O ÚLTIMO POST DO ANO

Para o último post de 2008, eu pensei em falar sobre muitas coisas que andei tecendo comigo mesma a partir do intensivão emocional que fui obrigada a fazer no último mês. E havia muito a ser dito ( e muito foi escrito ). Sobre a morte. Sobre o que de verdade faz uma família. Sobre a força inabalável da amizade. Sobre as borrachas do tempo. Sobre como se pode ser hostil consigo mesmo. Sobre escolhas e encontros. Sobre a insensibilidade e imbecilidade das pessoas. Sobre os misteriosos caminhos de Deus. Sobre a estranheza da vida. Sobre a graça da solidariedade. Sobre fé. Sobre sabedoria. Sobre as verdades percebida no escuro nas noites de insônia. Sobre força interior. Sobre como é vital ter consciência tranquila sempre. Sobre dor compartilhada. Sobre o destino. Sobre os sonhos roubados. Sobre solidão. Sobre mudanças. Sobre o medo do esquecimento. Sobre raiva e inconformidade. Sobre como nunca podemos conhecer tudo sobre nós mesmos. Sobre como uma festa de natal pode ser dolorida. Sobre pequenas e silenciosas violências cotidianas. Sobre a singeleza das canções românticas. Sobre as lágrimas que saem e as lágrimas que ficam. Sobre esperanças. Sobre lembranças.

Mas minha opção para o último post de 2008 é falar sobre o amor.

A verdade é que eu, como grande parte das pessoas, passei a minha vida toda buscando, idealizando e tentando compreender o amor, sempre na intenção de mantê-lo o máximo possível perto de mim. E, claro, as imagens que temos do amor não apenas são múltiplas em manifestações e significados, como também vão mudando conforme o tempo passa. Eu já acreditei que o amor estava no seio cheio de leite da minha mãe, no sorriso da minha primeira professora, nas mãos das coleguinhas de escola. Também já achei que o amor estava na igreja, nos presentes dos meus tios, nos ombros dos meus pais, no colo dos meus avós, nas minhas brincadeiras com os meus irmãos. Já achei amor nas causas sociais que abracei um dia, nos exemplos que pude observar nas pessoas dignas, na literatura, na poesia, na música, na arte, nas novelas e filmes. Existe amor no meu trabalho, na beleza das coisas simples, na natureza, nos gestos de atenção cotidianos, na dedicação das pessoas umas as outras. E também há muito, muito amor na amizade.

Mas nenhum encontro vem para nos ensinar tanto sobre o amor como a relação entre duas pessoas adultas que resolvem ficar juntas e bancar um relacionamento. As outras relações são marcadas pela ocasião, pela leveza, pelos laços sanguíneos ou pelas obrigações. Mas a relação a dois é marcada principalmente pela escolha de ficar e continuar junto. Me atrapalhei um pouco nisso ao longo da vida. Mas hoje vejo que tudo foi um caminho trilhado… Um caminho cheio de lições sobre o amor.

Houve um tempo em que achei que o amor viria montado em um cavalo branco, cheio de promessas e entregas românticas. E ele veio. Quem caiu do cavalo foi eu ao perceber o tamanho da minha tolice. Primeira lição: o amor não está em declarações e intenções, que permanecem perfeitas quanto menos se submetem ao teste da realidade cotidiana. O romance passa. E a vontade de amar fica.

O amor a dois também já foi para mim um delírio sensual, uma paixão avassaladora e quente. Mas com o tempo ficou claro que não pode ser bom um amor que não me ajuda a crescer, a ficar consciente, que esgota até as últimas gotas de energia. Segunda lição: amor bom é aquele que te faz um pessoa boa sem te deixar pela metade. A paixão passa. E a vontade de amar fica.

Também já achei que o amor a dois estaria no cinismo de não assumir compromissos e evitar entregas, mantendo a salvo uma vida aparentemente bem resolvida e sem dores de cabeça, quando no fundo era apenas uma vida egoísta e sem graça. As bocas efêmeras de baladas diversas e encontros casuais são divertidas, mas deixam uma sede imensa de algo mais. E tome lição: o amor não vem sem envolvimento e compromisso. A diversão passa… E a vontade de amar fica.

Já me iludi pensando que o melhor para o amor seria tentar amar um amigo, que me compreende, não oferece resistências e me conhece intensamente. Um amigo com quem tudo desse certo, que adivinhasse meus anseios e me oferecesse um ombro tranquilo e constante. Bobagem… Mais lição: o amor precisa de desafios, mistérios e confrontações. Segurança passa… E volta a vontade de amar.

E, embora nunca tenha entendido muito bem o porquê, resolvi tomar a decisão, junto com uma outra pessoa muito especial por quem me encantei desde o início, de fazer o amor a dois dar certo. Sem magia, nem encantamento, nem facilidades, nem roteiros de filmes românticos – só com uma decisão e potencial humano. E não foi fácil… Passamos por muitos estranhamentos, muitas desilusões, muitos problemas. Em cada percalço, retomávamos o nosso ideal… E prosseguíamos juntos, cuidando do nosso amor como conseguíamos, investindo no prazer, na alegria do encontro, na afinidade, na coragem. Aos poucos fomos vencendo as nossas limitações, aos poucos fomos mudando um ao outro, aos poucos fomos acumulando experiências… E a cada pedaço retomávamos a decisão de amar. Esse relacionamento foi o meu segredo mais intenso, porque me ensinou demais sobre mim e sobre o próprio amor. Foi então que eu percebi que dá pra construir uma vida ao lado de alguém, com muita sinceridade, consciência e paixão. E tudo ia muito bem, obrigada.

Não sei que raio de lição a vida quis me ensinar ao me fazer perder o meu amor de um jeito tão doído. Não sei se um dia poderei ou precisarei entender.

Mas eu engulo a minha dor a seco porque sei que ela é passageira, mas o que aprendi, não. Engulo e agradeço a essa mesma vida por ter me aprensentado alguém que, mesmo sem saber, me ensinou duas importantes lições sobre o amor. A primeira, que o amor se faz no esforço diário para amar e consolidar parceria nas coisas fundamentais e simples. E a segunda, que o mais importante amor que posso sentir é por mim mesma. Pois, aconteça o que acontecer… Eu nunca poderei me abandonar.

E eu vou seguir… Porque ainda tem muito amor me esperando por aí. Não sei como, nem quanto, nem de que tipo. Só sei que tem… E sempre terá.

PS:. Quem me conhece sabe que eu sempre gostei de comemorar a chegada de um novo ano. Embora os incrédulos digam que a data nada mais é do que um dia depois do outro, em todas as culturas vemos que os rituais que marcam a passagem do tempo são importantes para selar mudanças e provocar reflexões. Eu sempre acredito que um novo ano pode trazer novas chances para fazer de um jeito diferente as coisas antigas, para deixar de fazer algumas coisas, para continuar fazendo outras… E principalmente, para o inesperado acontecer. Então, quero desejar a mim e a vocês muita sabedoria para saber o que fazer com o tempo que virá adiante. O resto… É resto. Feliz ano novo a todos e todas.

28 comentários sobre “O ÚLTIMO POST DO ANO

  1. Se mais pessoas pudesse ler o que você escreveu (“a vontade de amar fica”) acho que as coisas poderiam ser muuuuito diferentes pelo mundo a fora. E pelo mundo a dentro (de nós) também.

    Sinto muito pelo acontecido, mas é como está na tirinha do post anterior: o ombro (ou os braços) dEle estão aí para dar consolo e cuidado. Que Ele te renove no ano que está chegando!

    Um beijo carinhoso,
    Bel

    Curtir

  2. Fiquei seu fã na primeira leitura(o texto da Eloá), fã da escritora…Hoje fiquei fã da pessoa, pela paciência, serenidade e paz no conteúdo deste post de final de ano!
    A conciência tranqüila deixará a dor fuir, sem culpa e tempo te dará as repostas…
    Desejo um ótimo 2009 e que possamos caminhar na direção de mundo mais igual, fraterno e livre!

    Curtir

  3. Amiga, é impressionante como todas as vezes em que tentei te consolar na vida, fui eu quem saí melhor… Mesmo agora, ao saber que vc passa por um momento tão difícil, fico impressionada de ver com que serenidade e fé vc encara tudo! E isso é uma escolha, uma postura de vida!
    Você é forte, sábia e cheia de fé, de vida…
    E o que é mais interessante, acho que você não tem idéia de como você é especial, diferente da grande massa de reclamões da humanidade.
    O amor é lindo, é isso mesmo, a parceria e a construção.
    Alguém virá tb pra te mostrar que o amor é cuidado e alegria.
    Bjo, e um feliz 2009!

    Curtir

  4. Vendo a incrível capacidade que vc tem de tirar lições como essa de uma dor tão gde, eu pergunto… Dá pra não amar vc? :´-)
    Estou chegando em Sampa, e vou querer que vc compartilhe comigo os outros posts que não publicou aqui… Eu imagino qtas lições de VIDA e AMOR devem ter saído das suas reflexões.
    Bjo, feliz 2009! Amo mto vc. Todo mundo ama. :)))))))))))))))))))

    Curtir

  5. Você é mesmo uma pessoa impressionante… Amável, de muitas formas.
    E aí, será que vc arruma um tempinho pra mim em janeiro pra gente postar ao vivo? Posso levar as crianças, eles também gostam muito de você e estão preocupados em vê-la sorrir novamente em breve, sem aqueles travos de tristeza. ;o)
    Beijo e feliz 2009.

    Curtir

  6. Mafalda..,

    lindo seu post..e com certeza “a vontade de amar fica”!!
    Com o tempo vc verá que toda a dor passará, e a saudade e lembranças que vcs viveram juntos estas ficarão!!

    Um ano novo iluminado pra vc!!

    Bjo, Anne

    Curtir

  7. Moça.. seu amor deve ser como o amor da minha filha por um presidiario…. maior que a vida e e eu da mesma forma que respeito o amor da minha filha respeito o seu e oro par que Deus lhe de a certeza de que alguem guarda uma morda para vocce do outro lado… ou então deixmos de ser cristão…. na casa de meu pai há muitas moradas…. é só assim que aceito meu irmão ter ido antes de mim.,… me desculpe a sinceridade.

    Curtir

  8. Olá Karina,

    É a minha primeira visita a ti, sendo que acabei achando o site através de um texto de sua autoria, o Criando Monstros, que ensina a “necessidade” do não para educação da pessoas.

    Queria saber se posso usá-lo, é claro que com a devida referências…

    Além disso prometo te visitar sempre.

    Fique com Deus, “senhorita” Karina.
    Um abraço.

    Curtir

  9. Passei a conhecer o Mafalda Crescida, fazendo uma busca por Mafalda de Quino, alguns amigos costumam me chamar por Mafalda devido à igualdade de pensamentos que tenho com os dela. Li alguns dos seus textos e os admirei, com a fase dos últimos 02 meses me tornei solidária a você.
    Desejo que a sua tristeza possa passar a final, ela deve ser sentida, mas não eternizada, e que em 2009 você seja FELIZ de Novo.

    Curtir

  10. Karininha,

    Que texto mais inspirador! Que orgulho! Que orgulho! que orgulho!

    Passar por tudo isso e conseguir sentir e falar deste amor é imensamente significativo. Fala muito sobre sua essência, fala muito sobre sua evolução. E fala demais sobre esta capacidade humana incrível que é amar. Quando a gente lê o seu texto, “a vontade amar fica”, viu?

    Passei por aqui, desejando muito que já tivesse escrito um novo texto, daqueles com cara de novo mesmo, pra eu ter certeza que você está conseguindo se alimentar de boas energias, pra ter certeza que está se “organizando”, pra sentir se na sua cabeça estava ecoando que “de um caminho andado pra frente a gente nunca volta atrás”. E tinha um lado que era quase certeza, que sim ritual de passagem faz diferença pra todos nós seres humanos, que sim você ia lembrar de algo pra celebrar a vida e sim, tão você, dividiria conosco isso.

    Que lindo! Obrigada por dividir conosco esta força, estas percepções e ESTE AMOR. Suas palavras aquecem. Tem muito amor esperando por você sim, Querida, porque esta sua energia terá eco. Não tenho a menor dúvida!

    Um super beijo e um 2009 que te permita sentir de todos os jeitos este amor! A vontade de amar será só o começo.

    Tati

    Curtir

  11. Karina, que essa força e amor que você tem, se multipliquem sempre. Certamente, proporcionará muitos Felizes Anos Novos a você e os que têm a sorte de compartilhar seu tempo, sua amizade, seu amor.
    Beijo grande !

    Curtir

  12. acabei de chegar aqui ao seu blog pelo título que é a personagem que eu mais amo! e li o que aconteceu. e me surpreendi como vc é forte. como vc é grande. deu para ver o quanto ele deixou em vc. ainda bem. muita força para vc, querida. um ótimo 2009!

    Curtir

  13. Karina,
    embora eu seja apenas uma de suas leitoras “flutuantes”, fiquei muito sentida, como se fôssemos amigas reais!
    tem coisas que realmente não conseguimos compreender, mas como viver ultrapassa todo entendimento, desejo que a vontade de amar fique ainda em você com a mesma força, pois tenho certeza de que é disso que ele gostaria!
    um 2009 de esparança e AMOR para você!
    um cheiro!

    Curtir

  14. Sábias palavras, Karina.

    Não a conheço, mas você conseguiu que eu me enxergasse em cada linha de suas palavras.

    Passei por isso também. A luta é diária, todos os dias, mas conseguimos.

    Luta, guerreira!

    Minha solidariedade e meus votos de que mesmo diante das perdas, você não perca a capacidade única e intangível que todos temos: a de amar, com mais vontade, com mais entrega, com mais…

    Um abraço!

    Curtir

  15. Faz pouco tempo que tomei conhecimento do seu blog, mas sempre passo por aqui e gosto muito das suas reflexões. Imagino vc bem jovem mas sua ponderação é secular. Acho que isso é bem próximo da sabedoria. Fico pensando como existem pessoas assim tão parecidas com a gente e talvez nunca nos encontremos… Sua dor é indizível, o tempo vai ajudá-la e ruminar. Felicidades…

    Curtir

  16. Poxa! sua descrição sobre o Amor é linda, linda, linda. Ainda bem que exitem pessoas como você nesse mundo. Sensíveis a vida. E apesar de não ser nem um pouco fácil, a vida é bela. Ela nos ensina, nos permite crescer espiritualmente, permite o contato com criações maravilhosas, nos mostra caminhos e nos permite escolher. Você é uma das poucas pessoas, que ainda com as rasteiras da tal, escolhem ter forças pra continuar e continuar buscando felicidade. Admiro você. Desejo, mais uma vez, força e muitas, muitas, muitas felicidades neste ano-novo e pra toda vida.

    um beijo ;*

    Curtir

  17. Já ouvi dizer que os bebês não choram por que têm fome, mas porque pensam que passarão fome pela eternidade. Mas o tempo passa, e a consciência disso nos reconforta. Que aprendamos a ser mais fortes com as tristezas e que tudo passa.
    Esteja em paz.
    Fique com Deus.

    Curtir

  18. Belo texto e uma bela maneira de encarar os percalços da vida. Que o passar dos dias deste ano novo te traga alívio, algo que só mesmo o tempo consegue trazer. É só o passar do tempo que transforma a dor em saudade e talvez por isso tenhamos tantos rituais para celebrar mais um ano que acaba e outro que se inicia. Boa sorte e um 2009 de saúde e paz!

    Curtir

  19. Querida, querida, querida. Lendo o seu texto, soube, apenas agora, do que aconteceu com você e o seu amor. Meu coração está pequenininho, e doído por você, que é tão doce, tão linda, tão generosa, tão fofa, enfim. Meu “sinto muitíssimo” chega atrasado, porque a correria da vida não me permitiu dizê-lo antes, mas é sincero. Espero que o amor que você merece, não importa quando ou como, te encontre, te abrace apertado e fique com vc pra todo o sempre.

    Curtir

  20. Li um pouco seus testos, achei incrivelmente interessante. Talvez nunca mais passe poraqui, mas se vir novamente ficarei feliz. Vc. ve a vida exatamente como ela é. Felicidades.

    Curtir

Deixe uma resposta para Deize Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s