VERBETE

NAMORAR

Datação
sXIII cf. FichIVPM
Acepções
? verbo transitivo direto e intransitivo

1. Olhar com cobiça, desejando; querer; fazer de tudo para ter; mostrar o que tem  de melhor para agradar; traçar planos; perder o sono e a fome por; apaixonar-se irremediavelmente; sorrir à toa; ficar bobo; conquistar; viver alternando entre o céu e o inferno; desassossegar; arriscar-se.

2. Acompanhar; afinar-se com; sair junto; achar graça em tudo que o outro faz; encantar-se; valorizar pequenas coisas; dispor-se a conhecer; abrir mão de; passear de mãos dadas; comer junto; esconder-se; mostrar-se; buscar igualdades; driblar diferenças; ajeitar-se a; aninhar-se; curtir a companhia de; ter prazer em; olhar profundamente para; ser feliz em estar perto.

3. Beijar; abraçar; agarrar; tocar; acariciar; morder; balançar; roçar; acarinhar; sussurrar; brincar; admirar; atrair; seduzir; caprichar; tomar; sorver; esfregar; perder a cabeça; querer, querer, querer e querer.

4. Pertencer; dispor-se a; assumir; compromissar; precisar; contar com; cuidar; dividir; trocar; presentear; doar sem esperar retorno; retornar; apreciar com constância; manter; esforçar-se por; participar.

5. Lutar por; brigar; enciumar-se de; dar exclusividade a; ser leal a; falar a verdade; manter a palavra; discutir; tratar com sinceridade; conversar; expressar; esclarecer; curar; tentar e tentar e tentar e tentar.

6. Suportar; perdoar; desprender-se; relevar; esquecer; serenizar; superar; fingir que não viu; despriorizar; mudar de ideia; mudar de atitude; acalmar os ânimos; repescar; ajudar; desculpar; não criar caso; deixar passar; fazer questão; alternar; compreender; aceitar; ajudar.

7. Apoiar; admirar; elogiar; cruzar; enternecer; emocionar; tocar o coração; elevar a; priorizar; valorizar a; colocar em alto grau de estima e consideração; atentar-se a; ouvir; minorizar problemas; colocar a mão na massa por; alimentar; em estando em problemas, cuidar de; velar o sono de; dar toques a; ser o suporte de.

8. Sonhar com; planejar; buscar o futuro junto a; olhar para a mesma direção; estabelecer objetivos comuns; perceber desejos comuns; querer continuidade; apegar-se a; não querer afastar-se de.

9. Entregar-se; reformular-se; renergar-se; exigir-se; pacientizar-se; conscientizar-se; buscar humildade em si mesmo; respeitar-se; mudar; deixar o passado; curar feridas; deixar-se; permitir-se; querer bem a si mesmo; oferecer-se; manter-se; enfeitar-se; admirar-se; conhecer-se; domar-se; superar-se.

10. Viver junto.

Enfim…

AMAR.

Namorar de verdade mesmo é para os fortes.
Ajudinha do Houassis na parte técnica.

Feliz dia dos namorados a todos e todas que se dispuseram a levar o amor às últimas consequências… O que nada mais significa do que vivê-lo plenamente… 🙂

Anúncios

MAIS UM DE AMOR…

Há um espaço entre o amor e eu.

Em uma ponta, estou eu. Pés no chão, fincados e atolados na lama da falsa segurança da solidão, de todos os sonhos frustados, da mágoa, da tristeza, da saudade, da inglória incompetência de outros amores dolorosamente acabados. Na outra ponta, um incrível e sedutor cenário desconhecido a me chamar, envolver, provocar. Sinto um cheiro delicioso vindo de lá… Ouço belas melodias ao longe, risadas, gargalhadas até. Vejo relances de cores que nunca vi antes, grandiosas e diferentes. Tenho enorme vontade de experimentar tudo que há lá.

Mas há um espaço entre o amor e eu. Um abismo escuro, profundo, mas não tão largo… Apenas um pouco maior do que minha perna. Só preciso de um pouco de impulso para pular, para me atirar lá, lá onde é impossível não querer estar. Está tão perto… Só um pulo. Já me atirei outras vezes, já cheguei até mesmo a voar pra lá, tão leve estava. Talvez devesse tentar de novo… É só um pulo.

Mas é tão difícil livrar-me da minha própria lama… Ela deixa meus pés imóveis, pesados, doloridos. É tão fácil achar que minha força não vai ser suficiente, que não vou conseguir pular e vou cair naquele abismo profundo de silêncio, escuridão e dor, e vou ficar caindo, caindo, caindo, até pousar em outra lama, ainda mais fétida e poderosa que a minha, e que dessa vez ela pode me enterrar até a cabeça. Então fico ali, parada, olhando, pressentindo, admirando aquilo que quero tanto ter e, embora esteja ao meu alcance, não posso me permitir tentar.

Chegou a hora em que me senti incapaz de juntar meus próprios cacos, mesmo depois de já ter feito isso tantas vezes. São muitos, e tão pequenos, e tão cortantes, e tão pontudos.

E é justamente nessa hora que aparece alguém do outro lado, na beiradinha. Já está lá, onde quero estar; não pode vir me buscar onde estou, que dali só eu mesma posso sair. Mas, de onde está, resolve olhar pra mim. Me olha direito, profundamente, entendendo, admirando; e vê além do que aparento ser – vê todo brilho que um dia eu tive, e que se escondeu em algum lugar. Me olha e fala comigo mansamente. Assustada, finjo que não ouço, fecho os olhos, me coloco em silêncio absoluto.

Mas ele não desiste. Ele sabe esperar… E espera. Enquanto espera, vai me encantando, dando de graça aquilo que sempre cobraram de mim. Vai me fazendo limpar os pés. Vai construindo intimidade sem me invadir. Vai me dando roupas mais leves pra vestir. Vai me enchendo de sorrisos, e quando percebo e tenho vontade de fugir, ele me distrai, como se faz com uma criança medrosa. Vai cuidando de mim, bem devagar. Vai me fazendo deixar as coisas tristes para trás, e me fazendo entender que para pular o abismo do amor, é preciso mais que coragem… É preciso fé. E muita fé.

Ele esteve lá, e estendeu a mão por muito, muito tempo, sorrindo docemente pra mim, me chamando pra viver aquilo tudo que um dia eu esqueci de sonhar.

Há um espaço entre o amor e eu, e para pulá-lo é preciso coragem, e fé. Fica mais fácil pular quando tem alguém do outro lado, com os braços abertos, dizendo vem, que eu te seguro… Vem, que eu te amparo… Vem, que eu te empresto o que te falta até você ter de novo… Vem, que você consegue.

E eu vou…

Soundtrack: