DEIXAR A DOR

Muito, muito tempo sem ver um dia tão bonito assim. O céu tão limpo, o tempo tão ameno, as pessoas tão calmas, a vida tão silenciosa. Nem uma única nuvem no céu azul. E um azul de uma cor tão diferente… Um tom que nunca tinha visto. E o sol… O sol lá, brilhando, sem agressividade, sem chamar atenção. Sol que apenas oferece seu calor mais carinhoso e sua claridade mais viva.

Esse dia tão bonito pediu para que eu saísse da cama de um jeito diferente hoje. Pediu para que eu pensasse em mim, em meu caminho. Aceitei o convite. Caneta, caderno, Johnny Nash no MP4, óculos escuros… E cá estou eu na beira do lago. Embora as pessoas a minha volta estejam lá, brincando, caminhando, correndo, rindo, conversando… Experimento daquela solidão profunda que sempre me acompanhou. Todos os problemas do mundo continuam lá – vírus catastróficos, violência, crises, corrupção, fome, miséria. Mas tudo parece muito, muito distante daqui.

É hora de escrever aquilo que há meses precisa ser escrito… Mas não tinha sido ainda, por falta de coragem. Talvez porque algumas coisas precisem ter um tempo para serem escritas na alma. No papel ou na tela, pessoas como eu só deixam cair aquilo que já foi definitivamente gravado no coração.

Penso que minha vida mudou, muito. Eu mudei. E tudo começou na dolorida noite em que fui obrigada a me despedir daquele que me amava, e a quem amei, e que seguirei amando. Como era bom quando preenchíamos os espaços um do outro… No tempo, na carne, no cotidiano, no sentimento, nas idéias, no beijo, no olhar, no espírito… Éramos companheiros, tranquilos e amorosos. Claro, minha vida era vida antes dele, e acima dele, e apesar dele, e só por isso consegui continuar. Mas não nego que compartilhá-la com alguém como ele era algo realmente especial. Algo que me deixava acomodada e feliz. Algo que me dava a impressão que as coisas estavam sendo exatamente como deviam ser. Algo que me dava paz.

Assim que ele se foi, todos os espaços que eram dele em mim pareceram tão vazios… Tão tristes. No vazio, a vida perde o sentido e tudo fica embotado, sem cor, sem luz. Mas o pior de vazios como esses é que eles acabam sendo ocupados… Pela dor.

E foi assim que a dor tomou o lugar da alegria em minha vida. Dor insistente e companheira, soprando seu hálito gelado em minha nuca. Aos poucos, ela foi gelando todo o resto em mim, transformando o meu interior em um lugar nevado, onde ninguém parecia poder pisar. Me acostumei a ela. E comecei a chamá-la. E ela veio. Dor comia comigo na hora do jantar. Sentava no banco do carona. Ligava antes de dormir pra saber como tinha sido o meu dia. Compartilhava leituras, audições, sessões de cinema. Ia comigo quando saía com meus amigos. Me abraçava e beijava na hora de dormir. A dor aparecia no espelho, refletida em meus olhos, todos os santos dias. As pessoas olhavam para mim e viam a dor ao meu lado, embora fingissem que não estavam vendo. A dor era a minha amante. Eu sonhava com a dor, conversava com ela, desejava a dor ao meu lado, ela era a única coisa que eu via antes de dormir e a primeira que eu via quando acordava. E não só a dor daquela perda, mas todas as outras dores de todas as outras perdas, todas elas se somando e virando uma única e imensa dor lá, me acompanhando, rindo de mim. E em um instantinho, a dor era maior que eu, me consumindo, me deixando apática e sombria. Ela parecia a única coisa capaz de ocupar o vazio deixado pelo meu amor.

Me disseram que seria assim. Me disseram que seria sofrido, sofrido como nunca. Me disseram também que o tempo ajudaria… E que tudo melhoraria, bastava que eu esperasse, que tivesse força e paciência.

Mas ninguém, nem uma única pessoa me disse que, para que a vida voltasse ao seu lugar, para que eu pudesse ser eu de novo… Ninguém me disse que eu precisaria tomar a decisão de mandar a dor ir embora. Que eu precisava deixá-la… Que nosso namoro precisaria acabar, e que seria eu a terminá-lo. Ninguém me disse que eu precisaria tirar a dor de minha vida com minhas próprias mãos. Pedacinho por pedacinho dela.

Foi uma decisão difícil. De um lado, a vida me chamando, me convidando. No abraço e nas palavras dos amigos, nos dias que vieram sem interrupção, nos desafios profissionais e práticos que a vida me impôs, nas perspectivas de futuro, na mudança do meu olhar sobre as coisas, no carinho das crianças, nas palavras sábias dos livros, nas minhas conversas com Deus, nos meus sonhos… Na mudança do meu próprio corpo que, sem a minha permissão, foi ficando mais saudável, diferente… Nas provocações e nos olhares convidativos dos moços que me lembraram, generosamente, que ainda sou uma mulher desejável, que me notaram, que me olharam nos olhos e me chamaram de volta… Em tudo isso a vida se manifestou plena, me inquerindo, me perguntando… Karina, quando você vai voltar? Já é hora… Volte.

Do outro lado, a dor… A dor da culpa, a dor do medo, a dor de outro abandono, a dor companheira que me sugava e me dizia que os dias intermináveis de luto seriam eternos. A dor, minha parceira vampira, tão sedutora e cômoda, dizendo… Karina, fique aí, quieta… Sair pode ser ainda pior.

Não sei quando foi. Mas sei que foi. Em algum momento eu devo ter resolvido voltar a viver. E como a vida antiga não podia ser recuperada… Foi necessário construir uma vida nova. Uma vida nova, como brotinhos de uma velha planta, como nova inspiração em velhos instrumentos, como novos móveis em uma velha casa. Vida se renovando, deixando tudo mais moderno, mais bonito, mais sábio e sereno.

Me sinto diferente. Não sei explicar como, mas me sinto. MInha vida mudou. E eu mudei também.

E foi então que eu vi… A dor se foi. De vez em quando ainda liga, ainda manda um recado, ainda se faz presente. Mas só toma um copo de água comigo, e vai embora. Já não dormimos juntas. Ela já não tem lugar na mesa. Ela já não acaricia o meu rosto. Ela já não está mais aqui. É visita. E como toda visita, vem, mas vai.

Então eu percebi que eu demorei a expulsar a dor não só porque tinha saudade palpável do meu amor que se foi. Mas porque tinha medo de que, se ela fosse, o vazio voltasse. Ele voltou. Mas agora, é um vazio diferente. Um vazio que pede para ser preenchido. Um vazio que pede alegria, esperança, sonho, paixão… Amor. Não sei o que irá preenchê-lo. Mas sei que não será mais dor.

Durante meses eu esperei para cantar essa canção com o coração. E hoje, vendo o céu tão azul, a vida tão convidativa, e a esperança tão acesa ao meu lado… Eu não resisti. Meus olhos molharam de novo. Mas dessa vez, de alegria. Meu namoro com a dor terminou. Eu sou uma nova pessoa. E foi então que me dei conta… A primavera nem começou ainda.

I can see clearly now, the rain is gone.
I can see all obstacles in my way…
Gone are the dark clouds that had me blind
It’s gonna be a bright, bright Sun-Shiny day.

I think I can make it now, the pain is gone.
All of the bad feelings have disappeared…
Here is the rainbow I’ve been prayin’ for:
It’s gonna be a bright, bright Sun-Shiny day.

Look all around – there’s nothin’ but blue skies
Look straight ahead – nothin’ but blue skies…

I can see clearly now, the rain is gone.
I can see all obstacles in my way…
Gone are the dark clouds that had me blind
It’s gonna be a bright, bright Sun-Shiny day.

EXPEDIENTE
Nova fase pra mim, nova fase para o Mafalda Crescida também. O layout novo agradeço ao Marcelo e a Thais. Os posts foram reagrupados em categorias renomeadas, o blogroll foi atualizado, o blog ficou mais clean e fácil de consultar no menu aí debaixo, e o cabeçalho é exclusivo. Alguns acertos ainda precisam ser feitos, mas espero que vocês tenham gostado. Enquanto não resolvo isso, se quiser comentar o post, clique sobre o título para acessar a página de comentários.
Agradeço a tudo de bom que vocês sempre desejam, comentam e me dão como leitores e amigos queridos que são. 🙂

Anúncios

21 comentários sobre “DEIXAR A DOR

  1. Na primeira vez q comentei aqui, disse a vc q compreendia a dor de um amor que morre, independente da forma que esta morte se caracteriza. Hoje quero dividir com vc q meu céu não estava tão azul como o seu e eu ouvia “sutilmente” do Skank, mas tb hoje decidi me despedir da dor e do caso q venho tendo com ela há mais de 3 anos. E não foi fácil, não será fácil. E acho q ela não passará por aqui só para tomar um copo de água…
    Independente de qualquer coisa, obrigada, mais uma vez por verbalizar meus pensamentos, me fazer refletir e me sentir viva…
    Adoro vc!!!

    Curtir

  2. Basta olhar pra vc, Kari. Vc está diferente sim. Não só mais bonita, ainda mais inteligente, menos insegura. É mais que isso. Tb não sei explicar o que é esse algo que vc ganhou com esse período tão difícil. Mas é certo que é algo que te fez melhor, mto melhor.
    Seu texto me levou às lágrimas aqui. Não sei se pq te amo mto, não sei se porque achei tão injusto tudo que houve, não sei se foi pq acompanhei de perto esse processo com vc, não sei se porque me impressiona essa sua capacidade de tornar belo tudo que passa por perto de vc, até mesmo a morte e a dor.
    O céu continuará azul… Por mtos e mtos dias, vc vai ver.
    Não tenha medo de parar de sofrer… Não sinta culpa. O que vem será gracioso, é o que vc merece e é o que terá.
    Bjo… Adorei o layout novo… Adoro vc. :))))))))))))))))))

    Curtir

  3. Que maravilha!!! Que felicidade!!! Demorou mas a Mafalda voltou!!!! hehehehe… é… demorou mais que um mês! E eu não estava mais aguentando de saudades da Mafalda. Nossa, todas as vezes, sem exceção, a Mafalda me toca! Seja lá o que ela fala, de alguma maneira ela dialoga comigo. E aqui, na solidão e com meus pensamentos, ela chega como aquela visita tão esperada mas que vem sempre sem avisar, lembrando-me que eu num to tão sozinha! Bom, muitas vezes me emociono, choro junto com ela, e queria que muita gente por aí fosse tocada com tamanha sensibilidade. Porém, mais que emocionada, hoje estou feliz!!!!!! FELIZ por sentir esse calor irradiando de sua alma! Aprendemos que nessa vida não passamos de uma metamorfose ambulante e assim nos tornamos cada vez mais fortes! Vivendo um dia de cada vez!!!! Beijos , beijos , beijos!!!

    Curtir

  4. migaaaaaaaaaaaaaaa, que delícia de post!!!!!! tto tempo que não vinha aqui, e fiquei tão feliz com o visual e principalmente com o texto!!! e sabe o que mais, eu vi vc no parque ontem! rsrsrsrsrs tava linda de azul, como o dia!!! rsrsrsrsrs eu ia lá te agarrar e apertar vc mto, de tanta saudade, mas aí vi que vc tava concentrada escrevendo, não sei pq achei melhor ir embora e falar com vc depois… ainda bem que não interrompi, já pensou se atrapalho esse texto lindo???? todo mundo que te ama, e olha que é muita gente, estava esperando esse texto, pq doía demais ver vc tristinha, fases ruins ainda virao, mas vc passará por elas mais forte. vamos ao parque juntas um dia desses? a gente leva as crianças e conversa a tarde toda! bjo, amo vc!!!!!!

    Curtir

  5. Que bom ver o sol surgindo por aqui. Mesmo devagar, sutilmente, mas é assim que funciona, passo-a-passo. Ah, e mesmo que alguém tivesse dito só a você caberia encerrar e retirar a dor de dentro de si, não seria a mesma coisa de você enxergar isso. São momentos que não surgem através de conversas, mas é algo que nasce e amadurece dentro da gente. E só quando estamos prontos, podemos iniciar o processo.

    Beijos e bom retorno à vida!

    Adore o layout novo do blog! Principalmente a logo! bjs

    Curtir

  6. Kari, mais umavez me vejo sem palavras para expressar o que sinto neste momento. Chorei! Chorei muito… Por onde eu andava? O que foi mais importante pra mim, do que oferecer meu ombro, colo, ouvido, carinho… à você?
    Amiga, a admiração que sinto por você é imensa.
    Fico feliz (e não sabe o quanto) em saber que abandonou a dor.
    TE amo muito menina!

    Curtir

  7. E a primavera nem começou ainda… Que lindo ler isso! Essa canção é maravilhosa. Fala de superação… De olhar pra trás e ver o que se realizou em meio ao sofrimento.

    Não conheci, infelizmente, a Karina de antes. Mas posso dizer que a Karina de agora me parece alguém forte, sensível e sábia o suficiente para superar um desafio tão difícil como esse que a vida lhe deu com dignidade e beleza, apesar da dor.

    Muita gente se acostuma com a dor, com a mediocridade, com a apatia. Você tem razão. É preciso muita coragem para mandar a dor embora. E é uma decisão. Uma decisão difícil, mas a melhor de todas.

    Será que essa nova mulher não pode me dar uma nova chance? :o) Eu me sentiria um homem muito, muito sortudo se assim fosse.

    Gostoso te ler de novo… Gostoso falar com você no telefone, você sempre tão doce, tão divertida e tão profunda… Está diferente, sim. E eu espero poder partilhar mais disso com você.

    Beijo carinhoso e abraço apertado. Estou muito feliz com o que li aqui hoje… Muito.

    Curtir

  8. Na primeira vez que apareci em sua vida fui feliz. Muito feliz. Depois por motivos que nós dois sabemos, nos afastamos, mas nunca estivemos longe. Voltei a sua vida num dia difícil, mas na hora certa. Não entendo porque cheguei, não entendo porque “sumi”, e não entendo porque voltei. Não entendo porque te amo assim. Não sei o que fazer. Não consigo te esquecer. Nem quero. Não que você fora de minha vida nunca mais. Quase te perdi. Não vou cometer esse erro de novo. A vida sem você é muito triste. Não sei resolver situações. Preciso de sua ajuda. Preciso de você. Como e disse, não sei porque voltei, mas sei que voltei na hora certa, no dia certo. Te amo….sempre e amei.
    Nossa história foi interrompida por um momento, mas voltou a ser escrita. Depende de nós dois determinar o caminha que essa história vai seguir. Gostaria de determinar esse caminho junto de você agora. Nunca mais quero estar fora de sua vida. Nunca mais quero você fora da minha.
    Não quero você com mais ninguém, pois você sabe que quero você comigo, sempre.
    Como já te disse, o próximo passo depende de você. Espero ouvir sua voz.
    Te amo muito. Muito mesmo.

    Curtir

  9. Karina…

    Nada no mundo muda tanto a gente quanto a dor, qualquer que seja ela.
    E bem-aventurados são aqueles que, como vc, conseguem mandá-la embora, mas conservam em si tudo o que foi aprendido e compreendido nos dias nublados e tristes.
    Vc tem toda a minha admiração, porque no seu lugar, muitos sucumbiriam e desistiriam da vida, mas vc escolhe viver, pois sabe que esse é o melhor, talvez o único caminho, e que mesmo difícil de ser trilhado ainda tem muita alegria pra vc.

    Fico na torcida por muitos, muitos dias de céu límpido e azul…
    Que o espaço da dor seja preenchido por sonhos, amor, alegria, esperança… E que felicidade de verdade seja a sua companhia de agora em diante…
    Deus te abençoe…

    Grande abraço e todo o meu carinho

    Curtir

  10. Ai.. que saudade que eu tava de te ler, Kari! Eu sabia que quando tivesse novidade, seria com certeza algo intenso e cheio de sentimento como tudo que vc escreve. Posts que nao vem pq tem data, vem pq precisam que os sentimentos brotem e encontrem seu lugar no ‘papel’.

    Amo como vc consegue definir esses sentimentos! As vezes é tudo tao contraditorio dentro da gente – a gente quer seguir em frente, mas nao quer esquecer quem fez tanto bem. Parece ter medo de deixar a dor, de aceitar a felicidade, de parecer ingrata, de parecer esquecer. Mas é preciso realmente seguir em frente. E o tempo passa e realmente faz mts coisas e sentimentos mudarem, se organizarem, mas, é fato: isso se deve, na maioria das vezes, a um esforço consciente que fazemos de usar o tempo a nosso favor, de agirmos!

    Fico feliz que vc ta conseguindo isso! Que teve fim o namoro com a dor! E que a primavera seja florida e linda! Pq vc é linda! E vc merece! Tenho um carinho inexplicavel e enorme por ti!

    E ah… so pra registrar. Meu trecho favorito do post?! Dois!
    “Experimento daquela solidão profunda que sempre me acompanhou. Todos os problemas do mundo continuam lá – vírus catastróficos, violência, crises, corrupção, fome, miséria. Mas tudo parece muito, muito distante daqui.” – Tao a minha cara!
    “Claro, minha vida era vida antes dele, e acima dele, e apesar dele, e só por isso consegui continuar. Mas não nego que compartilhá-la com alguém como ele era algo realmente especial.” – Amar é isso!

    Curtir

  11. Ler seu texto me fez voltar no tempo. Foi como ver um filme da minha própria história, com uma dor parecida com a sua.
    Eu tinha certeza que vc superaria este momento tão difícil e estou muito feliz por saber que saiu dele renovada.
    Um beijo

    Curtir

  12. Engraçado como a escuridão derruba umas pessoas, e a outras faz mais forte…
    Acredito que você tenha razão, é uma questão de escolha mesmo. A dor é inevitável. O que fazer com ela depende de cada um.
    Mesmo em um período tão sofrido, você iluminou tanta gente com seu exemplo. Dividiu sua dor, e agora divide conosco a sua disposição de buscar a alegria.
    É por isso que você é tão especial, e é por isso que é tão encantadora e amada. Mérito seu!
    Estou com muitas saudades… Vou ligar pra um convite… Espero que você aceite!
    Abraço!

    Curtir

  13. Oiê, amei tudo por aqui Ká, me emocionei c/ seu novo texto, e fiquei muito feliz em sentir que vc está bem, vc é uma pessoa muito iluminada e merece muita coisa boa… Bem, como já disse adoro ler as coisas que vc escreve, acho que serei uma visitante assidua por aqui. Um gde beijo, um ótimo fim de semana!

    Curtir

  14. SABIA QUE ESSE DIA CHEGARIA! E QUE BONITO LER ESSE TEXTO TÃO INSPIRADO, VERDADEIRO E TOCANTE.
    QUE VIDA MAIS MALVADA QUE NOS OBRIGA A SOFRER. QUE VIDA BANDIDA QUE NOS ROUBA O QUE NOS É PRECIOSO. QUE VIDA INCRÍVEL QUE NOS MOSTRA QUE PARA RENASCER É PRECISO MORRER.
    BEM-VINDA A SUA NOVA VIDA! PARABÉNS! FELIZ ANIVERSÁRIO MAFALDA CRESCIDA!

    Curtir

  15. Fico feliz por voce, e vejo o meu passado que não pode voltar. As pessoas estão ao nosso lado e o presente não nos deixa aproximar.
    Essa é a pior dor que posso sentir e acredito que nada é perdido e lembro somente de nossos momentos de alegria!

    AKS para Nos.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s