PLANILHA DE CÁLCULOS


O preço do silêncio é a mágoa.
O preço da fala é o atrito.


O preço da ousadia são os arranhões.
O preço do medo é a angústia.


O preço da mudança é a incerteza.
O preço da apatia é a frustração.

O preço da ação é a reação.
O preço da inércia é a dureza.

O preço do encontro é a separação.
O preço da fuga é a solidão.

O preço da emoção é a confusão.
O preço do desdém é a frieza.

O preço da auto-estima é a intolerância.
O preço da auto-depreciação é a infelicidade.

O preço do vínculo é a dependência.
O preço da esquivança é o vazio.

O preço do desejo é o vício.
O preço do recalque é a insatisfação.

O preço do altruísmo é o esgotamento.
O preço do egoísmo é a rejeição.

O preço do amor é a dor.
O preço da segurança é a tristeza.

O preço do atrevimento é o castigo.
O preço da submissão é a raiva contida.

O preço da liberdade é o julgamento.
O preço da opressão é o limite.

O preço do sucesso é a inveja.
O preço do fracasso é a vergonha.

O preço da verdade é a incompreensão.
O preço da mentira é a ilusão.

O preço da consciência é a responsabilidade.
O preço da ignorância é a manipulação.

O preço de sobreviver é a morte em vida.
O preço de viver é a própria vida.

Agora é fazer os cálculos, conferir os recursos e fazer as contas do quanto se quer e se pode gastar.

Porque o preço de fazer escolhas é pagar por elas.
E o preço de não fazê-las, também.

***

Ao fazer uma leitura geral do blog pra criar a página “Sobre o Blog” aí de cima, encontrei os textos que escrevi quando participava, com exagerado orgulho, da turma que fazia o Mondo Redondo – textos que ficaram esquecidos e perdidos num arquivo pdf aqui. Este é um deles, que resolvi republicar por me parecer ainda tão atual e necessário para pensar. Aos poucos coloco os outros por aqui. 😉

REPETINDO O EXPEDIENTE

Quero agradecer imensamente aos mais de 3000 votos que o Mafalda Crescida recebeu no concurso BlogBooks. Ele ficou entre os 10 mais votados na categoria Universo Feminino, e agora será analisado por uma comissão editorial, junto com outros 9 fortes concorrentes, para, quem sabe, virar livro de verdade.

Se o blog finalmente será editado em papel, não sei. Mas sei que, em seus mais de 7 anos de existência, ele já me trouxe muitas alegrias. Além do aprendizado de me compreender melhor ao tentar traduzir o que sinto e penso em palavras… Ele me trouxe amigos sinceros e raros, viagens, experiências culturais, amores, notoriedade, descobertas, proximidade com pessoas pela afinidade… E a alegria de poder usar a palavra, essa mais fantástica invenção humana, essa dádiva divina… Para comunicar o que vai dentro de mim. VALEU!

E vamos ficar na torcida… Quem sabe logo, logo o Mafaldinha vai parar na estante de vocês. :-)

Anúncios

10 GORDICES PARA SE ESBALDAR EM SAMPA

( Post encomendando por e dedicado a minha amiga Camila, e partilhado com os queridos amigos do grupo dos legais que sempre me acompanham pra aproveitar as boas coisas da vida e gastar dinheiro sem dó. 🙂 )

Meu saudoso noivo, embora fosse culto, literato, versado em ciência e arte, cinéfilo e apreciador das boas coisas da vida, gostava mesmo é de sair pra comer. Ele sempre dizia que pessoas que sabem comer juntas sabem partilhar coisas íntimas da alma com mais facilidade e leveza. E eu simplesmente adorava acompanhá-lo, pelo prazer da companhia e das gordices, uma vez que ambos ficávamos muito mais felizes comendo bobagens enquanto tagarelávamos sem parar sobre as coisas simples e profundas da vida.

Todos nós, como pessoas, guardamos o hábito de comer juntos não só pelo alimento, que sustenta o corpo. Existe nessa prática um ato simbólico e ancestral de sustentar também o vínculo, a proximidade, a alegria de estarmos juntos, de cuidarmos uns dos outros para garantir a sobrevivência da espécie em um mundo cheio de condições adversas. E deve ser uma pena não saber o prazer de estar rodeado de amigos e queridos em geral em volta de uma mesa ( não importa se caseira ou pública, não importa se cara ou barata ) cheia de coisas gostosas que estimulam os sentidos, todos eles – e de quebra, acalmam o coração.

São Paulo é uma cidade onde se come muito bem – e paga-se muito caro por isso. Eu podia citar pelo menos uma centena de lugares por aqui onde gostaria de ir bem acompanhada quando bate a fome – de corpo ou de alma. Mas segue uma modesta, pessoalíssima e gostosa listinha das coisas que me apetecem e que me trazem maravilhosas recordações, de todos os tipos e números de calorias. 🙂

1. Frango desossado frito e yakissoba do China Esmeralda


Sou cliente antiga do China Esmeralda, um restaurante que fica em uma simpática casa em Perdizes, e que agrada pelo ambiente bonito, o preço justo e o capricho na comida. Eles fazem o melhor frango frito que já comi na vida – crocante por fora, macio por dentro. O macarrão com dez ingredientes é delicioso, sem citar o ninho esmeralda ( foto ) e as frutas caramelizadas de sobremesa. O atendimento do restaurante é perfeito, a comida é rápida, fresca e quentinha. Nham nham…

China Esmeralda – Restaurante Especializado em Comida Chinesa

Rua Doutor Cândido Espinheira, Perdizes, São Paulo, SP  Telefone: 3862-7798


2.  Pastel de carne da Pastelaria Brasileira

Pra quem, como eu, ama pastel, São Paulo é um paraíso, com suas feiras livres incríveis e pastelarias espalhadas em cada esquina. Mas a receita do recheio de carne da Pastelaria Brasileira é algo de outro mundo. Com muitas filiais “não-autorizadas” aqui na Zona Oeste ( a da Lapa, na Rua Monteiro de Melo, é também campeã ), o lugar agrada pela variedade de salgados e pelo pastel barato e gostoso. Nham nham nham.

Pastelaria Brasileira

Rua Turiassú, 2113, Pompéia, São Paulo, SP Telefone: 3672-8606

http://www.pastelariabrasileiraonline.com.br/


3. Porção de frango com catupiry e merengata de morango do Cacilda


O ambiente do Cacilda é muito gostoso, bonito, calmo, bem decorado. Basta clicar no site do bar pra ver como ele é perfeito e multi-facetado, pra ir com os amigos, pra levar alguém importante do trabalho ou pra curtir momentos a dois ( tem um jardim maravilhoso e intimista, perfeito pra momentos românticos em noites de primavera. 🙂 ). A comida é muito, muito bem feita. Qualquer um dos pratos e porções caem muito bem. O bar também é ótimo pra quem gosta de beber, tem uma ótima carta de vinhos e destilados, e caipirinhas deliciosas. O franguinho com catupiry e a merengata de morango me fazem querer voltar lá quase sempre. O atendimento é feito por pessoas inteligentes, prestativas e muito educadas. Os únicos defeitos são os preços – bem salgados – e o fato de fechar muito cedo.  Pra gente que, como eu, gosta de varar a noite batendo papo, é um pecado ter que ir ambora antes da uma da manhã. Nhammmmmmmmmmm.

Bar e Restaurante Cacilda

Rua Tito,237, Vila Romana, São Paulo, SP Telefone: 3679-2044

http://www.cacildabarerestaurante.com.br/


4. Sanduíche de pernil do Estadão


Quem é da madrugada sabe que em Sampa, os lugares pra comer que funcionam 24 horas são sempre frequentados por gente interessante e tem muita comida boa. O tradicional Bar do Estadão, que fica bem no centro da cidade, é um boteco de classe onde convivem harmoniosamente madrugadores de todos os tipos. De quem vai tomar café e ler um livro de filosofia, a quem vai encher a cara de cachaça e chorar as mágoas para os simpáticos atendentes, todo mundo gosta mesmo é do sanduíche de pernil, cheiroso, e que pode custar um dia de vida. Mas o que é a vida sem os prazeres da carne? Nham nham nham.

Bar do Estadão

Viaduto Nove de Julho, 193, Centro, São Paulo, SP  Telefone: 3257-7121

http://www.estadaolanches.com.br/

5. Pizza de Pomarola da Familglia Lucco

A coisa que eu mais adoro comer no mundo é pizza. Por isso, conheço muitas, e várias. São Paulo tem excelentes pizzarias, e eu poderia fazer um TOP 50 com elas. Mas a pizza de Pomarola, da Famiglia Lucco, tem uma camada extra de molho delicioso e queijo, eu ADORO. A massa fininha não pesa no estômago. De entrada dá pra pedir uma porção de massa de pizza com parmesão e azeite. Nham nham nham. Lá você vê desde mesas enormes com famílias inteiras quanto casais apaixonados juntinhos pelos cantos. O lugar é bonito, super bem decorado. O atendimento é ótimo e bem humorado, e os outros sabores de pizza também são excelentes. O preço… Bem, dá pra fazer um esforço em ocasiões especiais. 🙂

Pizzaria Famiglia Lucco

Rua Pio XI, 240, Lapa, São Paulo, SP.  Telefone: 3641-3226

http://www.famiglialucco.com.br/


6.  Coxa-creme da Padaria Santa Tereza

O centro da cidade seria lindo se não fosse trágico. Mas a gente acha coisas interessantíssimas se procurar direitinho. Livrarias e sebos, lojas especiais, centros culturais, arquitetura, arte, história, absolutamente todo tipo de gente… E lugares com mais de 130 anos de tradição em fazer gordice, como a Padaria Santa Tereza. Tudo lá é gostoso, e gostoso, e gostoso. A coxa-creme – uma coxa de frango, envolta em uma massa deliciosa, frita e bem fresquinha – é uma excelente pedida para quem está circulando entre a Praça da Sé e a Liberdade. Fica bem ao lado do Sebo do Messias, e vale a visita depois de encher o nariz de pó dos livros velhos. 🙂 O preço é de padaria, e o atendimento é ótimo.

Padaria Santa Tereza

Praça João Mendes, 150, Centro, São Paulo, SP  Telefone: 3241-1735

7. Sorvete de iogurte com amora da Gelateria Zucchero

Doces, bolos e sorvetes é outra categoria que dava pra fazer uma enorme lista de indicações. Mas escolhi o sorvete de iogurte com amora da Zucchero por ser perfeito pro meu paladar. Tem uma loja no Shopping Metrô Santa Cruz, onde dá pra comer no balcão e ficar doido com a apresentação bonita dos sorvetes antes de encarar um cinema. A sorveteria permite você se servir de calda, cobertura e todas aquelas melecas deliciosas antes de pesar o sorvete, à vontade, além de outras gordices como o petit-gateau e o milk-shake. Delícia!

Gelateria Zucchero

Rua Domingos de Moraes, 2564, Vila Mariana, São Paulo, SP Telefone: 5575-5633

http://www.clienteg3w.com.br/gelateriazucchero/site/

8. Pizza de mussarella da Padaria Palmeiras

Espremida entre as casinhas velhas e miseráveis de Santa Cecília e todo o esnobismo de Higienópolis, a Padaria Palmeiras é tradicional e bem antiga. É uma lembrança boa da infância, quando meu pai passava lá depois da igreja, aos domingos, e pedia uma pizza pra gente vir comendo no carro, esticando o queijo e fazendo meleca. Muuuuuuuuuuito queijo. No balcão, você senta e pede a pizza em pedaços – são sabores tradicionais misturados a outros bem exclusivos. A massa é boa e o recheio farto. Dá pra comer outras coisas boas, como o sonho e a tortinha de limão. Nhammm.

Padaria e Confeitaria Palmeiras

Praça Marechal Deodoro, 268, Santa Cecília, São Paulo, SP Telefone: 3666-6054

9. Nhoque ao molho branco da Cantina Capuanno

A Cantina Capuano é o restaurante mais antigo da cidade em funcionamento ininterrupto. Localizada no olho do Bexiga, lugar onde sempre se come muito bem, ela é muito charmosa. Tem cara de coisa antiga, e dá pra ficar horas olhando pras paredes e comentando as relíquias que estão lá. A comida é muito boa, a começar pelo couvert de entrada – uma berinjela sem igual, sardella, linguiça de primeira – e o atendimento é simpático. Lá circulam pessoas idosas cheias de histórias pra contar. As massas, sempre deliciosas, são artesanais e tradicionais, e o molho é impecável. Dá pra aproveitar um cardápio de carne bem sofisticado e gostoso também. Sábados à noite o clima é romântico, com cantores que vão até as mesas oferecer canções aos casais e famílias, e as floristas que entregam flores declamando versos. É um lugar especialíssimo pra mim, onde gosto de lembrar de coisas lindas que lá aconteceram, e também onde gosto de levar visitantes de outras cidades quando vêm pra cá. O único senão é o preço… Mas, de novo, vale a pena em ocasiões especiais.

Cantina Capuano

Rua Conselheiro Carrão, 416, Bela Vista, São Paulo, SP  Telefone: 3288-1460


10. Rodízio de sopas da Dona Deôla

Padarias são espaços muito interessantes. Dá pra comer de tudo, bem à vontade e sem frescura. A Dona Deôla do Alto da Lapa é muito, muito charmosa. Tem um bufê de sopas bem servido no inverno ( o caldo verde é delícia ), lanches tradicionais e especiais, pizza e sucos, doces e pratos rápidos – tudo muito bem servido, rápido e muito gostoso. Funciona 24 horas. Delícia ir lá depois das 2 da manhã, quando o atendimento é mais tranquilo e dá pra estacionar numa boa – nos horários de pico é uma loucura. Pra quem é da manhã, tem um café matinal delicioso. Vale marcar também o bolo bem-casado, uma bomba calórica que vale cada mordida, de tão gostoso que é. NHam nham nham.

Padaria Dona Deôla

Rua Pio XI, 1377, Alto da Lapa, São Paulo, SP  Telefone: 3022-5640

http://www.donadeola.com.br/

EXPEDIENTE

Quero agradecer imensamente aos mais de 3000 votos que o Mafalda Crescida recebeu no concurso BlogBooks. Ele ficou entre os 10 mais votados na categoria Universo Feminino, e agora será analisado por uma comissão editorial, junto com outros 9 fortes concorrentes, para, quem sabe, virar livro de verdade.

Se o blog finalmente será editado em papel, não sei. Mas sei que, em seus mais de 7 anos de existência, ele já me trouxe muitas alegrias. Além do aprendizado de me compreender melhor ao tentar traduzir o que sinto e penso em palavras… Ele me trouxe amigos sinceros e raros, viagens, experiências culturais, amores, notoriedade, descobertas, proximidade com pessoas pela afinidade… E a alegria de poder usar a palavra, essa mais fantástica invenção humana, essa dádiva divina… Para comunicar o que vai dentro de mim. VALEU!

E vamos ficar na torcida… Quem sabe logo, logo o Mafaldinha vai parar na estante de vocês. 🙂