OS 15 PARCEIROS DO AMOR – AMOR E INTIMIDADE

p000013105

Queridos noivinhos…

Intimidade é sobre saber o outro. Ser especialista no outro. Prevê-lo, e ao mesmo tempo encantar-se em saber que o outro não é óbvio. Intimidade depende de disponibilidade emocional, de atenção para o outro e de tempo. E é uma delícia. Afinal, quem não gostaria da ideia de saber que tem alguém que te olha tanto, te ouve tanto, convive tanto com você, pra quem você é tão importante… Que te sabe toda? Ah, é tão gostoso.

Cada casal que vai construindo sua história constrói também seus códigos. As coisas que só vocês dois sabem. Aquele combinado, aquele olhar, aquela história que só vocês dois entendem. Aquele detalhe, aquela coisinha, aquela gracinha, aquela piada interna que é só de vocês, aquele juramento que vocês dois fizeram, aquela coisa que de tão forte é tão suave. É tão lindo! Guardem a intimidade de vocês pra vocês, queridos noivinhos. É tão bom ter segredos com quem a gente ama… Escolham bem como, quando, com quem e quanto partilhá-la.

Eu amo ver crescer a intimidade que tenho com meu marido. Gosto disso de verdade. Gosto de saber que só eu sei algumas coisas dele, e só ele sabe algumas coisas de mim. Gosto de me deixar conhecer. Gosto de perceber que estou certa e que ele vai olhar daquele jeito, falar aquela coisa, reagir daquela forma. E gosto quando ele me surpreende também, quando ele muda e me dá a tarefa de reconhece-lo, de novo, e de novo, e de novo. Gosto de ver que ele também me conhece cada vez mais, e aceita minhas mudanças.

Tem uma canção que fala dessa grande dança que é a vida a dois. No começo, a gente não se acerta bem nos passos. Não entende o jeito do outro. Mas depois, vai aprendendo. E fica assim… Só sabendo dançar com aquela pessoa, por mais atrapalhado e desajeitado que a gente seja.

Gosto de poder ser eu mesma perto do meu amor, porque sei que ele vai entender. Gosto de não precisar esconder coisas, e mesmo quando eu tento, gosto quando ele me quebra e me desvenda. Gosto quando ele percebe que não estou bem, que eu preciso de alguma coisa, quando ele me aponta algo sobre mim que nem eu mesma sabia.

E eu gosto também dessas coisas da intimidade que nos fazem humanos. Gosto de poder me largar e dormir tranquila do lado dele. Gosto de acordar toda amassada, dolorida, zoada, e ainda assim saber que ele vai me achar linda, como acho ele lindo quando acorda. Gosto de ouvir a voz dele e sentir aquela familiaridade intensa. Gosto de reparar nas mudanças do corpo dele, de saber quantos pelos brancos estão nascendo no peito, de saber das pintinhas nas costas dele, gosto de poder tocar o corpo dele com respeito e com liberdade, gosto de ser ousada, e ver que ele me acolhe e confia em mim.

E quando pinta algo esquisito… Quando vejo algo que eu não queria, quando ele mostra um detalhe que eu preferia não saber, quando ele relaxa o suficiente pra baixar a guarda e me mostrar que não é perfeito… Eu também gosto. Porque mostra que ele está inteirinho comigo.

Ah, os cheiros, sabores, delícias e presepadas da intimidade…

Isso só significa que a gente se ama. E é por isso que eu gosto.

Que vocês sempre estejam assim, confortáveis, seguros, reais e felizes perto um do outro. Que vocês saibam abraçar a humanidade em vocês e tenham muitos segredos lindos de casal pra guardar. Que guardem, sim, a individualidade de vocês, mas que tenham prazer em partilhar partes dela desse jeito tão profundo que só o casamento traz.

Sejam íntimos e felizes, por decisão e por convivência, noivinhos lindos. Assim, o lar de vocês sempre será um porto seguro onde vocês poderão ser vocês mesmos, e onde poderão descansar desse mundo tão complicado…

Até a próxima.

 

OS 15 PARCEIROS DO AMOR – AMOR E CORAGEM

penhasco-noivo-noiva-trash-the-dress

Queridos noivinhos…

Em um mundo tão excessivamente egóico e cheio de obrigação de felicidade, é um ato tão lindo de coragem amar…

Então, queridos noivinhos…Que vocês sigam tendo coragem de continuar amando.

Quando tiverem dúvidas sobre o sentimento do outro, que vocês tenham a coragem de perguntar sobre o que está angustiando vocês, e encarar a resposta com sabedoria.

Quando um de vocês achar que tem a posse do outro, ou se sentir oprimido pelo outro, que tenham a coragem de interromper esse vício com firmeza, e esclareçam que o amor não se trata de poder ou posse, e sim de doação.

Quando estiverem acomodados, que tenham a coragem de fazer escolhas diferentes e assumir seus riscos.

Quando outras pessoas exigirem a atenção e o carinho de vocês excessivamente, que vocês tenham a coragem de impor equilíbrio e se lembrem de cuidar um do outro, lembrem que são um casal.

Quando estiverem entediados, que tenham a coragem de reinventar o cotidiano, sem preguiça nem descaso.

Quando sentirem que não estão dentro dos padrões que os outros esperam de vocês, tenham coragem de assumir quem são, o que são um para o outro e se bastem.

Quando o dia a dia de vocês estiver poluído de tarefas, preocupações desnecessárias, coisas que estão tirando o foco de vocês um do outro… Tenham coragem de limpar o tempo e deixar só o que aproxima vocês dois.

Quando um de vocês sentir que está sendo insuportável para o outro conviver com você, tenham coragem de investir no processo de autoconhecimento de vocês para não colocar sobre os ombros do outro essa tarefa que é só de vocês.

Quando vocês fizerem alguma besteira que sabiam que não deveriam estar fazendo, tenham coragem de voltar atrás, admitir e pedir perdão. E que tenham também coragem de passar por cima do próprio orgulho pra perdoar.

Quando pessoas maldosas, infelizes ou invejosas chegarem perto do lar de vocês, que vocês tenham coragem de colocá-las para longe, que não se deixem contaminar.

Quando perceberem que o outro está abusando de vocês, que tenham coragem de colocar os limites e cobrar o que precisa ser cobrado.

Quando virem que o relacionamento de vocês está fraquejando, tenham coragem de levantar e virar o jogo.

Quando virem que o outro evoluiu e mudou, que vocês tenham coragem de sair de seu lugar tranquilo e ir atrás, mudando também.

Quando não estiverem bem, que tenham coragem de pedir ajuda.

Quando tiverem medo de falar o que sentem ou pensam pro outro, que tenham coragem de se expor. Que tenham coragem de se abrir, de se mostrar, de se escancarar.

Quando tudo estiver bem, que tenham coragem de aceitar as boas fases da vida e descansar, sem medo, preparando-se e guardando força para outros tempos, pois tudo muda.

Que vocês sigam tendo a nobreza de coração e espírito que só a coragem de amar será capaz de ir moldando no caráter de vocês.

Até a próxima!

0S 15 PARCEIROS DO AMOR – AMOR E CONSCIÊNCIA

tumblr_n8bg6zuigp1sthf15o1_640

Queridos noivinhos…

Muitos poetas, artistas, filósofos e cientistas descrevem o amor como algo mágico, fenomenal, uma espécie de ilusão doentia a qual nos submetemos por variadas e intensas razões. Muitos deles são pessimistas em dizer que o amor romântico não é uma realidade possível.

As pessoas fatalistas dizem que o amor sempre acaba, e pra muitos e muitas, essa é uma verdade. É só olhar, vocês devem conhecer inúmeros casos, deve ter acontecido com vocês. Aquele amor que parecia forte, indestrutível, eterno, de repente se esvazia e morre. O amor com prazo de validade ( prazo, esse, cada vez mais curto ) é algo que não podemos negar. Mas tem gente que supera isso, e vive um amor a vida inteira. Gente que renova o amor antes que ele morra, e o faz renascer. Gente que dá certo. Qual é o segredo deles, delas? O que faz e vai fazer um amor durar pra fazer vocês, e tal qual o desejado final dos contos de fadas, serem felizes para sempre juntos? A resposta é rápida, mas difícil de concretizar. Para um amor durar, não podemos deixar de convidar a consciência para a vida a dois. Consciência, verdade, realidade… Coisas que nos fazem pegar nossos sonhos e colocar neles os alicerces que precisam para ficarem de pé, e resistirem às tempestades da vida, antes que desmoronem. Os sonhos de amor são lindos, precisamos deles. Mas os alicerces são necessários, e precisamos nos esforçar pra construí-los enquanto temos força.

Para escrever esse texto, recorri aos manuais. Peguei o livro de Stendhal, escrito lá em 1820, “Do Amor”, em que ele diz que, para amar, precisamos cristalizar o outro, colocar sobre ele, ela um véu que esconda seus defeitos, para que esse outro nos pareça sempre perfeito e admirável. Fui também consultar Ovídio, que escrevia desde o ano 10 a.C., e poeticamente contou em seu livro “A Arte de Amar” o delicioso e delicado jogo da sedução. Se amar é um sentimento, também é uma habilidade, e ele nos ensina muito sobre ela em meio aos seus conselhos um tanto antiquados, mas cheios de sabedoria. Para ele, o amor que dura é aquele em que há a preocupação consciente de seduzir o outro todo o tempo – nunca há jogo ganho. Fui também reler “A Arte de Amar” do psicanalista Erich Fromm, dos anos 50, em que ele defende que nenhum amor se sustenta apenas na emoção; é preciso, como toda arte, esforço, técnica e reflexão. E reli também um dos meus contos favoritos, “A Bela e a Fera”, talvez o único que fale realmente de amor, segundo o psicanalista Bruno Bettelheim, em seu polêmico “A Psicanálise dos Contos de Fadas”.

Bruno diz que, para entender o amor de verdade, precisamos antes conviver com o lado fera, o lado bestial do outro. Aprender a enxergar seus defeitos, suportá-los, conviver com eles, e apesar deles, construir uma vida a dois; aí sim, o príncipe e a princesa aparecem. O amor bom é aquele que nos transforma no mais bonito que podemos ser.

Para amar alguém, é importante que idealizemos algumas coisas. É importante que deixemos pra lá algumas coisas que nos irritam, que relevemos, que perdoemos, que justifiquemos até mesmo o injustificável. Todos temos coisas tristes, arrogantes, medíocres em nós, e o olhar generoso do outro nos perdoa e nos levanta. Mas não para sempre. E aí está o ponto em que muitos amores se esvaem… De repente, tiramos o véu, deixamos de admirar, e a consciência das coisas nos alcança de uma vez. Muitas vezes é bem aí que o amor vira outro sentimento, ódio, descaso, e até indiferença. O veneno que mata o amor está tanto na resistência em mudar a nós mesmos quanto na desistência de investir no outro.

Mas com vocês, noivinhos, vai ser diferente. Vocês vão usar a cabeça pra fazer o amor de vocês dar certo. Vão ter paciência de corrigir o outro com carinho, e também de acolher a reclamação do outro e mudar, quando for necessário. Vocês serão generosos no perdão das bobagens que todos fazemos, e acharão saídas criativas para os problemas. Vocês vão respeitar os combinados que fizerem, sejam eles quais forem. Serão leais e fiéis ao que combinarem. Vocês vão respeitar um ao outro, não vão usar o que sabem, a intimidade de vocês, como arma para atacar o outro no momento de raiva e fragilidade. Vão aprender, todos os dias, o jeito melhor de se expressar; não vão, como disse o poeta, deixar de dizer o que incomoda, “prender o choro e aguar o bom do amor”. Ah, queridos noivinhos, vocês serão mais espertos e vão usar a consciência a favor de vocês.

Vou propor um exercício, e espero que vocês o façam. Peguem um papel, cada um de vocês dois. Escrevam 5 defeitos que enxergam um no outro, coisas que irritam vocês. Não mostrem, apenas escrevam, dobrem e lacrem esse papel, e guardem juntos em um lugar especial. Daqui um tempo, quando estiverem bem cansados, tristes um com outro, em uma grande crise… Abram esse papel juntos e olhem. Vocês verão que estarão brigando e decepcionados por coisas que sabiam desde o início. O que muda é a decisão de continuar amando.

Que a cada crise, a cada noite escura, a cada revelação do lado ruim de cada um de vocês, vocês se lembrem dessa decisão de amar apesar de tudo. Que o amor de vocês seja profundamente consciente da humanidade, limitação e carências de cada um, e do outro, e que vocês, por isso mesmo, por se amarem… Se melhorem todos os dias, como um presente para o outro.

Ouçam a canção, leiam o poema… E que sempre, sempre haja amor e consciência pra recomeçar.

Até a próxima!

2019

 

Tinha tudo pra ser um ano ruim. E foi. Eu sabia. Por isso não quis nem falar disso quando 2019 chegou.

O mundo está doente, louco e agressivo. E bateu feio. Foi todo dia um leão pra matar. Às vezes fui devorada, às vezes ganhei a briga. Mas segui. Porque não tem outro jeito de viver a não ser vivendo.

O país está desmoronando. E não há muito o que eu possa fazer pra evitar. Na verdade, quase nada.

No trabalho, só desmonte, destruição, notícias ruins, chefe péssima, atraso, estranhamento do lugar que antes eu considerava minha casa, meu porto seguro. Na verdade, não existe porto seguro possível além de mim, e é horrível perceber isso. Foi ano de pensar em desistir. Muitas e muitas vezes.

Foi um ano de dor, muita dor. Na coluna, nas mãos, nos pés, na cabeça. Ano de envelhecer bem rápido, e entender minhas limitações. Não, não dá mais pra fazer tudo que eu fazia antes. E não é nada legal ver isso acontecer.

Foi também um ano de decepção com tanta gente. Gente cheia de ódio, de tristeza, de egoísmo, que eu não quero mais perto, e na verdade… Nunca quis. Ano de entender que todo mundo erra, e alguns erram de propósito, e com esses… Não há muito o que fazer.

Ano de destruição. Da natureza, do trabalho, das relações. Ano de ataques gratuitos, injustiça, desconsideração, desrespeito.

Mas aí vem a surpresa da vida.

2019 foi um ano de resistência, recomeços e resiliência. E, para mim… Até que foi um ano feliz.

Foi ano de amar muito a minha família. De ver as crianças crescendo, de amar meus irmãos e cunhadas, de cuidar da minha mãe, de aprender a fazer isso, e olha que não é fácil.

Foi ano de aprender a cuidar de mim, e me deixar cuidar. De pedir ajuda, de me permitir gastar tempo no dentista, na psicóloga, na fisioterapeuta. Ano de relaxar um pouco e investir na minha saúde, e terminar me sentindo muito melhor do que quando comecei.

Foi ano de me casar de novo. De colocar um ponto final no processo de luto, de deixar o passado e olhar pro futuro. De amar muito, e de ser muito amada, de mudar de planos, e achar isso uma delícia. Foi ano de tanta alegria cotidiana, que dava até pra esquecer da maldade fora das minhas portas e janelas.

Foi ano de uma turminha linda na escola, como as crianças são lindas. E alegres. E sábias. E fofas. E engraçadas. E carinhosas. E como elas me dão um pouco de toda essa grandeza delas todo dia.

Foi ano de reinventar um monte de coisas. E aprender com isso tudo. E entender que eu vou estar sempre aprendendo. Ano de muito reconhecimento, de fazer coisas incríveis, de ver o que construí no trabalho e na intelectualidade valorizado em um monte de lugares. E como foi bom e importante tudo isso.

É, 2019… Foi um ano horrível. Mas muito bom. Como é a vida. Alternando sempre entre a melancolia e o gozo, entre o desespero e a esperança, entre os altos e baixos, entre as boas e péssimas surpresas, entre a miséria e a fartura. No meio de tudo isso, tem eu.

Que venha 2020, que vou continuar vivendo. É o que me resta. E é o que eu quero. 366 novos bons dias pra mim. E pra todos e todas que gostam de mim.

“Um dia na vida da gente, um dia, sem nada demais… Só sei que eu acordo e gosto da vida, os dias não são nunca iguais…”

 

OS 15 PARCEIROS DO AMOR – AMOR E AMIZADE

44b80c1bc24bb4a8a8d9514803fd6649

Queridos noivinhos…

A língua, muitas vezes, é reducionista, e perde alguns sentidos das coisas que queremos representar. E por incrível que pareça, a palavra amor, em si, pode ser meio pobre. Nossos amigos gregos, por exemplo, usavam 4 palavras para falar “amor”. É que o amor não é de um jeito só, é de vários jeitos. Tem amor storge, o amor da família, aquele que sempre esteve ali e sempre estará, que faz parte de nós. Tem o amor eros, aquele que vocês sentem um pelo outro, aquele que mexe com nossos desejos e paixões, e que se manifesta no desejo físico. Tem o amor ágape, o incondicional, o perfeito, o divino, e que por isso mesmo, poucos humanos são capazes de experimentar em sua inteireza. E tem o amor phileo; é aquele da troca, da parceria, da alegria de estar junto… Daquilo que chamamos amizade. Todos esses sentidos foram traduzidos aqui pra nós por amor, mas o amor é assim mesmo… Complexo e cheio de significados ocultos, mas ao mesmo tempo, simples e total. 😊

Colocar a amizade como parceira do amor é clichê, mas é inevitável. Porque é imprescindível que, além do desejo, além do cuidado de família um com o outro, além da doação divina, vocês tenham essa parceria e amizade que vai garantir a alegria no dia a dia de vocês. Falo de afinidades, de como deve ser bom que vocês tenham coisas legais pra fazer juntos. Falo de bater papo, de gostar de conversar. Falo de dar risada à toa, de chorar rios, de dar abraço, toque, de estar ali junto. Falo de confiança, falo de dividir o dia a dia, de guardar segredos juntos. Falo de fazer planos juntos e ter os mesmos objetivos. Isso é tão bonito! É esse lado phileo do amor que é o chão da estrada que vocês vão caminhar juntinhos daqui por diante.

Mas, além da amizade entre vocês, pra um amor dar certo, é preciso outros amigos e amigas por perto. Amigos são a família que a gente escolhe! E são esses amigos e amigas que, muitas vezes, colocarão a força e a leveza que vocês estão precisando para seguir adiante.

Amigos, amigas que são apoio emocional, que passam todas as barras com vocês e com quem vocês podem desabafar, mesmo sem que pareça haver solução.

Amigos, amigas que são nossos braços e pernas, que nos ajudam na prática, que carregam peso, que limpam a casa quando estamos doentes, que botam a mão na massa.

Amigos, amigas que nos conhecem pela vida toda, gente que vocês trouxeram de antes e que vão dividir um com o outro.

Amigos, amigas que vocês conhecerão juntos, amigos do casal, que vão ser mais um elo dessa corrente de afeto que une vocês, e ajudarão vocês a relaxar a construir coisas novas.

Amigos, amigas pra comemorar, pra dar broncas, pra encher a cara, pra passear, pra se refugiar, pra aconselhar, pra ser exemplo, pra emprestar coisas, pra doar tempo, pra comer junto.

Amigos, amigas pra celebrar esse casamento com vocês e abençoar essa trajetória linda. Esses, essas que vão vestir a roupa mais linda, o sapato mais bacana, vão se arrumar só pra participar do momento especial de vocês em grande estilo.

Por mais que seja grande a tentação de encerrar o mundo em vocês dois enquanto estão apaixonados ( e eu desejo que se reapaixonem muitas vezes… )… Que vocês lembrem-se de cercar-se de amigos. São eles que lembrarão a vocês como vocês são lindos juntos quando tudo estiver confuso e triste.

Que o amor de vocês seja completo e cheio de amizade!

Até a próxima.

 

 

OS 15 PARCEIROS DO AMOR – AMOR E FAMÍLIA

c538b8d9293d3f33ce18fd81136d1556

Queridos noivinhos…

Já vivi e estudei bastante pra não ser ingênua ao ponto de romantizar a ideia de família. Essa história de ter família não é uma coisa fácil. É onde nascem nossas neuroses, nossos abandonos, decepções, melancolias, ansiedades. Família dá muito trabalho, pode inclusive acabar com a nossa saúde mental, e isso ninguém pode negar.

Mas quando olho para as pessoas que vivem distantes de suas famílias, e sofrem com ausências, abandonos… Vejo que, sem família, também não dá pra ser feliz.

Ao construir a família de vocês, há outras duas famílias em jogo, que são as famílias das quais vocês vieram. No mínimo duas mães, dois pais, irmãos, irmãs, cunhados, sobrinhos e sobrinhas, tios, tias, avós, amigos que são como família… Tantas pessoas para cuidar, e por quem ser cuidado.

E há também os filhos e filhas que virão para vocês. Essas crianças que vocês vão amar tanto, e que transformará completamente quem vocês são e tudo que acreditam.

Todas essas pessoas estarão orbitando em torno de vocês, e é preciso cuidado para que vocês vivam bem com todas elas. Muitas vezes não vai dar certo. Mas não tem problema… É só respirar, e continuar. Família tem isso de bom, e de ruim. É pra sempre. 😉

Então, queridos noivinhos, entendam-se como uma nova família, mas entendam-se também como família que agrega um no outro. Tenham paciência. Tenham consciência. Ajudem, sofram e se alegrem junto, cuidem, esperem, ensinem. Não permitam abusos, mas não se permitam o conforto do egoísmo. Sejam luz na família um do outro. Sejam generosos, sejam atenciosos, sejam importantes.

E que a casa de vocês seja uma casa de família. Um ponto de encontro. Um socorro. Um centro de alegria. Um jeito de estar junto. Um apoio, um porto seguro. Que seja um lugar onde todos se respeitem, onde se possa dividir, onde se possa recorrer. Que seja um lar. O amor de vocês vai garantir isso.

Que a família que decidiram formar quando tomaram a decisão de estar juntos para sempre seja uma família saudável, tranquila e fundada no amor.

Até a próxima!

OS 15 PARCEIROS DO AMOR – AMOR E REGENERAÇÃO

depositphotos_159458742-stock-video-regeneration-of-nature-sawn-down

Queridos noivinhos…

Acho que esse é o texto que eu mais vou gostar de escrever a vocês. É porque ele fala de mim. E tenho certeza que vai falar aos corações de vocês também.

É que se tem uma boa nova no amor… É que ele regenera. Cura. Torna nova todas as coisas que pareciam definitivamente estragadas. É incrível a capacidade do amor de costurar, agregar, juntar, renovar, colar, recomeçar, reanimar, brotar, ressuscitar qualquer coisa… Em nós, e em volta de nós.

E ao viver um grande amor… A gente percebe como esse sentimento é poderoso.

O amor renova as nossas forças. Basta um abraço bem apertado e uma frase bonita no ouvido depois de um dia difícil e cansativo pra acharmos que não foi tão ruim assim, e que se continuar sendo, seremos capazes de dar conta de qualquer coisa.

O amor nutre sonhos e nos faz deixar pra trás antigas decepções. Quando somos profundamente amados, temos vontade de fazer novos planos, sonhar com outras realidades e perdemos o medo de tentar, porque sabemos que teremos alguém ali, pra caminhar junto, não importa a circunstância, e isso nos enche de fé e vontade.

O amor restaura. Por causa do amor, nos arriscamos a tentar de novo, começamos de novo, reconstruímos dos escombros, fazemos a milésima tentativa.

O amor perdoa antigas dívidas, zera tudo. Nos ajuda a perdoar a nós mesmos. Nos ajuda a ser menos egoístas e autocentrados. Nos ajuda na humildade de colocar o outro acima de nós, e isso é um ensinamento tão precioso.

O amor resgata pessoas da mais profunda escuridão. Ele nos ajuda a vencer a tentação da solidão, tão confortável, apenas por um beijo ou um sorriso de acordo.

O amor reúne pessoas que não se suportam, conserta histórias antigas, faz reencontros belíssimos onde ninguém mais acreditava que tinha jeito.

O amor poetiza as coisas mais medíocres e sem graça do cotidiano, e torna bonito um momento sem brilho, seja estendendo uma roupa no varal, arrumando um prego na parede, limpando a geladeira, tomando banho ou dizendo boa noite antes de dormir.

O amor nos ajuda a superar o passado. O passado, essa cruz pesada que muitos de nós insistem em carregar, esse peso sobre o qual não há nada mais a se fazer. O passado, essa prisão sem sentido… O amor nos faz esquecer um pouco dela e nos ajuda a cicatrizar feridas que não tinham mais para onde infeccionar. Amar nos ajuda a olhar pra frente.

O amor regenera corações estilhaçados por experiências anteriores, muitas vezes devastadoras. E é de repente que notamos que passou, que não dói mais, e que aquilo que nos doía tanto, virou apenas uma história que podemos contar sem amargura.

O amor muda a nossa rota. Por amor, a gente muda de cidade, de emprego, de mentalidade, de vida, e entende a alegria da mudança.

O amor cura. Cura depressão, cura ansiedade, cura baixa autoestima, cura tristeza, melancolia, rancor, mágoa, cura histórias difíceis. O amor nos ajuda a enxergar as cosias de um jeito mais bonito, mais esperançoso, nos ajuda na saúde do corpo e do coração.

Enfim… O amor nos faz passar por um profundo processo de metanoia. Metanoia, a palavra grega para arrependimento, que quer dizer mudar de mentalidade, e não ver mais sentido em deixar tudo como estava, porque evoluímos. Amor nos faz querer ser diferentes, e tornar tudo diferente a nossa volta.

Tudo isso descobri e descubro amando todos os dias o meu companheiro.

E desejo a vocês que o amor regenere tudo em vocês que precisa de cura. Tudo, absolutamente tudo. Como já vem fazendo… E fará. 😊

Até a próxima, noivinhos!