TEXTOS MONDO REDONDO – JUSTO A MIM ME COUBE SER EU!

Escrever um blog é uma experiência incrível, e é por isso que esse aqui existe. Já comecei outros blogs… Profissionais ( Diário de Classe / Gira Cirandinha ), um só pra falar de música ( lá tinha tantos textos, e não me lembro do endereço de jeito nenhum! ), outro só pra falar de questões espirituais ( “Conversas com Deus” – acho que o WordPress apagou por falta de uso ), e também um outro blog só de meninas, que nem de longe me lembro o título ou endereço. Era muita vontade de escrever.

E no auge da minha carreira de pseudo-escritora ( cof cof ) fui convidada a escrever em blogs coletivos. E, em especial, para fazer parte de um grupo muito especial, que escrevia em uma página chamada Mondo Redondo. Tive a honra de dividir a página com gente incrível, e que tinha ( tem! ) enorme talento pra escrever – Anderson, Vulgo Dudu, Rodrigo, Marcio Silva, Elis, Lili, Paulo… Puxa, quanta gente bacana. Bons, ótimos tempos!

Pro Mondo eu sempre guardava o meu melhor. Mas o blog saiu do ar e os textos ficaram aqui, perdidos em uma pastinha do meu computador que, com o tempo e a minha falta de organização, claro, vão se perder também.

Aproveitando essa onda nostálgica que me trouxe de volta ao Mafaldinha, resolvi postar alguns dos textos aqui, aos poucos, os que ainda podem fazer sentido, para que não se percam.

E pra combinar… Um texto inspirado por uma tirinha da Mafalda.

“JUSTO A MIM ME COUBE SER EU!” – Publicado em Fevereiro de 2005
Foi a minha adorada Mafaldinha que me acordou para esse delicioso e assustador fato em uma de suas tirinhas. Justo a mim me coube ser eu. Com a minha vida, a minha existência, faço o que quiser. E, salvo
certos casos de violência e opressão extremas, ninguém me demove da ideia de que são nossas escolhas ( ou a falta delas ) que nos fazem assim, do jeito que somos.

Em situações normais, não existem vítimas. O que faz a diferença é termos consciência disso, ou não. Conheço muita gente que não tem a menor ideia de por que se tornou quem é. E outros tantos que não conhecem o valor da flexibilidade e da mudança, preferindo ser sempre os mesmos durante toda uma existência, em todos os jeitos. Para todos eles, lembro o que a sábia Mafalda quis dizer – apenas a nós cabe cuidarmos de ser nós mesmos. Os outros apenas nos acompanham, ajudando ou atrapalhando, mas a decisão final é nossa.
Afinal, eles também estão cuidando de buscar quem são.

Pensando um pouco mais na descoberta da Mafalda, fiquei pensando em quem eu sou. Meus documentos dizem uma coisa, as pessoas que convivem comigo dizem outra, o que eu penso e sinto me levam a outros
pensamentos, e tudo muda tão rápido, e tudo acontece tão junto que fico perdida pensando na resposta. E me lembro do Machado de Assis dizendo que, na verdade, somos todos esquizofrênicos. Não sou uma. Sou várias.

De vez em quando, sou doce, falo manso, gosto de flores e poesia, suspiro e falo de amor como quem respira o que ama. Em outra vez, sou menina e inconsequente, só penso em brincar, sorrir e falar alto, cantar e dançar, sentir-me leve e livre, deixando-me perder e guiar, como
um filhote de pássaro. Falante e despojada. Reservada e tímida. Posso ser altiva e dura, brigar como uma leoa pelo que quero. Ou parecer uma criança desprotegida que precisa de proteção e apoio imediatos.

Em um dia, fico pesarosa e reflexiva, imersa em mim mesma, em algum lugar tão fundo e tão distante, que depois que volto, nem eu mesma sei dizer onde é. Em outro dia, fico com vontade de gente, de papo, de toque,
de renovação e novidade, e saio por aí procurando o que não encontrei quando fiquei eu comigo mesma… Naquele outro dia.

No meu trabalho, sou séria e profissional, asséptica e eficiente, cheia de metas e objetivos que precisam ser atingidos com a mais alta perfeição possível. Mas posso também ser relaxada, irreverente e tranquila, trabalhando apenas pelo prazer e a alegria de trabalhar,
perdendo em resultados, mas ganhando em caminhos e contatos.

Posso ser uma filha rebelde e malcriada, uma namorada doce e carinhosa, uma neta atenciosa e dedicada, uma irmã amiga e teimosa. Posso ser uma amante quente e atritante, ou lenta e submissa. Posso ser uma amiga que ouve, uma que fala, uma que dá risadas altas e ecoantes,
ou uma outra que chora cúmplice e resignada. Posso ser divertida, cínica, sarcástica, vingativa, e até rancorosa.

Posso gostar da dor ou do prazer. Posso ter vontade de comer chocolate num dia e no outro ter aversão a tudo que é doce. Às vezes, posso perdoar com a maior facilidade, e perdoar tanto que quase chego a esquecer. Em outras, não consigo perdoar de jeito nenhum, e sou
dura e fria como uma pedra. Depende da pessoa, do momento, dos acontecimentos. Depende de tudo.

Não se trata de ser dissimulada ou calculista; apenas de dançar conforme a música. E posso ser tantas outras. E todas elas sou eu. Em comum, apenas o dever de ser verdadeira em tudo, a consciência da impermanência das coisas e pessoas e a vontade de ser a melhor que posso ser em cada momento, em cada lugar, com cada um que
cruza meu caminho.

Talvez tudo isso aconteça porque não faz diferença nenhuma saber quem eu sou. Eu sou eu. Só assim. Karina, 28 anos, fazendo o melhor que pode, sendo várias e tentando fazer algo de bom nesse mundo. Nem
sempre consegue. Mas tenta. A resposta final… Só no final vou saber. E só eu vou saber.

 

2 comentários sobre “TEXTOS MONDO REDONDO – JUSTO A MIM ME COUBE SER EU!

  1. Ai, Karina… Não me fala que você perdeu aquele blog das conversas com Deus! Você tem backup daqueles textos?????? Caramba, ali tinha muitos textos bons, verdadeiros tratados teológicos!!!!! NÃO ACREDITO QUE VOCÊ MARCOU BOBEIRA DESSE JEITO.
    O mesmo pro blog “Canções de Amor” – você não lembra, mas eu lembro. Eu não achei ele na busca. Não me diga que foi apagado e você perdeu tudo aquilo… PUTZ.
    Menina, não pode fazer assim, miga…
    Me diz que você tem backup disso tudo. Inclusive do Mafalda. Se der um tilti aqui, você tem cópia desses textos? Vamos fazer já.

    Curtir

  2. Essa Dri está lendo na minha frente e dizendo tudo o que eu queria dizer. Rs. (Com a diferença de que não conheci os outros blogs!!!)
    Backup DJÁ!!!

    E eu poderia assinar esse seu texto, sem mudar quase nada… 😉

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s