OS 15 AMIGOS DO AMOR – DESEJO

quadro-84x124-o-beijo-gustav-klimt

Queridos noivinhos,

O velho Freud, grande entendedor da alma humana, afirmava que o desejo era a energia que fazia o motor do instinto de vida funcionar. Sem desejo, não há vontade de vida, não há motivação, não há razão pra continuar.

O velho Nelson Rodrigues também falava de desejo, de paixão. Sem paixão, dizia ele, não é possível nem mesmo chupar um picolé. A vida sem paixão, sem desejo, é uma coisa muito triste. Sem graça. Sem mudança. Sem vontade. Sem alegria.

Por outro lado, sabemos da crueldade do desejo quando ele fica grande demais e nos toma. Vocês se apaixonaram um dia, sabem do que estou falando. A paixão é fogo que nos consome, nos queima, nos atrai tanto quanto nos repele, que nos deixa bobos e sem rumo.

O desejo pode nos tornar alguém possessivo, ciumento, inconsequente, paranoico… Obsessivo. Tal como o remédio, a diferença entre o veneno e a cura está na dose. Tal como o sal que colocamos na comida, o desejo precisa ser dosado. Sem ele, não tem sabor; com muito dele, tudo fica amargo e rouba todo o brilho do prato servido.

Não estou falando apenas de sexo, de atração física. Isso é muito importante, e pode, muitas vezes, sustentar um relacionamento quando outros aspectos vão mal, até que tudo se equilibre novamente. Mas paixão, desejo, vai além disso. O desejo que se expressa no corpo, no toque, no tesão pode começar em outros caminhos. As pessoas que amam sabem que o desejo que termina no corpo, começou por dentro, na ânsia de encantar-se com a alma de alguém, com a inteireza de alguém.

Noivinhos, eu espero que vocês sempre se desejem. Desejem ardentemente esperar o final de um dia cheio de trabalho para se encontrarem. Desejem muito contar um pro outro algo que descobriram, que pensaram, que sofreram. Desejem bastante contar com a companhia do outro pra ver um filme, ou passear, ou aprenderem algo juntos, ou curtir uma viagem, ou comer algo que gostem. Que desejem dividir a vida, dos aspectos mais bestas do cotidiano aos momentos de grandes e completas mudanças.

Que vocês mudem, sim, que ninguém pode ficar parado. Mas que a cada mudança, física ou de personalidade, vocês consigam surpreender um ao outro e morrer de desejo novamente, e assim continuarem juntos. Muitas vezes, esse processo não é natural; é preciso alimentar a chama, colocar mais lenha, mais carvão, abafar para maneirar o fogo, encher de vento para a chama reacender. Se for preciso pensar e trabalhar para que o desejo volte… Façam.

Em inglês, se diz que alguém “cai” de amor. Paixão é isso. Ela quebra nossos joelhos, nossa postura arrogante e tão segura de si, e nos coloca deliciosamente prostrados diante de uma outra pessoa que, pela confiança, merece a nossa entrega. O desejo cega, mas também pode nos abrir os olhos. A paixão nos faz aptos a ceder quase tudo pelo desejo de estar, tocar, ter, fundir-se com a outra pessoa.

Uma pessoa apaixonada não conhece dificuldade, nem desafio. Enfrenta tudo, vai a qualquer lugar, fica sem dormir, suporta coisas que ninguém imaginaria. O desejo é força!

Portanto, que não lhes falte e nem lhes sobre desejo, queridos noivinhos. Assim, o amor de vocês será sempre, sempre cercado desse instinto de vida que nos faz seguir em frente.

Até a próxima!

Um comentário sobre “OS 15 AMIGOS DO AMOR – DESEJO

  1. Eu tenho tanta saudade de você, moça… Chega dói. Não é possível superar alguém como você. Feliz em te ver amando, e tão brilhante como sempre. E feliz ainda em te ver escrevendo. Bjo

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s