te diga algo que ainda não foi dito, alguém que com uma frase ou olhar te ilumine, e você espera por essa pessoa, mas… Ela não chega?

Sabe quando tem um presentimento, uma idéia, um sonho, algo que ainda está por vir, que você sabe que está lá, que você sabe que é muito importante, que você sabe que falta só um pedacinho pra se materializar na sua cabeça, que está quase, mas… Não acontece?

Sabe quando você pára de frente para um monte de portas, e não há tempo para abrir e verificar a todas, e você tem que escolher algumas delas para abrir, e tudo parece tão indefinido, e você fica esperando um sinal que te indique o caminho certo a seguir mas… Nada pisca?

Sabe quando a insatisfação toma conta de você, e você reclama, e você se motiva, e você desiste, e você volta a tentar, e você faz, e você descansa, e você tenta se concentrar, mas… Não dá?

Ah, esse comichão do desejo que nasceu e vai morrer comigo…
Ah, essa vida que é tão linda, e tão ampla, e que é tão cheia de possibilidades…
Ah, esse querer que nunca acaba…
Ah, essa natureza interior que não me deixa passar em branco…
Ah, essa mudança que tem que acontecer, mas… Não acontece…

E sabe quando apesar disso tudo, disso tudo que é muito mesmo, você pensa que a vida é difícil, mas… É boa?

É boa porque se movimenta.

O que está parado, está morto.

“- O que é que houve, meu amor, você cortou os seus cabelos?
– Foi a tesoura do desejo… Desejo mesmo de mudar.”
( Alceu Valença )

6 comentários sobre “SABE?

  1. Minha doce e querida amiga, esse comichão é o que te faz tão especial! E saiba que a vida é cheia de possibilidades para quem batalhou por isso… Se acalme, na hora certa você vai saber o que deve fazer.
    Linda a lembrança do Alceu cantando com a Zizi…
    Beijo enorme.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s