OS 15 PARCEIROS DO AMOR – AMOR E LIBERDADE

passaros_voar_dois-1-750x410-1

Queridos noivinhos…

Cada casal tem um jeito de ser casal, e isso é porque vocês são únicos no mundo. Há casais mais juntos, outros mais largados um do outro, casais que se alimentam de briga, outros precisam de paz, casais ciumentos, casais descolados… Não importa. O amor tem personalidade, como já conversamos.

Mas, diferenças à parte, o que faz um casal ser casal é apenas estarem juntos. No entanto, noivinhos, é importante lembrar: o amor nunca foi e nunca será uma prisão, para nenhum de vocês. O verdadeiro amor liberta, e gosta de ver o outro livre.

É difícil lidar com nossa natureza humana, que deseja sempre o poder. Quando damos a alguém a chance de nos amar, damos também a essa pessoa um certo poder sobre nós. É aí que muitas histórias de amor viram verdadeiros horrores. Sentimentos como inveja, ciúme, controle, posse, egoísmo estão em nós e eventualmente vão aparecer. Mas essas coisas ruins, alimentadas com o poder de manipulação do sentimento do outro, podem tomar proporções catastróficas e destruir tudo de bom que vocês estão se esforçando em construir. Então, queridos noivinhos, saibam dominar em vocês esse desejo de submeter o outro, de curvá-lo, de dominá-lo, de calá-lo. Por amor, e só por amor… Entendam que é importante valorizar a liberdade de cada um ser quem é, fazer o que quiser, e que os acordos são acordos… Nunca imposições. Que, ao olharem um pro outro, vocês tenham certeza que o outro está ali porque quer, e não porque teve as asas cortadas.

Parece óbvio e parece fácil, mas não é. Não é, e como está na Bíblia, a convivência entre duas pessoas é ferro afiando ferro, no choque, na faísca, no atrito. Se o outro tem o poder de nos engrandecer, nos valorizar, e nos fazer voar… Também é justamente esse contato tão íntimo que dá ao outro o conhecimento do que mais nos dói, de onde apertar para nos derrubar, do que dizer para nos quebrar e nos destruir. Esse espelho da relação – que mostra o que temos de melhor, mas também o que temos de pior – nem sempre é fácil de suportar. É grande a tentação de querer dominar o outro pela força quando as coisas ficam difíceis ( força física, força emocional ). E, para garantir a liberdade do outro… Precisamos ter em nós muita vigilância, além do nosso próprio desejo de querer voar. Precisamos ser sós para poder ser dois em um.

Aceitem, queridos noivinhos, aceitem que às vezes o outro vai querer navegar longe de você um pouco. Confiem um no outro o suficiente pra isso, e quando voltar… Vocês terão tanto a dividir e compartilhar. Tenham projetos juntos, mas também cuidem dos seus projetos pessoais. Tenham muitos momentos a dois, mas também tenham o seu momento de serem um só, e voem para onde for preciso. E lembrem-se das palavras dos poetas:

“Liberdade, essa palavra, que o sonho humano alimenta… Uma coisa que ninguém explica, mas não há quem não entenda.”

Cecília Meireles

“Amar é ter um pássaro pousado no dedo. E quem tem um pássaro pousado no dedo sabe que, a qualquer momento, ele pode querer voar.”

Rubem Alves

Até a próxima!

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s