UM NOTEBOOK EM FRENTE AO MAR…


Este blog é mesmo uma parte importante de mim. Percebi isso porque senti grande saudade dele… Saudade neste momento em que me sinto mais introspectiva, com vontade de ter imensas e profundas conversas comigo mesma. Este definitivamente é um canal muito aberto pra esses “monodiálogos”.

* A DIFÍCIL ARTE DO DESCANSO


Férias… Aquele momento que, de tão esperado, é assustador quando chega, porque você sabe que vai acabar. E rápido.
Decidi não fazer muitos planos para as minhas férias ( aliás, decidi não fazer muitos planos pra muitas coisas ). Mas nem por isso consegui me livrar da sensação de que o tempo vai ser curto para tantas coisas que queria ( não ) fazer. Então pensei que o cansaço mental é uma coisa muito séria, e muito difícil de curar. Descansar o corpo é fácil, é só ficar um dia lagarteando no sol ou na sombra por horas. Mas descansar a mente… Ah, isso sim é dureza. Nessas horas, dou razão a quem diz que nossa educação é mesmo muito falha. Passamos anos da nossa vida aprendendo a trabalhar… E no fim, não sabemos descansar. Sad, very sad.

* PRAIA CHEIA


Tem lugar para um monte de crianças, para bandos e bandos de adolescentes, para casais apaixonados, para solitários, para velhinhos e velhinhas. Gente que vem brincar na areia, nadar, surfar, trabalhar, pescar, pegar carnguejo, andar na beira da praia, andar de bicicleta, jogar bola, tomar sol, paquerar, comer e tomar sorvete. Mulheres magras e belas que se escondem debaixo de camisetas, mocinhas que passeiam se exibindo e colhendo os elogios, gordinhas que não têm vergonha de usar biquini, maiôs comportados, fios dentais escandalosos, barrigudos de sunga e tanquinhos de bermuda ou macacão. Um ser vestido de homem-aranha vende sorvete, uma moça sozinha chora sentada nas pedras, mães correndo atrás de filhos, um homem não desgruda do celular um segundo, uma senhora lê jornal sentada em um buraco feito por seu neto na areia, uma moça ouve música e faz palavras cruzadas, enquanto um rapaz ao seu lado lê filosofia. Branquelos pimentão FPS 115, moreninhas FPS 50, morenaças FPS 2, moreníssimos FPS deixa-o-sol-me-queimar-à-vontade. Gente grande rindo que nem criança, criança construindo castelinho concentrada como gente grande. Gente surfando, farreando, pulando ondas, rezando, rindo, conversando, cantando, amassando atrás da pedra, dançando, catando conchas, tirando milhares de fotos. Farofeiros, surfistas, chiquérrimos, equipados, descolados, milhares de cores e desenhos em lycra. Gente de todo jeito, de todo tipo, de todo lugar, fazendo de tudo, em um dos poucos pedaços de terreno que ainda não tem dono. Praia é realmente o lugar mais democrático do mundo. Pra quem vive em São Paulo, onde toda a diversão é segmentada a partir do poder econômico… É uma delícia saber que existe um lugar onde todos podem vir como estão, ser quem quiserem, fazer o que podem e sair como querem.

* TARDINHA

E eu, à praia, vou mesmo pra descansar. Nada distrai mais os meus pensamentos do que olhar o mar… Nada elabora mais as minhas idéias do que olhar o mar. E a melhor hora pra fazer isso é mesmo de tardezinha.
De manhã, a praia lotada e barulhenta não deixa muitas opções. O sol escaldante e perigoso desanima. Mas de tardezinha, a coisa é diferente. O mar é mais quente e mais salgado, a praia é silenciosa e limpa, as pessoas estão mais calmas, o céu fica deslumbrante. O mar chega mais perto e fica mais forte… E o sol vai se pondo devagar, muito mais devagar do que quando nasce. Já não tem gente muito preocupada em comer e carregar bagagens; apenas pessoas que curtem sossego e contemplação. As crianças já cansaram, e o tempo fica mais ameno. A vida fica mais bonita em frente ao mar da tardezinha. Dá até pra deitar na beira da praia e sentir o calor, a água, o vento e a terra de maneiras mais intensas.
Depois que o sol vai embora, o mar, morno e revolto, começa a trazer as conchas. A areia fica lotada delas… Lindas e inteiras. A água batendo nas pedras deixa um recado provocativo… É preciso ser forte. O reflexo no chão é perfeito pra espelhar a lua e as estrelas, que se arranjam poeticamente no céu.
Minha mãe, na tentativa de nos fazer levantar bem cedo nas férias sem reclamar, costumava dizer que as conchas eram um presente para quem chegava primeiro à praia, bem cedo. Depois de grande, descobri que, na verdade, o mar dá de presente as conchas melhores e mais bonitas para quem sai por último – sem pressa… Disposto a admirá-lo e descobri-lo devagar… Devagar como um pôr-de-sol de verão.

* OLHO DE TURISTA

O hábito é uma benção. Graças a ele conseguimos acordar todos os dias na mesma hora, aguentar o trabalho, o frio, o calor. Graças ao hábito conseguimos conviver com as pessoas, e é também graças a ele que algumas coisas passam a ser banais, e deixam de ser motivos de grandes crises – como lavar um cesto enorme de roupa suja ou se conformar com um salário injusto. A capacidade do ser humano de se habituar é a grande facilitadora da vida como a conhecemos hoje.
Mas o hábito também pode ser uma maldição, principalmente se tira a nossa capacidade de encantamento, e também de indignação. O hábito nos impede de ver coisas bonitas que cruzam conosco todos os dias, nos impede de ver absurdos, nos deixa cegos e vicia nosso pensamento.
Um senhor morador da região me disse: “eu vivo aqui todos os dias do ano, mas só percebo como tudo é bonito quando os turistas chegam. Olho de turista vê coisa que a gente não vê… Vê beleza em tudo, porque é tudo novidade.”
Fiquei pensando se ainda consigo ver beleza no meu dia-a-dia, apesar do hábito. Se ainda consigo enxergar pessoas diferentes por onde passo, se ainda conseguiria achar uma paisagem bonita para uma foto nos meus caminhos diários, se ainda consigo sorrir pra gente desconhecida na rua, se consigo organizar minha rotina para sobrar tempo pro descanso no final da tarde. Será que conseguiria vencer o hábito e ter olhos de turista não só quando saio de São Paulo, mas em todos os outros dias? Será que ainda tenho disposição pra contemplação, pra curiosidade, pro novo? Pensar sobre isso tudo é um novo hábito que eu posso tentar cultivar daqui por diante.

TOP 20 – PARA OUVIR EM FRENTE AO MAR

As canções fazem mais sentido quando chegamos mais perto das coisas que as inspiraram. É um diálogo único, esse da música com o mar.

1. I can See Clearly Now – Jonny Nash
2. Encontro das Águas – Jorge Vercilo
3. Meditação – Nara Leão
4. Vento no Litoral – Legião Urbana
5. Ana e o Mar – O Teatro Mágico
6. Linha do Horizonte – Azimuth
7. Coisas do Brasil – Gulherme Arantes
8. Wave – João Gilberto
9. Serra do Luar – Leila Pinheiro
10. Todo Cambia – Mercedes Sosa
11. A Estrada – Cidade Negra
12. Vento Ventania – Biquini Cavadão
13. O Sol – Jota Quest
14. Idade do Céu – Moska
15. Azul da Cor do Mar – Tim Maia
16. Clarear – Roupa Nova
17. Siga o Sol – 14 BIS
18. Como uma Onda – Lulu Santos
19. Um Amor de Verão – Radio Taxi
20. Canção para um Grande Amor – Isabella Taviani

* PARA O MEU ANJO MAIS VELHO:

“Enquanto houver você do outro lado,
Aqui do outro eu consigo me orientar.

A cena repete,
A cena se inverte,
Enchendo a minhalma
Daquilo que outrora eu deixei de acreditar.

Tua palavra
Tua história
Tua verdade fazendo escola
Tua ausência fazendo silêncio em todo lugar

Metade de mim, agora é assim:
De um lado a poesia, o verbo, a saudade;
Do outro a luta, força e coragem pra chegar no fim.

E o fim…
É belo e incerto:
Depende de como você vê.
O novo, o credo.
A fé que você deposita em você e só.


Enquanto eu respirar
Vou me lembrar de você
Só enquanto eu respirar.”

Anúncios

11 comentários sobre “UM NOTEBOOK EM FRENTE AO MAR…

  1. Água, ar, terra e fogo – mar, vento, areia e sol.
    Realmente, os 4 elementos fazem milagres dentro da gente.
    Acho que o título antigo do seu blog é perfeito. O cotidiano tem mtas entrelinhas. E é impressionante como vc consegue le-las com tanta naturalidade.
    Qto ao top 20, todas são canções lindas. Me alegrou mto ver a do Nash encabeçando a lista… É uma música que fala de superação e esperança, o que me mostra que vc está ficando mto bem, apesar de tantos pesares.
    Bjo, querida! Até daqui a pouco. :))))))))))

    Curtir

  2. Amei sua última composição sobre as férias… até me arrepio… Sua forma poetica de descrever tudo nos encanta, nos identifica e faz refletir… beijos querida… vc realmente nos inspira!!!!!!

    Curtir

  3. Olha que interessante… Você reinventou a redação minhas férias, hehe. E reinventou divinamente.
    MUitas coisas eu teria a comentar sobre suas reflexões tão preciosas. Foram tantas palavras positivas – descanso, luta, beleza, olhos, poesia, mar, estrelas… – que me traquilizei horrores sobre você. Mesmo dolorida, você está bem.
    Escreva, escreva mais… Nós só teremos a agradecer.
    Nos vemos em breve… Estou feliz por isso. Beijos!

    Curtir

  4. Karina!!!!!

    Muito bom que tenha transformado em palavras as muitas sensações que nos acometem em férias de verão…
    Lendo o que você escreveu percebo que, graças a Deus, você terá um 2009 realmente novo… Com cicatrizes, mas novo, e lindo como sua pessoa!
    Amo você, amiga querida!

    Curtir

  5. Monodialogos, conversas comigo mesma??? E nós? Os ecos, os leitores, cometaristas…Onde ficamos?
    As férias! Difícel acostumar…Agora estou aposentado(mas tenho minhas rotinas), quando estava na ativa dizia que tirar férias é como estar dirigindo a 120 km por hora e botar os dois pés no freio.
    Seu entardecer a beira mar me levou a lembra de um antigo hábito, ir a praia no inverno; tudo é calmo, deserto, quase assustador, sentimos a grandeza do mar como jamais o verão nos mostra…
    Boas férias!

    Curtir

  6. A poesia.
    Essa merece um comentário exclusivo.
    Leio de tudo um pouco, mas tenho duas preferencia: Receitas de molhos e Poesia.
    Gosto de cozinhar e creio que a sutileza do tempero dos molhos é o grande segredo.
    Gosto de ler e creio que a poesia é o molho da literatura.
    Seu poema pode parecer triste, para quem tem conhecimento de sua perda recente, mas por outro lado, tem a virtude de não estar preso ao tempo ou ao espaço, assim voara para sempre…Isso é Arte. Parabéns!

    Curtir

Deixe uma resposta para Álvaro Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s