CRIANDO UM MONSTRO

O que pode criar um monstro? O que leva um rapaz de 22 anos a estragar a própria vida e a vida de outras duas jovens por… Nada?

Será que é índole? Talvez, a mídia? A influência da televisão? A situação social da violência? Traumas? Raiva contida? Deficiência social ou mental? Permissividade da sociedade? O que faz alguém achar que pode comprar armas de fogo, entrar na casa de uma família, fazer reféns, assustar e desalojar vizinhos, ocupar a polícia por mais de 100 horas e atirar em duas pessoas inocentes?

O rapaz deu a resposta: “ela não quis falar comigo”. A garota disse não, não quero mais falar com você. E o garoto, dizendo que ama, não aceitou um não. Seu desejo era mais importante.

Não quero ser mais um desses psicólogos de araque que infestam os programas vespertinos de televisão, que explicam tudo de maneira muito simplista e falam descontextualizadamente sobre a vida dos outros sem serem chamados. Mas ontem, enquanto não conseguia dormir pensando nesse absurdo todo, pensei que o não da menina Eloá foi o único. Faltaram muitos outros nãos nessa história toda.

Faltou um pai e uma mãe dizerem que a filha de 12 anos NÃO podia namorar um rapaz de 19. Faltou uma outra mãe dizer que NÃO iria sucumbir ao medo e ir lá tirar o filho do tal apartamento a puxões de orelha. Faltou outros pais dizerem que NÃO iriam atender ao pedido de um policial maluco de deixar a filha voltar para o cativeiro de onde, com sorte, já tinha escapado com vida. Faltou a polícia dizer NÃO ao próprio planejamento errôneo de mandar a garota de volta pra lá. Faltou o governo dizer NÃO ao sensacionalismo da imprensa em torno do caso, que permitiu que o tal sequestrador conversasse e chorasse compulsivamente em todos os programas de TV que o procuraram. Simples assim. NÃO. Pelo jeito, a única que disse não nessa história foi punida com uma bala na cabeça.

O mundo está carente de nãos. Vejo que cada vez mais os pais e professores morrem de medo de dizer não às crianças. Mulheres ainda têm medo de dizer não aos maridos ( e alguns maridos, temem dizer não às esposas ). Pessoas têm medo de dizer não aos amigos. Noras que não conseguem dizer não às sogras, chefes que não dizem não aos subordinados, gente que não consegue dizer não aos próprios desejos. E assim são criados alguns monstros. Talvez alguns não cheguem a sequestrar pessoas. Mas têm pequenos surtos quando escutam um não, seja do guarda de trânsito, do chefe, do professor, da namorada, do gerente do banco. Essas pessoas acabam crendo que abusar é normal. E é legal.

Os pais dizem, “não posso traumatizar meu filho”. E não é raro eu ver alguns tomando tapas de bebês com 1 ou 2 anos. Outros gastam o que não têm em brinquedos todos os dias e festas de aniversário faraônicas para suas crias. Sem falar nos adolescentes. Hoje em dia, é difícil ouvir alguém dizer não, você não pode bater no seu amiguinho. Não, você não vai assistir a uma novela feita para adultos. Não, você não vai fumar maconha enquanto for contra a lei. Não, você não vai passar a madrugada na rua. Não, você não vai dirigir sem carteira de habilitação. Não, você não vai beber uma cervejinha enquanto não fizer 18 anos. Não, essas pessoas não são companhias pra você. Não, hoje você não vai ganhar brinquedo ou comer salgadinho e chocolate. Não, aqui não é lugar para você ficar. Não, você não vai faltar na escola sem estar doente. Não, essa conversa não é pra você se meter. Não, com isto você não vai brincar. Não, hoje você está de castigo e não vai brincar no parque.

Crianças e adolescentes que crescem sem ouvir bons, justos e firmes NÃOS crescem sem saber que o mundo não é só deles. E aí, no primeiro não que a vida dá ( e a vida dá muitos ) surtam. Usam drogas. Compram armas. Transam sem camisinha. Batem em professores. Furam o pneu do carro do chefe. Chutam mendigos e prostitutas na rua. E daí por diante.

Não estou defendendo a volta da educação rígida e sem diálogo, pelo contrário. Acredito piamente que crianças e adolescentes tratados com um amor real, sem culpa, tranquilo e livre, conseguem perfeitamente entender uma sanção do pai ou da mãe, um tapa, um castigo, um não. Intuem que o amor dos adultos pelas crianças não é só prazer – é também responsabilidade. E quem ouve uns nãos de vez em quando também aprende a dizê-los quando é preciso. Acaba aprendendo que é importante dizer não a algumas pessoas que tentam abusar de nós de diversas maneiras, com respeito e firmeza, mesmo que sejam pessoas que nos amem. O não protege, ensina e prepara.

Por mais que seja difícil, eu tento dizer não aos seres humanos que cruzam o meu caminho quando acredito que é hora – e tento respeitar também os nãos que recebo. Nem sempre consigo, mas tento. Acredito que é aí que está a verdadeira prova de amor. E é também aí que está a solução para a violência cada vez mais desmedida e absurda dos nossos dias.

149 comentários sobre “CRIANDO UM MONSTRO

  1. Olá, recebi essa semana esse texto por e-mail e com créditos para o seu Blog e não podia deixar de vir parabenizá-la. Você tratou de um assunto que meche com todos.
    Eu imprimi o e-mail e mostrei para vários amigos, e só recebi elogios, então vim passar esse feedback a você. Parabéns, são coisas assim que precisamos ouvir e saber todos os dias.
    Tenha uma excelente semana.

    Curtir

  2. Prezada Karina!
    Encontrei seu blog após uma busca na internet, depois de receber, por e-mail, uma apresentação em pps com o teu texto. Respeito muito a questão de atribuir os devidos créditos aos autores dos bons textos que leio e repasso… Tendo lido este artigo, que por sinal, achei muito bem escrito e estruturado, resolvi fazer uma busca na internet para localizar o nome completo da autora, (que no pps que recebi se atribuia a professora de psicologia Maria Isabel…)antes de repassá-lo aos amigos. Qual não foi minha surpresa ao perceber, depois de várias buscas sem sucesso, que o texto vinha daqui… Sorte minha que encontrei seu blog, em meio a um emaranhado de informações incompletas… Só tenho a dizer que sinto muito pelo ocorrido. Lamento que algumas pessoas façam da internet um território sem lei. É uma crueldade com as pessoas que fazem a diferença na rede, criando, se expondo e compartilhando idéias (se não brilhantes, pelo menos originais!).
    Gostaria de te dizer que, por este texto, e por outros que pude ler aqui nesta visita, a partir de hoje me torno leitora e fã deste blog! E também que agora, antes de repassar este texto, estarei dando dando os devidos créditos a vc, com link para o seu blog, buscando colaborar com o resgate de sua autoria.
    Um grande abraço!
    PS: Caso queira receber o powerpoint que me enviaram, mande um e-mail pra mim que te envio… É, no mínimo curioso a maneira torta como este teu texto está sendo divulgado!

    Curtir

  3. PARABENS!
    PARABENS!

    Eu tenho 38 anos de idade e dou graças a Deus que eu ouvi um monte de NÃO na minha vida. Dizem que o mundo evolui, mas eu não concordo. Acho que a tecnologia evoluiu sim. Mas as relações pessoais com certeza pioraram. Onde está o respeito aos mais velhos? O respeito a hierarquias? O respeito as propriedades? E a culpa disso na minha opinião é desse estado incompetente e “social”, cada vez mais permissivo, sem nenhum tipo de censura. É um monte de NAO que falta por ae. É aquela cena de novela que não deveria ser tão explicita, aquela reportagem sobre sexo oral que aparece numa revista que um adolescente de 13 anos vai ler. É aquela cena incrivelmente realista de violência que se vê num seriado que passa ao meio-dia. É aquela cena de homossexualismo que passa no OC no domingo que NAO deveria ir ao ar, mas os ativistas gays vão achar que é preconceito. Ninguem diz NAO pra essas coisas. Quem faz e quem consome. E o estado consente. Agora dizem NAO pra um monte de coisa, que deveriam dizer SIM. Professor NÃO pode repreender um aluno. Professor NÃO pode enaltecer um aluno. Terroristas não podem sofrer maus tratos. Sequestradores NÃO podem ser alvejados. Bandidos não podem ser algemados. É a sociologia, cada vez mais se intrometendo em tudo. É os direitos humanos, cada vez mais tornando a vida das pessoas de bem mais complicada e melhorando pros bandidos de plantão. É assim que o nosso governo quer que seja. Estudem marxismo, socialismo. Vocês vão descobrir porque o NÃO passou a ser errado no nosso mundo contemporaneo.

    Curtir

  4. Vou adicionar seu artigo ao meu orkut para lê-lo sempre que necessitar de luz com minha filha, acho que não recebi muitos NÃOS em minha infância, o que tem dificultado minha postura de mãe!! Obrigada pelas sábias palavras!!!

    Curtir

  5. Ká,
    Soube do seu texto através das nossas amigas de trabalho e só agora pude dar uma olhadinha. Elas não exageraram quando falavam da qualidade do mesmo. Sinto apenas não estar pertinho de vc para dar aquele abraço!
    Parabéns é pouco para expressar a felicidade que sinto ao ver este registro !
    Vc foi simplismente fantástica ao brincar com as palavras!
    Saudades

    Curtir

  6. Ahh, então foi você mesma quem escreveu este texto? 😀 heheheh Recebi-o por email. Quase certeza que não tinha assinatura.

    Bom, o importante é que sua idéia está sendo realmente disseminada pelos que concordam com a volta do bom senso! 🙂

    Parabéns pelo texto bem escrito.

    Curtir

  7. Gostei muito do artigo, sem palavras , a falta de limites está é o maior problema desta juventude, dar tudo o que eles querem não é a solução,. O Não na hora certa faz com que eles sintam-se protegidos e firmes nos seus propósitos.
    parabéns.

    Curtir

  8. Como psicólogo quero tornar público minha máxima admiração pelo seu artigo. Não conhecia nenhum de seus textos até ler “criando um monstro”. Estou certo de que além de mim Foucalt também te parabeniza já que assim como ele você aponta sinais de de uma maquinária de ortopedia moral que produz sujeitos como esse que infelizmente conhecemos.

    Curtir

  9. As pessoas podem acham ruim, porque a verdade dói. Os pais de hoje em sua grande maioria são omissos e não permitem que outras pessoas tentem ajustar seus filhos a vida social.

    Curtir

  10. Até que enfim,alguém que pensa,dá com as caras neste mundo imundo. E para minha felicidade tem o nome de minha falecida mãe. Hoje durmo um pouco mais feliz. Parabéns , Mafalda!!!! ( Luiz Antonio Loyola, 64, mineiro, advogado).

    Curtir

  11. realmente essa é uma realidade precisamos muitas vezes dizer nãos a muitas coisas pra q assim realmente encontremos uma coisa melhor.
    nomomento pode atéparecer chato ouvir ou falar um não,
    mas depois c pararmos para pensar realmente valeu a pena
    e evitou que muitas coisas eradas não irião acontecer…….
    mas isso é uma grande lição que devemos aceitar e dizer não a muitas coisas,..
    meu nome é ana carla e tenho 16 anos

    Curtir

  12. O texto criand
    Gostaria de te dizer que, por este texto, e por outros que pude ler aqui nesta visita, a partir de hoje me torno leitora e fã deste blog! E também que agora, antes de repassar este texto, estarei dando dando os devidos créditos a vc, com link para o seu blog, buscando colaborar com o resgate de sua autoria.

    Curtir

  13. Muito triste ter chegado a esse ponto “MORTE FATAL”, mas todos foram imprudentes nesse caso, se talvez alguém tivesse dito muitas vezes NÃO hoje estava aí viva Eloá e o criminoso NÃO seria criminoso, mas ela é mais uma vitima ele mais criminoso na SOCIEDADE.

    Monte Alegre-Pará

    Curtir

  14. Excelente Artigo!!

    Concordo com seu depoimento, o mundo está precisando de limites, hoje em dia os filhos não temem os seus pais, quem dita as regras são os próprios filhos. A formação que se tem sobre um indivíduo hoje é diferente de antigamente, hoje está tudo mais fácil, os filhos tem tudo mais fácil em suas mãos, por isso acorrem esses absurdos no mundo, onde filho mata pai, mãe, avós, etc…
    Que País é esse? onde vamos chegar com tantas barbaridades que cotidianamente vemos e ouvimos nas mídias, a cada minuto nos surpriendemos com coisas loucas que acontecem!!!

    Pais, vamos ser mais “rigorosos”com os nossos filhos, fazer com que eles tenham um mínimo de respeito por cada um de nós!!!!
    CLAMAMOS POR UM MUNDO DE PAZ E BEM!!!

    Curtir

  15. Acredito que o texto aborda a questão de nós como pais e também educadores impor-mos limites nos nossos filhos e alunos, ou seja a questão de não sabermos dizer não a eles pode prejudica-los e acarretar uma série de problemas no futuro.

    Curtir

  16. O texto tenta nos mostrar como é possível evitarmos situações como o caso Eloá, se começarmos a ter consciência do quanto vale um “NÃO” no momento certo ou seja,precisamos está atentos para não nos deixar levar pelas emoçoes, e sim dominá-las.

    Curtir

  17. realmente o texto nos passa um processo de limitação, a realidade é que em varios momentos da vida temos medo de magoar alguem com um NÃO, mas sabemos que tudo tem limites e um determinado NÃO, delimita uma serie de coisas que irá prejudicar-la no ensino apredizagem ou na vida pessoal.

    Curtir

  18. Você está de parabéns!Vale resaltar que isso acontece muito no convívio familiar , onde muitos pais acham que por amar os filhos deixam-os sem limites apartir daí acham que tudo podem por esse motivo começam a fazer coisas errôneas. Temos que saber dizer NÂO nos momentos precisos, mesmo que seja doloroso mas que servirá para toda sua vida.

    Curtir

  19. Este Texto concerteza veio para alertar os pais da falta de limites que essa adolescencia vem demonstrando ter, e que esta tregédia sirva de exemplo para pais e filhos e que o mundo que estamos enserido, miseravel e descontralado,venha nos preparar para enfrentar pessoas com bom carater ou malcarater.E que nada justifica o que este rapaz fez.Até para amar temos que ter limites.

    Curtir

  20. Concordo com tudo isso que você mencionou muitas vezes deixamos de dá um não porque pensamos que vamos ofender alguém e é aí que nos erramos, as vezes um simples não que você dá você pode transformar ou salvar a vida de alguém!
    Monte Alegre PA

    Curtir

  21. Nada justifica o que o ex-namorado de Eloá fez, ninguém tem o direito de tirar a vida de ninguém. Só penso que para tudo na vida tem que haver um limite e esse limite começa no dia-a-dia em casa, não quero dizer que os pais do rapaz não souberam criá-lo. O texto acima está muito bem elaborado e expressa o que muita gente gostaria de dizer.

    Curtir

  22. Achei o texto publicado muito interessante que relata aquela triste hitória das duas adolescentes amigas, é uma história muito triste com um jovem que não sabia o que estava fazendo é nessas horas que a lei tem que ser sévera fazendo com que o acusado trabalhe todo o dia em construções publicas e só podendo comer uma vez por dia essa é a minha opinião. Eu não sou a favor de pena de morte por que ele saberia que ia morrer e iria fazer as piores coisas do mundo com cidadões descentes, era para existir um sofrimento como esse que eu mencionei ascima todo o dia sofrendo sem poder da um basta o unico basta que ele poderia ter era suicídio.

    Curtir

  23. Achei o texto muito interessante.Realmente damos*cabeçadas*na vida por não termos recebidos alguns Nãos,e as vezes as consequencias desses deslises acabam fazendo com que o ser humano tome algums atitudes destrutivas não só pra pessoa mas pra todos a sua volta.

    Curtir

  24. Acredito que foi muita falta de responsabilidade tanto de eloá quanto de seus pais por deixar a situação chegar a esse ponto pena que isso aconteceu mesmo com tudo ela não merecia.
    Mas gostei muito sobre a abordagem do texto!!

    Curtir

  25. O texto tenta nos mostrar como é possível evitarmos situações como o caso Eloá, se começarmos a ter consciência do quanto vale um “NÃO” no momento certo ou seja,precisamos está atentos para não nos deixar levar pelas emoçoes, e sim dominá-las

    Curtir

  26. Parabéns pelo excelente artigo. Apesar desse episódio ter acontecido há algum tempo e somente agora eu ter tido a oportunidade de lê-lo, fiquei agradecido por ter essa oportunidade e poder repassar esse artigo para pessoas amigas, que certamente terão atitudes de mudança em sua estratégia de educação de seus filhos. NÃO. Já tive filhos adolescentes e graças a Deus, todos ouviram essa palavrinha mágica quando foi necessário. Hoje tenho filhos maravilhosos que sabem de suas responsabilidades e que sabem dar o devido respeito ao seus semelhantes.
    Que Deus te ilumine sempre.
    Ataides

    Curtir

  27. Pingback: Sobre a responsabilidade de pais e filhos « Everywhere

  28. nâo uma palavrra tão pequena mas muito estruturante para a formação psiquica e social de uma criança. esse artigo conseguiu colocar em palavras os meus sentimentos. Não quero continuar me sentindo um peixe fora da agua, pois me parece que o certo viou o errado.

    Curtir

  29. Pingback: Elieverywhere » Blog Archive » Sobre a responsabilidade de pais e filhos

  30. Parabéns, e que os PAIS LEIAM a pura verdade em poucas palavras narradas neste belíssimo texto.
    Tudo nesta VIDA há LIMITES e quem os ensinam somos nós PAIS.

    Atenção, AME ensinando-os.

    Parabéns ao narrar este ALERTA a TODOS nós…Valeu…

    João Fernando – Guaxupé-MG.

    Curtir

  31. Bom dia. Pesquisei sobre a frase “criando monstros” para escrever sobre filhos mal educados e achei seu texto. Todavia veio como sendo de autoria Arnaldo Jabor. Gostaria de saber se alguém fez isso por ele por ignorancia, pois não acredito que ele tenha se apropriado de um texto q não eh dele .

    Curtir

  32. Em tempo, parabéns pelo texto!!
    eu já havia lido desde a época da infeliz tragédia, com o titulo “o não de Eloá ” .. creio que foi tambem circulou pela net com esse título
    Jessika Luz – Vila Velha, Espírito Santo BR

    Curtir

Deixe uma resposta para Alessandra Freitas Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s