NOTÍCIAS DO SOFRIMENTO

Sabe, pessoas, não é fácil passar por um grande sofrimento nessa vida. É um trabalho duro e cansativo para chegar à superação. Algumas pessoas ajudam, outras atrapalham. Mas o fato é que o caminho do SEU sofrimento só você pode trilhar. E é uma caminhada solitária. Como é solitária toda a nossa vida, por mais que a gente tente se iludir achando que as pessoas queridas a nossa volta unam a gente a alguém ou alguma coisa. Somos sós. Isso, em si, já é uma coisa muito, muito triste. Se dar conta dela na porrada é mais triste ainda.

Eu tentei fazer minha parte, juro pra vocês que tentei, fiz o meu melhor. Cumpri todos os compromissos, tentei não ficar doente, procurei ajuda dos amigos queridos, recebi todas as visitas e telefonemas, aguentei todos os comentários infelizes calada, procurei entender todas as cobranças com amor, tentei não romper laços, respondi todas as perguntas. Procurei terapia, li livros e textos muito interessantes, conversei com pessoas experientes, tentei me distrair e sair de casa mesmo sem vontade, voltei pro trabalho com garra – mesmo que ele às vezes me esgote completamente, tentei me defender, mudei de assunto, inventei novos projetos, me ocupei, tentei não encher as pessoas com minhas lamentações, conheci gente nova, conversei com Deus, fui à igreja, tentei voltar em lugares especiais pra mim e pra ele, ouvi todas as canções, arrumei os armários, racionalizei, olhei pelo lado positivo, guardei a aliança, revelei as fotos, acordei dias e dias no susto, chorei noites e noites, escrevi um livro inteiro das coisas que senti, segui conselhos, mudei o cabelo, fui viajar, comprei roupas novas, tentei me refazer aos poucos. E com tudo isso, sinto como se tivesse guardado bastante comida e utensílios em uma mala para que, agora, eu possa fazer uma viagem longa para uma ilha deserta. E chegou a hora de partir.

Não vou desistir, nem posso. Os dias vêm e vão, um depois do outro, rapidamente. O futuro me assusta, mas nada posso fazer quanto a ele. E mesmo que eu me negue a seguir, a vida vai seguir comigo, então eu não tenho escolha. E isso também é revoltante e difícil. É revoltante saber que, embora tenham tirado o meu chão, eu tenha que continuar caminhando. Mas de nada adianta minha revolta, o meu choro, a minha fala, o meu sorriso, de nada adianta nada disso.

O fato é que a vida seguiu como antes para todos. Os planos continuam intactos, e todos estão indo com eles, esperançosos e felizes, sem que possam fazer nada por mim. Crianças continuam crescendo, pessoas continuam casando e construindo casas, jovens continuam passando no vestibular e começando no trabalho novo, pessoas estão mudando de cidade e investindo na bolsa, todos estão acompanhados por seus parceiros e parceiras. Não tenho inveja disso, mas o fato é que a minha vida, não. A minha vida mudou profundamente, meus sonhos desmoronaram, os planos foram pelo ralo e eu não sei o que fazer daqui por diante, ainda não entendi o que aconteceu. Por isso, não dá pra pensar que eu vou seguir do mesmo jeito de antes. Não vou. E não importa o que eu faça, ou com quem eu converse, ou o quanto eu lute, só há uma coisa a fazer.

E o que tenho a fazer é esperar. O tempo, agora, vai ter que passar.

A travessia é longa. Mas quero crer que é possível.

Continuem torcendo por mim.

Namastê.

“Quando você foi embora,
Fez-se noite em meu viver.
Forte eu sou, mas não tem jeito:
Hoje eu tenho que chorar.

Minha casa não é minha,
E nem é meu este lugar.
Estou só.
E não resisto,
Muito tenho pra falar.

Solto a voz nas estradas,
Já não quero parar.
Meu caminho é de pedra,
Como posso sonhar?
Sonho feito de brisa,
Vento vem terminar.
Vou fechar o meu pranto,
Vou querer me matar.

Vou seguindo pela vida
Me esquecendo de você
Eu não quero mais a morte,
Tenho muito que viver.
Vou querer amar de novo
E se não der não vou sofrer.
Já não sonho.
Hoje faço com meu braço o meu viver.”

Anúncios