2019

 

Tinha tudo pra ser um ano ruim. E foi. Eu sabia. Por isso não quis nem falar disso quando 2019 chegou.

O mundo está doente, louco e agressivo. E bateu feio. Foi todo dia um leão pra matar. Às vezes fui devorada, às vezes ganhei a briga. Mas segui. Porque não tem outro jeito de viver a não ser vivendo.

O país está desmoronando. E não há muito o que eu possa fazer pra evitar. Na verdade, quase nada.

No trabalho, só desmonte, destruição, notícias ruins, chefe péssima, atraso, estranhamento do lugar que antes eu considerava minha casa, meu porto seguro. Na verdade, não existe porto seguro possível além de mim, e é horrível perceber isso. Foi ano de pensar em desistir. Muitas e muitas vezes.

Foi um ano de dor, muita dor. Na coluna, nas mãos, nos pés, na cabeça. Ano de envelhecer bem rápido, e entender minhas limitações. Não, não dá mais pra fazer tudo que eu fazia antes. E não é nada legal ver isso acontecer.

Foi também um ano de decepção com tanta gente. Gente cheia de ódio, de tristeza, de egoísmo, que eu não quero mais perto, e na verdade… Nunca quis. Ano de entender que todo mundo erra, e alguns erram de propósito, e com esses… Não há muito o que fazer.

Ano de destruição. Da natureza, do trabalho, das relações. Ano de ataques gratuitos, injustiça, desconsideração, desrespeito.

Mas aí vem a surpresa da vida.

2019 foi um ano de resistência, recomeços e resiliência. E, para mim… Até que foi um ano feliz.

Foi ano de amar muito a minha família. De ver as crianças crescendo, de amar meus irmãos e cunhadas, de cuidar da minha mãe, de aprender a fazer isso, e olha que não é fácil.

Foi ano de aprender a cuidar de mim, e me deixar cuidar. De pedir ajuda, de me permitir gastar tempo no dentista, na psicóloga, na fisioterapeuta. Ano de relaxar um pouco e investir na minha saúde, e terminar me sentindo muito melhor do que quando comecei.

Foi ano de me casar de novo. De colocar um ponto final no processo de luto, de deixar o passado e olhar pro futuro. De amar muito, e de ser muito amada, de mudar de planos, e achar isso uma delícia. Foi ano de tanta alegria cotidiana, que dava até pra esquecer da maldade fora das minhas portas e janelas.

Foi ano de uma turminha linda na escola, como as crianças são lindas. E alegres. E sábias. E fofas. E engraçadas. E carinhosas. E como elas me dão um pouco de toda essa grandeza delas todo dia.

Foi ano de reinventar um monte de coisas. E aprender com isso tudo. E entender que eu vou estar sempre aprendendo. Ano de muito reconhecimento, de fazer coisas incríveis, de ver o que construí no trabalho e na intelectualidade valorizado em um monte de lugares. E como foi bom e importante tudo isso.

É, 2019… Foi um ano horrível. Mas muito bom. Como é a vida. Alternando sempre entre a melancolia e o gozo, entre o desespero e a esperança, entre os altos e baixos, entre as boas e péssimas surpresas, entre a miséria e a fartura. No meio de tudo isso, tem eu.

Que venha 2020, que vou continuar vivendo. É o que me resta. E é o que eu quero. 366 novos bons dias pra mim. E pra todos e todas que gostam de mim.

“Um dia na vida da gente, um dia, sem nada demais… Só sei que eu acordo e gosto da vida, os dias não são nunca iguais…”

 

OS 15 PARCEIROS DO AMOR – AMOR E AMIZADE

44b80c1bc24bb4a8a8d9514803fd6649

Queridos noivinhos…

A língua, muitas vezes, é reducionista, e perde alguns sentidos das coisas que queremos representar. E por incrível que pareça, a palavra amor, em si, pode ser meio pobre. Nossos amigos gregos, por exemplo, usavam 4 palavras para falar “amor”. É que o amor não é de um jeito só, é de vários jeitos. Tem amor storge, o amor da família, aquele que sempre esteve ali e sempre estará, que faz parte de nós. Tem o amor eros, aquele que vocês sentem um pelo outro, aquele que mexe com nossos desejos e paixões, e que se manifesta no desejo físico. Tem o amor ágape, o incondicional, o perfeito, o divino, e que por isso mesmo, poucos humanos são capazes de experimentar em sua inteireza. E tem o amor phileo; é aquele da troca, da parceria, da alegria de estar junto… Daquilo que chamamos amizade. Todos esses sentidos foram traduzidos aqui pra nós por amor, mas o amor é assim mesmo… Complexo e cheio de significados ocultos, mas ao mesmo tempo, simples e total. 😊

Colocar a amizade como parceira do amor é clichê, mas é inevitável. Porque é imprescindível que, além do desejo, além do cuidado de família um com o outro, além da doação divina, vocês tenham essa parceria e amizade que vai garantir a alegria no dia a dia de vocês. Falo de afinidades, de como deve ser bom que vocês tenham coisas legais pra fazer juntos. Falo de bater papo, de gostar de conversar. Falo de dar risada à toa, de chorar rios, de dar abraço, toque, de estar ali junto. Falo de confiança, falo de dividir o dia a dia, de guardar segredos juntos. Falo de fazer planos juntos e ter os mesmos objetivos. Isso é tão bonito! É esse lado phileo do amor que é o chão da estrada que vocês vão caminhar juntinhos daqui por diante.

Mas, além da amizade entre vocês, pra um amor dar certo, é preciso outros amigos e amigas por perto. Amigos são a família que a gente escolhe! E são esses amigos e amigas que, muitas vezes, colocarão a força e a leveza que vocês estão precisando para seguir adiante.

Amigos, amigas que são apoio emocional, que passam todas as barras com vocês e com quem vocês podem desabafar, mesmo sem que pareça haver solução.

Amigos, amigas que são nossos braços e pernas, que nos ajudam na prática, que carregam peso, que limpam a casa quando estamos doentes, que botam a mão na massa.

Amigos, amigas que nos conhecem pela vida toda, gente que vocês trouxeram de antes e que vão dividir um com o outro.

Amigos, amigas que vocês conhecerão juntos, amigos do casal, que vão ser mais um elo dessa corrente de afeto que une vocês, e ajudarão vocês a relaxar a construir coisas novas.

Amigos, amigas pra comemorar, pra dar broncas, pra encher a cara, pra passear, pra se refugiar, pra aconselhar, pra ser exemplo, pra emprestar coisas, pra doar tempo, pra comer junto.

Amigos, amigas pra celebrar esse casamento com vocês e abençoar essa trajetória linda. Esses, essas que vão vestir a roupa mais linda, o sapato mais bacana, vão se arrumar só pra participar do momento especial de vocês em grande estilo.

Por mais que seja grande a tentação de encerrar o mundo em vocês dois enquanto estão apaixonados ( e eu desejo que se reapaixonem muitas vezes… )… Que vocês lembrem-se de cercar-se de amigos. São eles que lembrarão a vocês como vocês são lindos juntos quando tudo estiver confuso e triste.

Que o amor de vocês seja completo e cheio de amizade!

Até a próxima.

 

 

OS 15 PARCEIROS DO AMOR – AMOR E FAMÍLIA

c538b8d9293d3f33ce18fd81136d1556

Queridos noivinhos…

Já vivi e estudei bastante pra não ser ingênua ao ponto de romantizar a ideia de família. Essa história de ter família não é uma coisa fácil. É onde nascem nossas neuroses, nossos abandonos, decepções, melancolias, ansiedades. Família dá muito trabalho, pode inclusive acabar com a nossa saúde mental, e isso ninguém pode negar.

Mas quando olho para as pessoas que vivem distantes de suas famílias, e sofrem com ausências, abandonos… Vejo que, sem família, também não dá pra ser feliz.

Ao construir a família de vocês, há outras duas famílias em jogo, que são as famílias das quais vocês vieram. No mínimo duas mães, dois pais, irmãos, irmãs, cunhados, sobrinhos e sobrinhas, tios, tias, avós, amigos que são como família… Tantas pessoas para cuidar, e por quem ser cuidado.

E há também os filhos e filhas que virão para vocês. Essas crianças que vocês vão amar tanto, e que transformará completamente quem vocês são e tudo que acreditam.

Todas essas pessoas estarão orbitando em torno de vocês, e é preciso cuidado para que vocês vivam bem com todas elas. Muitas vezes não vai dar certo. Mas não tem problema… É só respirar, e continuar. Família tem isso de bom, e de ruim. É pra sempre. 😉

Então, queridos noivinhos, entendam-se como uma nova família, mas entendam-se também como família que agrega um no outro. Tenham paciência. Tenham consciência. Ajudem, sofram e se alegrem junto, cuidem, esperem, ensinem. Não permitam abusos, mas não se permitam o conforto do egoísmo. Sejam luz na família um do outro. Sejam generosos, sejam atenciosos, sejam importantes.

E que a casa de vocês seja uma casa de família. Um ponto de encontro. Um socorro. Um centro de alegria. Um jeito de estar junto. Um apoio, um porto seguro. Que seja um lugar onde todos se respeitem, onde se possa dividir, onde se possa recorrer. Que seja um lar. O amor de vocês vai garantir isso.

Que a família que decidiram formar quando tomaram a decisão de estar juntos para sempre seja uma família saudável, tranquila e fundada no amor.

Até a próxima!

OS 15 PARCEIROS DO AMOR – AMOR E REGENERAÇÃO

depositphotos_159458742-stock-video-regeneration-of-nature-sawn-down

Queridos noivinhos…

Acho que esse é o texto que eu mais vou gostar de escrever a vocês. É porque ele fala de mim. E tenho certeza que vai falar aos corações de vocês também.

É que se tem uma boa nova no amor… É que ele regenera. Cura. Torna nova todas as coisas que pareciam definitivamente estragadas. É incrível a capacidade do amor de costurar, agregar, juntar, renovar, colar, recomeçar, reanimar, brotar, ressuscitar qualquer coisa… Em nós, e em volta de nós.

E ao viver um grande amor… A gente percebe como esse sentimento é poderoso.

O amor renova as nossas forças. Basta um abraço bem apertado e uma frase bonita no ouvido depois de um dia difícil e cansativo pra acharmos que não foi tão ruim assim, e que se continuar sendo, seremos capazes de dar conta de qualquer coisa.

O amor nutre sonhos e nos faz deixar pra trás antigas decepções. Quando somos profundamente amados, temos vontade de fazer novos planos, sonhar com outras realidades e perdemos o medo de tentar, porque sabemos que teremos alguém ali, pra caminhar junto, não importa a circunstância, e isso nos enche de fé e vontade.

O amor restaura. Por causa do amor, nos arriscamos a tentar de novo, começamos de novo, reconstruímos dos escombros, fazemos a milésima tentativa.

O amor perdoa antigas dívidas, zera tudo. Nos ajuda a perdoar a nós mesmos. Nos ajuda a ser menos egoístas e autocentrados. Nos ajuda na humildade de colocar o outro acima de nós, e isso é um ensinamento tão precioso.

O amor resgata pessoas da mais profunda escuridão. Ele nos ajuda a vencer a tentação da solidão, tão confortável, apenas por um beijo ou um sorriso de acordo.

O amor reúne pessoas que não se suportam, conserta histórias antigas, faz reencontros belíssimos onde ninguém mais acreditava que tinha jeito.

O amor poetiza as coisas mais medíocres e sem graça do cotidiano, e torna bonito um momento sem brilho, seja estendendo uma roupa no varal, arrumando um prego na parede, limpando a geladeira, tomando banho ou dizendo boa noite antes de dormir.

O amor nos ajuda a superar o passado. O passado, essa cruz pesada que muitos de nós insistem em carregar, esse peso sobre o qual não há nada mais a se fazer. O passado, essa prisão sem sentido… O amor nos faz esquecer um pouco dela e nos ajuda a cicatrizar feridas que não tinham mais para onde infeccionar. Amar nos ajuda a olhar pra frente.

O amor regenera corações estilhaçados por experiências anteriores, muitas vezes devastadoras. E é de repente que notamos que passou, que não dói mais, e que aquilo que nos doía tanto, virou apenas uma história que podemos contar sem amargura.

O amor muda a nossa rota. Por amor, a gente muda de cidade, de emprego, de mentalidade, de vida, e entende a alegria da mudança.

O amor cura. Cura depressão, cura ansiedade, cura baixa autoestima, cura tristeza, melancolia, rancor, mágoa, cura histórias difíceis. O amor nos ajuda a enxergar as cosias de um jeito mais bonito, mais esperançoso, nos ajuda na saúde do corpo e do coração.

Enfim… O amor nos faz passar por um profundo processo de metanoia. Metanoia, a palavra grega para arrependimento, que quer dizer mudar de mentalidade, e não ver mais sentido em deixar tudo como estava, porque evoluímos. Amor nos faz querer ser diferentes, e tornar tudo diferente a nossa volta.

Tudo isso descobri e descubro amando todos os dias o meu companheiro.

E desejo a vocês que o amor regenere tudo em vocês que precisa de cura. Tudo, absolutamente tudo. Como já vem fazendo… E fará. 😊

Até a próxima, noivinhos!

 

OS 15 PARCEIROS DO AMOR – AMOR E ESPERANÇA

 

a-virtude-da-esperanc3a7a-home-min

Queridos Noivinhos…

Depois de um tempo de loucura e muito, muito cansaço, retorno para colocar em dia nossas conversas. Espero que não estejam demasiados cansados e atarefados para pensarmos juntos um pouco mais sobre os parceiros do amor.

Em sua famosa carta à igreja de Coríntios (cap 13), famoso texto da Bíblia Sagrada, Paulo encerra suas reflexões sobre o amor de maneira grandiosa:

“Por enquanto, até chegar a perfeição, temos três coisas neste mundo que nos guiam: a fé firme em Deus, a esperança inabalável, e o amor extravagante. E o melhor desses três é o amor.”

Sim… Fé, esperança e amor. O tripé de qualquer existência que queira se fazer significativa… A base de qualquer ação com fundamentos nobres, a direção para onde se deve caminhar, e ao mesmo tempo, o chão do caminho. Sem esse trio, tudo fica vazio e sem sentido.

Não é fácil falar sobre esperança… Especialmente em uma época tão difícil como a nossa, onde está na moda ser esperto, ser racional, cada um cuidar de si, e guardar um certo tanto de ódio, malícia e  desconfiança no coração. Não é fácil dizer a alguém que espere dias melhores.

Alguns anos atrás escrevi sobre esperança aqui neste blog, e me lembro bem desse texto porque foi um dos que mais me emocionou ter escrito. Falar de esperança é falar de uma chama discreta e frágil, que parece que a todo momento vai se apagar, às vezes fica só por um fio… Mas resiste. E continua iluminando. E nos leva adiante. Esperança é quando a gente olha em volta e não vê nenhum motivo pra continuar, mas ainda assim… Acredita que vai ser diferente logo ali em frente, e por isso, continua. A esperança é o cimento que une os tijolos de um casamento.

Esperança, quando unida ao amor, faz com que suportemos os dias difíceis que fatalmente chegam para todos nós. Os votos clássicos de casamento, embora um tanto sem poesia e até assustadores, são muito reais. Não podemos esperar, queridos noivinhos, que o nosso amor faça uma blindagem eterna para que os problemas não cheguem até nós – eles chegam. A doença, os problemas financeiros, a tristeza, os períodos sombrios… Não podemos impedi-los, e muitas vezes não é nossa culpa que cheguem. Mas, diante deles, temos uma decisão a tomar – usar da esperança, da fé e do amor para reagir e ter paciência, até que tudo passe… Ou nos deixar desmoronar. Por isso, a esperança é um sentimento que podemos cultivar nos dias bons, para que nos sustente nos dias ruins. Façam isso deliberadamente… Cultivem esperança, em vocês, e um no outro.

Nesse cultivo, vocês aprenderão juntos também sobre elementos importantes da convivência, especialmente em um laço tão profundo como é o casamento. Falo de paciência… De perseverança… De resiliência… Da disposição para os recomeços. Sem esses elementos, tão combinantes da esperança, não temos como passar de fase. Lembrem-se bem disso.

Para terminar, deixo com vocês um conselho bíblico muito sábio, e que uso como guia para minha vida: escolham trazer à memória o que lhes pode dar esperança (Lamentações 3:21). O profeta Jeremias, quando escreveu essas palavras, lamentava sobre o tempo difícil que ele e seu povo enfrentavam – cativeiro, morte, dor, desconsolo, sensação de abandono. Então, ele entende que, embora tudo esteja ruim, é necessário trazer para a memória aquilo que lhe dá esperança, para que ele comece a olhar para frente e enxergar um futuro novo, mais bonito e tranquilo. Façam o mesmo. Procurem trazer ao lar de vocês o que lhes dá esperança. Bons conselhos, sorrisos, leveza, boas companhias, conversas, alegria, bons exemplos. Encham a casa de vocês de lembranças dos bons momentos, criem novos bons momentos, e em tempos ruins… Isso sustentará o amor de vocês. Não se trata de mero otimismo… Mas da mais profunda e bem estruturada esperança. Como bem diz o antiguíssimo provérbio chinês, a pessoa sábia se prepara para o pior, espera pelo melhor e aceita o que vier.

Assim será com vocês… Apenas porque se amam, e seguirão se amando.

Até a próxima!

 

OS 15 PARCEIROS DO AMOR – PERSONALIDADE

Queridos noivinhos…

Amor é uma coisa que sentimos, mas que também aprendemos. E como tudo que aprendemos, juntamos um pouco de intuição, um pouco de imitação, um pouco de racionalidade… E tentamos construir um padrão do que seria um relacionamento de amor. Aprendemos com nossos pais e mães, com as histórias que nos contam, com as pessoas que admiramos ( ou não admiramos, por antítese ). Aprendemos com as novelas e filmes que vemos na televisão, com as letras de música e poemas, aprendemos com os romances de banca e com os grandes clássicos da literatura, com a decepção dos nossos amores platônicos…

Mas nada pode ensinar mais sobre o amor do que a experiência vivida, concreta e arriscada de se envolver de verdade com alguém. É essa experiência que vai fazer com que se descubra quem é você, quem é a outra pessoa e o que é o amor. Tudo que passar disso, são meras suposições, devaneios, que nem de longe se assemelham com a dor e a delícia de viver de verdade.

Por isso, queridos noivinhos, é preciso que vocês busquem juntos o jeito de vocês de viver esse amor. Não se preocupem com tantos modelos, padrões ou exemplos que conhecem. Não tentem encaixar um ao outro em um ideal que não existem. Quando temos muitos planos ideais… Eles nos aprisionam e nos impedem de viver.

Busquem viver o amor do jeito de vocês, com os combinados de vocês, com as decisões de vocês. Criem suas próprias regras, sejam elas quais forem. Não se preocupem com os conselhos ou com as histórias das outras pessoas – embora alguns amores nos inspirem, ou nos tragam medo, a única história que pode ser de vocês é a de vocês mesmos. Vocês são pessoas únicas, e assim, o amor que vocês vão construir também será único.

Até a próxima!